«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




terça-feira, 30 de novembro de 2010

«JOSÉ E PILAR»




JOSÉ E PILAR


Documentário de Miguel Gonçalves Mendes, feito pela sua grande admiração por Saramago e para que existissem registos pessoais do escritor. Premiado pelo público como melhor documentário na Mostra Internacional de cinema de São Paulo.


O realizador andou quatro anos com as câmaras atrás deles, por todos os lados. O documentário começa em 2006, quando Saramago tem a ideia para escrever «A Viagem do Elefante» e vai até ao lançamento do livro em 2008 no Brasil. São focados os anos do endeusamento máximo (a inauguração da biblioteca de Lanzarote, a grande exposição iconográfica, as repetitivas entrevistas pelo mundo inteiro, a criação da Fundação José Saramago), mas também a doença e o contacto com a morte.


O documentário mostra sonhos, divagações de um homem sobre a vida, dúvidas, o cansaço pela exposição pública, as rugas das mãos, o amor e a iminência da morte. A célebre ampulheta existencial.


«As melhores coisas da vida aconteceram muito tarde e o tempo é muito curto» Saramago


Um homem calmo e melancólico, uma mulher-bálsamo, mas muito «espanhola», que lhe dá garra para a vida, que o orienta e ajuda, que teve um papel fundamental na vida do escritor, que muitas pessoas desconhecem.


«Se eu tivesse morrido antes de conhecer a Pilar teria morrido muito mais velho». Saramago


O realizador ficou surpreendido com o Saramago na intimidade, com a sua doçura e o seu humor.
«As pessoas dizem que Saramago era arrogante e ele dizia que não tinha culpa da cara que tinha e que muitas vezes as pessoas confundem arrogância com timidez! Saramago dizia que era tímido e humilde, qualidade que falta a muita gente».


«Amo Portugal, mas o país é muito estranho, só em Portugal sou tratado como um analfabeto!» Saramago


O escritor foi polémico, comunista assumido, ateu militante, sacrílego contestatário da herança do cristianismo mas sempre teve o cuidado de afirmar, que o que dizia era apenas a sua «visão do mundo».


Quando Saramago viu o documentário disse a Pilar.


«Pilar, isto é uma grande dedicatória de amor à tua pessoa.»


Ela respondeu:


«Sim, e a minha vida também é uma grande dedicatória de amor.»


«José e Pilar», um documentário que não perdi, que seria mau ter perdido e que não deve ser perdido.


"José e Pilar" é um filme sobre o tempo: os três anos que reconstitui, a duração das peripécias seleccionadas, o muito tempo que fica de fora na montagem, o tempo que falta para completar uma obra começada verdadeiramente aos 60 anos. Poderia ser um "filme-fleuve" de 50 horas, poderia optar por mais cortes, mas a grandeza do romance documental retrata-se nessa hesitação, nessa noção de que vida e morte não cabem no espaço exíguo de uma projecção. Por isso, o essencial passa menos pelo conteúdo (Saramago é sobretudo um pré-texto) do que pelas formas. "José e Pilar" é um documentário, mas também um documentário para acabar com a ilusão do documental puro. Mário Jorge Torres

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

REMINISCÊNCIAS DA «JAPAN WEEK»

PERSPECTIVA DA PINTURA JAPONESA (MUSEU SOARES DOS REIS)




 
NA BIBLIOTECA ALMEIDA GARRETT, LOCALIZADA NOS JARDINS DO PAVILHÃO ROSA MOTA, MAS TAMBÉM CONHECIDO COMO PALÁCIO DE CRISTAL, QUE JÁ NÃO EXISTE, COM MUITA PENA MINHA!



ESCRITA JAPONESA - POESIA E FRASES

EXEMPLOS:

Soltou-se um suspiro e floriu a cerejeira.

Digo-te obrigada antes que a flor de cerejeira se dispa.

O sentimento é invisível, mas a simpatia é visível e palpável.

Estejas zangado ou feliz o dia acontece. Passa por mim e eu sorrio.



O meu nome em caracteres japoneses e já agora os japoneses são uma simpatia, gente afável e sorridente.

 

E INEVITAVELMENTE A ARTE FLORAL, COM OS FAMOSOS IKEBANAS E ATÉ MESMO FLORES FEITAS DE LEGUMES!...

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL DA HUMANIDADE - FLAMENCO

















A UNESCO considerou oficialmente o flamenco Património Cultural Imaterial da Humanidade. Os primeiros registos de música parecida com o flamenco datam de XVIII. A tradição e a transmissão oral geracional foram essenciais para que esta cultura sobrevivesse ao longo de séculos. Outras vitórias para a Espanha foi o reconhecimento da Sibila de Maiorca, tradição que se mantém desde a idade Média e os «castells» da Catalunha, onde dezenas de pessoas fazem castelos humanos de vários metros nas festas tradicionais.


Outras distinções foram para a dieta mediterrânica e para a «nouvelle cuisine» francesa.

Estas distinções foram criadas em 1997, para protecção e reconhecimento de expressões culturais e tradições, preservando a ancestralidade para a posteridade.


E O FADO?
 

CHINA KEITETSI PASSOU PELO PORTO

Foi convidada pela Amnistia Internacional, para viajar por vários países, para alertar para o flagelo de mais de 300 mil crianças-soldado que existem, contando a sua própria experiência.



China com 9 anos recebeu uma arma e tornou-se num soldado numa Uganda a viver em 1984 uma guerra civil. Combateu, cozinhou, foi guarda-costas e serviu de escrava sexual.


Aos 13 engravidou, o filho foi-lhe retirado e continuou a combater num clima de medo relativamente à guerra e à violação. Aos 17 anos voltou a engravidar e fugiu, deixando a criança para trás. Em três semanas passou pelo Quénia, Tanzânia, Zimbabwe e África do Sul. Estabeleceu-se no Soweto e em 1999 obtve o estatuto de refugiada das Nações Unidas e foi para a Dinamarca. Preocupada com o destino dos filhos contactou várias Ongs e conseguiu encontrar os filhos, um deles no Uganda com 14 anos e uma filha no Soweto com 11 anos. Hoje sente-se feliz, mas com a amargura de nunca ter tido infância.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

FRIDA KAHLO («MINHA IDEIA É O MEU PINCEL»)


Self-Portrait (1940)

Tanto a dizer sobre Frida! Há anos que conheço Frida! E que dizer de uma figura emblemática das Artes Plásticas e do Movimento Revolucionário mexicano? Frida Kahlo deixou a sua marca profunda na arte, foi uma pintora «sui-generis», pintou a dor que sempre a acompanhou e complementou com as raízes tradicionais e características mexicanas.


«Pensaram que eu era surrealista, mas nunca fui. Nunca pintei sonhos, só pintei a minha própria realidade.»


Consultar a sua biografia aqui

Frida em criança viveu a Revolução mexicana de 1910, dizia-se filha dessa revolução e sempre foi uma mulher politicamente engajada.


“Recuerdo tener cuatro años cuando tuvo lugar la decena trágica. Con mis propios ojos vi la batalla entre los campesinos de Zapata y los carrancistas. Mi ubicación era muy buena. Mi madre abrió las ventanas que daban a la calle Allende para dar entrada a los zapatistas y se encargó de que los heridos y los hambrientos saltaran de las ventanas de la casa a la sala de estar. Ahí los curó y les dio gorditas de maíz, lo único que se podía conseguir de comer durante esos días en Coyoacán”.


Aos 6 anos de idade, vítima de poliomielite, tornou-se coxa como sequela da doença.


''Origem das duas Fridas. Recordação. Devia ter 6 anos quando vivi intensamente a amizade imaginária com uma menina de minha idade. (...) Não me lembro de sua imagem, nem da sua cor. Porém sei que era alegre e ria muito. Sem sons. Era ágil e dançava como se não tivesse nenhum peso. Eu a seguia em todos os seus movimentos e contava para ela, enquanto ela dançava, meus problemas secretos. Quais? Não me lembro. Porém ela sabia, por minha voz, de todas as minhas coisas...''


Por volta dos 18 anos, o autocarro em que viajava chocou violentamente. Sofreu inúmeras fracturas e uma barra de ferro atravessou-a pela bacia e saiu pela vagina. A partir daí, a vida transformou-se numa vivência de dor e de sofrimentos. Ao longo de sua existência foi submetida a muitas cirurgias.



“E a sensação nunca mais me deixou, de que meu corpo carrega em si todas as chagas do mundo''.


''(E o que mais dói) é viver num corpo que é um sepulcro que nos aprisiona do mesmo modo como a concha aprisiona a ostra”.


''Algum tempo atrás, talvez uns dias, eu era uma moça caminhando por um mundo de cores, com formas claras e tangíveis. Tudo era misterioso e havia algo oculto; adivinhar-lhe a natureza era um jogo para mim. Se soubessem como é terrível obter o conhecimento de repente - como um relâmpago iluminando a Terra! Agora, vivo num planeta dolorido, transparente como gelo. É como se houvesse aprendido tudo de uma vez, numa questão de segundos. Minhas amigas e colegas tornaram-se mulheres lentamente. Eu envelheci em instantes e agora tudo está gasto e plano. Sei que não há nada escondido; se houvesse, eu veria.''


"Eu sou a desintegração."


''Pinto-me a mim mesmo porque sou sozinha e porque sou o assunto que conheço melhor''.



''Não estou doente. Estou partida. Mas sinto-me feliz por continuar viva enquanto puder pintar''.


"Sinto-me mal, e ficarei pior, mas vou aprendendo a estar sozinha e isso já é uma vantagem e um pequeno triunfo."

Outro aspecto marcante na sua vida foi a tempestuosa relação com Diego Rivera, (artista plástico e revolucionário).


''Diego está na minha urina, na minha boca, no meu coração, na minha loucura, no meu sono, nas paisagens, na comida, no metal, na doença, na imaginação”. ''Ele leva uma vida plena, sem o vazio da minha. Não tenho nada porque não o tenho.''


Poema do diário de Frida


Diego. princípio
Diego. construtor
Diego. meu bebé
Diego. meu noivo
Diego. pintor
Diego. meu amante
Diego. meu marido
Diego. meu amigo
Diego. meu pai
Diego. minha mãe
Diego. meu filho
Diego. eu
Diego. universo
Diversidade na unidade.
Porque é que lhe chamo Meu Diego?
Ele nunca foi e nem será meu.
Ele pertence a si próprio.


''Pintar completou a minha vida. Perdi três filhos e uma série de outras coisas, que teriam preenchido a minha vida pavorosa. Minha pintura tomou o lugar de tudo isso. Creio que trabalhar é o melhor''.


Um ano antes de morrer, foi-lhe amputada uma perna.


''Amputaram-me a perna há 6 meses, deram-me séculos de tortura e há momentos em que quase perco a razão. Continuo a querer matar-me. O Diego é que me impede de o fazer, pois a minha vaidade faz-me pensar que sentiria a minha falta. Ele disse-me isso e eu acreditei. Mas nunca sofri tanto em toda a minha vida. Vou esperar mais um pouco...''


«Bebo para afogar as mágoas. Mas as danadas aprenderam a nadar.»

"Creio que o melhor é partir, ir-me e não fugir. Que tudo acabe num instante. Oxalá"


"Espero alegre a saída e espero nunca voltar."


Blogagem Coletiva proposta pela amiga Glorinha de Leon do Blog Café com Bolo, intitulada "Minha idéia é meu pincel".

terça-feira, 23 de novembro de 2010

ESTOU COM A GREVE GERAL...

Alguns pensam e dizem: «O país está como está não se devia fazer greve…vai ser um prejuízo»…No JN era referido que o custo da greve geral deve atingir os 280 milhões…e os milhões que têm sido desbaratados?!!!



Não temos sido prejudicados, não vamos ser muito mais? Temos que ser nós a pagar o descalabro dos erros de governação? Não temos direito à indignação?


ESTOU COM A GREVE GERAL DE AMANHÃ E O MEU DESEJO É QUE SEJA UMA AMPLA MANIFESTAÇÃO NACIONAL DE PROTESTO!..

POEMA SOBRE A LIBERDADE

Cresci a sonhar contigo, tu sabes,

com a pressa ansiosa dos amantes,

todo os dias, sem descanso ou desalento,

imaginando a claridade do teu olhar sereno,

o rumor da tua voz marinha,

o embalo de onda do teu sono de menina.

Um dia chegaste e ergueste a tua casa

na mansa vizinhança dos meus sonhos,

paredes meias com o esplendor dos cravos.

Partilhei contigo o alpendre das estrelas

onde os meus filhos brincaram e cresceram,

onde eu brinquei com os búzios e as sombras

e te prometi fidelidade eterna,

como no fogo das paixões maiores.

Ambos envelhecemos desde então,

dorso arqueado pelo peso

do mais amargo desencanto,

sem renunciarmos à felicidade

que um dia prometemos um ao outro.

Fomos nós que envelhecemos

ou foi a alegria que se exilou do nosso olhar ?

Foi Abril que perdeu o fulgor primordial

ou fomos nós que deixámos de o merecer,

luz fugidia a escapar por entre os dedos ?

Amanhã acordarás numa cama de pétalas,

imitando a límpida música das fontes,

e eu estarei contigo, como quem renasce,

para que tu, Liberdade, não morras nunca

de tristeza ou abandono nos meus sonhos.

José Jorge Letria

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

YOKOSOO JAPAN WEEK

A Japan Week é um evento organizado anualmente numa cidade do mundo. A primeira Japan Week decorreu em Florença em 1986. Em 2010, ano em que se comemoram os 150 Anos da Assinatura do Tratado de Amizade Portugal-Japão, o Porto foi a cidade escolhida pela organização japonesa para a realização deste grande evento de celebração da cultura nipónica durante cinco dias.

(Nagasaki está desde 1978 geminada com o Porto)


A Abertura ocorreu no Pavilhão Rosa Mota e jardins.
Grupo de Espingardas de Tanegashima"



Portugal foi o país que levou as espingardas para o Japão, os cidadãos de Tanegashima formaram um grupo para a Preservação da Espingarda de Tanegashima, com idades que variam entre os 11 e os 84 anos.




















Instituto de Armas Antigas do Distrito de Aichi - Unidade de Espingardas de Nagashino Sitaragahara"



A espingarda foi levada de Portugal para o Japão para a ilha de Tanegashima há 467 anos, em 1543. Em 1575, ocorreu uma grande batalha na qual foram utilizadas mais de 3000 espingardas no distrito de Aichi. Diz-se que esta foi a primeira batalha no mundo com uma estratégia militar baseada no recurso às espingardas.


 Unidade de Espingardas do Castelo de Okayama - Bishu"



A Unidade de Espingardas do Castelo de Okayama é uma unidade de artilharia com 35 elementos, sendo herdeira da artilharia antiga da escola Fujioka. Foi formada em 1983 e faz regularmente demonstrações da artilharia antiga , bem como exposições e conferências sobre armas antigas



 
Associação de Preservação da Artilharia Antiga do Feudo de Yonezawa"



Kenshin Uesugi, samurai fundador do feudo de Yonezawa, ficou conhecido pela grande vitória na batalha de Kawanakajima, famosa na história japonesa, utilizando as armas de fogo. Preservando o antigo estilo da artilharia do Japão, a associação foi fundada em 1961 para transmitir este aspecto da cultura tradicional japonesa.


 
 



Hamamatsu Hanachochin"



As Chindon-yas eram um tipo de banda composta por músicos, com disfarces apelativos, que existiam no Japão para fazer publicidade nas ruas e divertir o público.


 

Grupo de Tambores Sadasusa"



O Grupo de Tambores Sadasusa é constituído por 35 membros. Apresentam a cultura japonesa através dos tambores, executando obras musicais baseadas em episódios da mitologia da região de Izumo, ou canções tradicionais da plantação do arroz.


 

"Brass Band da Escola Secundária de Nagasaki Higashi"



Orquestra de sopros que tem como lema "O som tem vida". O seu objectivo é tocar música que emocione as pessoas.


 

OUTRAS EVENTOS:



GALERIA DO PALÁCIO


"Shikari - Atelier de tingimento natural"


O tingimento de tecidos utilizando plantas e minerais naturais existiu desde tempos pré-históricos. Este atelier estará no Porto para recordar as técnicas do tingimento natural, utilizadas pelos nossos antepassados. Serão reproduzidas cores tipicamente japonesas com recursos da terra e em harmonia com o ambiente, numa filosofia de sustentabilidade.


"Escola Shoto - Arranjos Florais (Ikebana)"


Exposições florais temáticas, criando ambientes únicos e artísticos através da mistura das flores típicas do Japão, naturais e artificiais. O estilo "Shin Bunjin Ka", de forma simples mas com forte presença, também caracteriza esta escola. Pretendem partilhar com o público sentimentos de paz, riqueza e alegria espirituais através das flores.


"Associação de Caligrafia da Universidade de Waseda"


É o único clube oficial de caligrafia da Universidade de Waseda, em Tóquio, e tem mais de 60 anos de tradição.


Colecção de ilustração e poesia de Kyoto Miyama"


Apresentação de ilustrações que dão vida a palavras descontraídas do quotidiano. A sensibilidade nipónica será apresentada num universo reduzido. Um conjunto de obras emotivas, que aquecem o coração.


"Restaurante macrobiótico YoBoSo"


Oferece a cozinha macrobiótica genuína, livre de aditivos e saudável, em que todos os ingredientes são caseiros, dos temperos até aos frutos do mar naturais, os legumes e as frutas biológicas. A técnica "mukimono" consiste em transformar os legumes em verdadeiras esculturas, torná-los na flor ou no animal que acompanha os pratos da culinária japonesa.


Atsuko Kitamura - One point art"

Arte mural, a partir da arte milenar do embutido em esmalte (cloisonné).
Associação de Arranjos Florais Japoneses de Nagasaki"


"Academia Geral SEO - Cerimónia do Chá"


Estilo Urasenke, uma das escolas mais antigas e famosas da cerimónia do chá.


Segundo a tradição nipónica, a cerimónia do chá é um ritual que deve ser cumprido com boa vontade e simplicidade. No Japão, os convidados devem chegar antecipadamente para se proceder à cerimónia. São sentados numa sala pequena e simples, "desligados" da agitação do quotidiano, com roupas discretas e um ambiente que apela à paz de espírito. Participar nesta cerimónia é fazer uma aprendizagem fundamental sobre a cultura japonesa.


Escola Seifu - Ritual do Sencha"


Arte universal de receber bem os convidados e preparar o espaço da cerimónia de acordo com a estação do ano.


Museu Nacional Soares dos Reis
Japão "Art-cross Co."- Exposição

Nesta exposição, serão expostas 100 obras de pintura japonesa, pintura-Suiboku, pintura ocidental, caligrafia e artesanato.

Biombos Namban e objectos relacionados com o chá nas colecções do Museu, palestra sobre " História de Chá nos Açores ", degustação e informações sobre o chá Gorreana.

Teatro - A "Árvore e "O Espelho" - dois contos Japoneses de Sophia de Mello Breyner

GRANDE AUDITÓRIO DO RIVOLI - Cinco dias de espectáculos variados. 

domingo, 21 de novembro de 2010

VAMOS DANÇAR O TANGO?

Ao passar os olhos pelo jornal, parei nesta fotografia e não é que me veio logo ao pensamento, que o Sr. Engº. Sócrates estaria a convencer Barack Obama a dançar o tango!?...
Pelo seu ar parece estar a dizer:
-É porreiro pá!!!!




[Brincar nestes tempos, é de muito mau gosto, mas...se levar as coisas a sério lá vem a azia! Este meu sistema nervoso!.. Depois dos seus reflexos na vesícula, para os quais encontrei solução, não é que os mesmos agora se reflectem no estômago!!!]

sábado, 20 de novembro de 2010

A ALDEIA VIRTUAL

O Zé, professor do básico reformado, já tem barbas e brancas E é uma delícia conversar com ele, sempre a contestar tudo! Foi meu companheiro na «aventura» dos pincéis. Ele continua nas aulas, eu deixei! Deixei também um grupo simpático e bem-disposto e de vez enquanto lá vou eu fazer-lhes uma visita e almoçar com eles.



-O que faz? Em que ocupa o seu tempo?


Lá lhe disse o que ando a fazer e naturalmente na conversa falei no blogue.


O Zé começando a falar não se cala, então disse:


-Também tenho um blogue há meses e nunca escrevi nada! Sabe, eu só escreveria se acrescentasse alguma coisa de diferente, mas se entrasse por aí só iria criar aborrecimentos! Eu não sou de grupos, não sou de corta uma lasca para estar bem com X ou Y, corta outra lasca para estar bem com A ou B. Há muita mentira e hipocrisia, é por isso que o mundo não muda. Em vez de dizer, é preciso fazer. Nos blogues há muito narcisismo, tenho lido coisas incríveis, o mundo que as pessoas «pintam» não é a verdade!


-E o que é verdade? Cada um tem a sua!..


-Mas as pessoas vivem na mentira como se fosse verdade e blá, blá, blá…


-Ó Zé quantas pessoas escrevem para ocupar o seu tempo e a solidão? Estão sempre à espera de uma palavra!.. Que interessa? Quem quer lê, quem não quer não lê!


Quis depois o nome do meu blogue e eu lá lhe disse, acrescentando de imediato é muito formal e convencional é só para passar o tempo!.. É onde despejo o que leio, o que vejo, o que gosto!..Também é uma forma de convívio!.. Gostava de mudar o mundo, mas…


-Virtual! Não é melhor o real?


-Mas estes acabam por estar bem mais próximos!


-Estão num clique do mouse, não é preciso sair, deslocar-se…A Manuela está a ficar muito sedentária, não é bom!


-Não é isso Zé, eu saio, eu vou ao ginásio, eu tenho a minha participação social, eu vim cá, para estar com os amigos…


-Quantas horas está ao computador?


-Oh, não vamos por aí, nem lhe digo!..


-Vou ver o seu blogue!


-OK, mas deixe rasto, para eu saber que passou por lá…


E deixou, uns andares mais abaixo!


Nesta «aldeia virtual» há de tudo, há pessoas surpreendentes, com um «mundo» onde gosto de entrar, pelos alertas sobre assuntos que me fazem reflectir, pelo seu gosto musical e poético, pelas suas ideias humanistas, pelas suas preocupações ecológicas, pela sua criatividade…por tanto que se esforçam por partilhar com os outros! Há também aquele género de blogue, que antecipadamente vejo que nada tem a ver comigo e passo à frente. Nunca me interessou ter muitos seguidores, nunca andei na «pedinchice» para fazer número, até porque gosto de conhecer as pessoas e até não é fácil ser tão assídua quanto desejava, mas lá vou chegando.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

MAS QUE SITUAÇÃO!?...

Mesmo em frente a onde moro, tenho assistido a cenas muito desagradáveis. Existe nesta zona, Bancos, várias lojas comerciais e mesmo uma confeitaria muito conhecida na cidade do Porto. Nos estacionamentos permitidos, os carros entram e saem com frequência! Como é natural há dois arrumadores habituais. Se a manhã é calma, tudo começa a piorar pela tarde até à exaustão de cenas de vernáculo duro e pancadaria!



Um deles é um rapaz novo, o Bruno, completamente perdido, teve uma fase que desapareceu, por acaso na altura vi-o e disse-me que estava curado, que a vida era outra, mas voltou! Quando está pedrado insulta as pessoas do pior, já aconteceu connosco, mas se no dia a seguir lhe dissermos alguma coisa, ainda lúcido, desfaz-se em desculpas e mais desculpas.


O Sérgio é de meia-idade e está completamente num caos! Disseram-me que tinha estudado, que era de boas famílias, que o tinham afastado pela sua irremediável conduta. Não sei exactamente a vida dele, só sei o que vou apreciando. Aparecia por aqui com a mulher, às vezes pedia, mas quase sempre era a mulher. O que nos surpreendia é que ficava na escada de um prédio a falar ao telemóvel, mas era uma pessoa de bom trato.



Um dia desapareceu e quando voltou estava muito mais magro, eu diria por metade. Perguntei-lhe o que lhe tinha acontecido, desfez-se num choro compulsivo e disse: a minha mulher morreu!
-Como?
-De manhã estava morta na cama!
-Tinha problemas?
-Andava a tratar-se, mas ela não ligava ao que eu dizia! Eu estou bem, sei controlar-me!


O que veio a acontecer é que, se não revelava e consumia, agora superou! Álcool e droga tornaram-no num homem violento e agressivo. Todos os dias anda à pancada, com o mais novo, por causa dos automóveis. As pessoas que estacionam se não lhe dão dinheiro são insultadas do pior ao mesmo tempo que dá pontapés nos veículos, muitos deles saem dos carros e lá vai uns murros. Todos os dias é isto! Vem a polícia fala com eles e vai-se embora, inclusivamente já tem vindo uma ambulância, tratam-no de pancada mais violenta e vão-se embora! As pessoas têm receio e até já me disseram que houve queixas das casas comerciais, devido a diminuição de clientela!


Não haverá uma forma de internar este homem e de o tratar?


É impressionante num sítio de tanto trânsito vê-lo no meio da rua a andar aos sssssssssssss!..


Já telefonei para a esquadra da zona, a polícia está farta de conhecer a situação! Disse-lhes que aquele homem precisa de ser tratado e responderam-me que estavam a resolver isso! Para quando? Não sei… Entretanto gritos e pancadaria são situações diárias!

UM DIA NA RIBEIRA COM A LAURINHA...

Ontem veio cá ao Porto, a Laura Vieira, que mora em Braga, fazer-me uma visita. É a segunda «desvirtualização» e é tão interessante que estou aberta para outras experiências similares. As conversas que se vão tendo no blogue, abrem portas e em frente a uma pessoa que nunca se conheceu pessoalmente, a conversa salta sem constrangimento! Assim aconteceu quando nos vimos na Estação de S. Bento. Daí decidimos ir almoçar à Ribeira. O dia que temíamos ser chuvoso, abriu-se num sol radioso. Subimos à Sé Catedral, porque eu queria mostrar-lhe o morro da Sé, o local onde nasceu a cidade. Depois fomos, pelas ruelas típicas, Banharia, Pena Ventosa, Rua Escura…passando pela Igreja dos Grilos (onde se avista uma paisagem excelente do casario, das torres da cidade e lá ao fundo o rio Douro) e pelo Arco de Santana, celebrizado por Almeida Garrett. Descendo aquela cascata, fomos parar à Ribeira e escolhemos o Restaurante, uma boa esplanada em frente ao rio. Comemos tipicamente um arroz de feijão com petinga (em Lisboa são os famosos jaquizinhos).




Depois atravessamos a ponte de D. Luís, para a Laurinha ter uma perspectiva da cidade do Porto vista de Gaia. Quando se está bem o tempo passa depressa e lá voltamos à Estação de S. Bento, com a promessa de novo encontro, o próximo em Braga.



Para mim foi um grande prazer estar com uma pessoa tão humana, tão autêntica, tão delicada…
Tenho muito a mostrar-te no Porto, cidade que conheço do direito e do avesso e serás sempre bem-vinda!...

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

«MINHA IDEIA É O MEU PINCEL» - Edgar Degas - Danseuses Bleues

Difícil entrar neste quadro! A minha imaginação está bloqueada!



Não me vejo a dançar em pontas, se fosse a alguns anos! Agora seria de facto muito ridículo, não havia pontas que aguentassem 60 kilos, mais coisa menos coisa! Margot Fonteyn dançou até aos 60 anos, mas sujeitou-se a uma vida rigorosa!


Vou contornar o problema da divagação e escrever alguma coisa sobre o mundo do ballet, que considero fascinante! Um mundo onde fluiu o sublime, a beleza, a expressividade e a plasticidade dos corpos! Um pas-de-deux tem um encanto indescritível pela harmonia entre dois corpos! Vibrante e espectacular são os solos masculinos, os corpos viris onde sobressaiem os músculos em passadas largas e em voos de grande estilo e técnica. Lembro Rudolf Nureyev e gostava de ter visto o Vaslav Nijinski, gosto da época em que viveu, o tempo dos Ballets Russes de Serguei Diaghilev!


O Quebra-Nozes, A Bela Adormecida, O Lago dos Cisnes…quando Tchaikovsky compôs a música destes bailados era considerada música menor!.. Incrível!.. Mas há muito mais, Gyselle, Coppélia, Les Sylfides…mas também O Pássaro de Fogo, A Sagração da Primavera, A Vida Breve…e outros, claro, muitos outros!..


Nesta breve abordagem, faço questão de não esquecer, Isadora Ducan a famosa bailarina que tirou as sapatilhas e que buscou a inspiração nos movimentos das ondas e dos ventos para compor as suas coreografias, uma precursora do bailado moderno.


 
E o aristocrata Edgar Degas? Foi um ecléctico pintor influenciado por Ingres, que depois conheceu Manet e se interessou pelas gravuras japonesas…de convencional tornou-se um revolucionário, mudando a postura de ver a arte, integrado no grupo dos impressionistas que deram o primeiro passo para a Arte Moderna. Degas foi um caso à parte, aliás o movimento nunca foi uma escola, embora houvesse um postulado, que facilmente pode ser encontrado na net.



Os temas foram diversificados, mas muitas bailarinas pintou Degas!?...


Degas escandalizou mesmo a sociedade parisiense com uma pequena escultura de uma bailarina, que esculpiu depois de muito a ter pintado.


O pintor conheceu a bailarina muito jovem. A sua família era miserável, uma das irmãs era prostituta. Essa jovem estudou ballet até aos dezasseis anos e teve que se prostituir para conseguir viver.


Ao exibir esta escultura, deixou chocada toda a «boa sociedade» da época. Degas esculpiu a jovem com o propósito de deixar bem marcados na cera (material utilizado) os seus sentimentos face àquela miséria, na qual viviam milhares de parisienses. Esta atitude de Degas foi vista como uma provocação à sociedade, acabando por ser rejeitado e até mesmo humilhado. Mas ninguém se pôde esquecer que ele mudara a visão conservadora do mundo, e não se esqueceu de publicitar os problemas deste. Anos mais tarde, a famosa escultura tornou-se um ícone.




Blogagem Coletiva proposta pela amiga Glorinha de Leon do Blog Café com Bolo, intitulada "Minha idéia é meu pincel".

SELOS EM DIA...

 «O Prêmio Dardos é o reconhecimento dos ideais que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc... que em suma, demonstram a sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre as suas letras, e as suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar o carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.

Com este selo o blogue já foi presenteado, por: http://blogdoprofex.blogspot.com/, mas  sinto-me grata aos blogues posteriores que referenciaram LIGHT, que são:




http://emcatharsis.blogspot.com/

http://clarices-bichocarpinteiro.blogspot.com/



http://sonhospesados.blogspot.com/


AS REGRAS JÁ FORAM CUMPRIDAS QUANDO POSTEI ANTERIORMENTE.


Ganhei estes selos da Socorro Melo - http://msocorrom.blogspot.com/ . Agradeço a sua simpatia e amizade e não percam de conhecer o seu blogue, que merece uma visita

REGRAS:

1 - Nome completo:

Maria Manuela Freitas T. S. C. S. (É muito comprido)

2 - Um item de maquiagem que fez parte da minha adolescência:

«Pó de arroz, do teu arrozal..esse pó que é fatal...» Lembrei-me desta música, mas eu era mesmo uma cara lavada!



3 - A primeira tintura ou corte radical que você fez no cabelo, se possível, colocar foto:

Uma ocasião a minha irmã levou-me ao cabeleireiro e mandou cortar curtíssimo! Teve que ouvir da minha mãe das boas!..
Comecei a pintar o cabelo, quando comecei a ter mais brancas que castanhas. As brancas apareceram aos 19 anos, deixei-as andar porque parecia madeixas, um dia tornou-se impossível de aguentar!

4 - Música que marcou a sua adolescência:

Let’s twist again...
5 - Seu esmalte favorito:

Raramente uso.

6 - Sua peça de roupa favorita:

Jeans.

7 - Qual a cor de batom que você mais usa:

Não uso. Em tempos pintava-me, mas batom era raro. Agora só me pinto se saio à noite.

8-uma foto sua



9- 5 Blogs que recomendo:

http://cantodecontarcontos.blogspot.com/



http://tudoepossivel-infinitoparticular.blogspot.com/


http://vidaseverdades.blogspot.com/


http://cantinhodabarbiegirl.blogspot.com/


http://resteadesol.blogspot.com/


NADA OBRIGA A ACEITAR!...

terça-feira, 16 de novembro de 2010

LEMBRAR JOSÉ SARAMAGO...(Azinhaga, Golegã, 16 de Novembro de 1922 — Tías, Lanzarote, 18 de Junho de 2010)

Aprendamos, Amor
Aprendamos, amor, com estes montes
Que, tão longe do mar, sabem o jeito
De banhar no azul dos horizontes.
Façamos o que é certo e de direito:
Dos desejos ocultos outras fontes
E desçamos ao mar do nosso leito.

Intimidade

No coração da mina mais secreta,
No interior do fruto mais distante,
Na vibração da nota mais discreta,
No búzio mais convolto e ressoante,
Na camada mais densa da pintura,
Na veia que no corpo mais nos sonde,
Na palavra que diga mais brandura,
Na raiz que mais desce, mais esconde,
No silêncio mais fundo desta pausa,
Em que a vida se fez perenidade,
Procuro a tua mão, decifro a causa
De querer e não crer, final, intimidade.


Não me Peçam Razões...

Não me peçam razões, que não as tenho,
Ou darei quantas queiram: bem sabemos
Que razões são palavras, todas nascem
Da mansa hipocrisia que aprendemos.
Não me peçam razões por que se entenda
A força de maré que me enche o peito,
Este estar mal no mundo e nesta lei:
Não fiz a lei e o mundo não aceito.
.
Não me peçam razões, ou que as desculpe,
Deste modo de amar e destruir:
Quando a noite é de mais é que amanhece
A cor de primavera que há-de vir.

No Coração, Talvez

No coração, talvez, ou diga antes:
Uma ferida rasgada de navalha,
Por onde vai a vida, tão mal gasta.
Na total consciência nos retalha.
O desejar, o querer, o não bastar,
Enganada procura da razão
Que o acaso de sermos justifique,
Eis o que dói, talvez no coração.

José Saramago, in "Os Poemas Possíveis"



segunda-feira, 15 de novembro de 2010

COMBATENTES DA LIBERDADE

Congratulo-me com a libertação de Aung San Suu Kyi, mas outros combatentes da Liberdade devem ser referidos em países que os perseguem, independentemente das políticas praticadas.

SHIRIN EBADI (IRÃO) – Primeira iraniana a ser nomeada juíza, tem sido uma feroz opositora ao regime de Teerão. Em 2003 ganhou o Nobel da Paz.

BIRTUKAN MIDEKSA (ETIÓPIA) – Candidata derrotada, ex-juíza e líder da União para a Democracia e Justiça, chegou a ser condenada a prisão perpétua, mas já está em liberdade.

LIU XIAOBO (CHINA) – Dissidente , luta pela Democratização da China e participou nas manifestações de Tiananmen. Cumpre uma pena de 11 anos. Nobel da Paz 2010.

 
MARWAN BARGHOUTI (PALESTINA) – Líder da primeira e segunda linfada. Cumpre cinco penas de prisão perpétua em Israel

AYMAN NOUR (EGIPTO) – Candidatou-se à presidência para destronar Mubarak e foi preso. Encontrando-se em liberdade ameaça concorrer em 2011.
RIYAD A-TURK (SÍRIA) – Passou duas décadas preso e voltou à cadeia após a «Primavera de Damasco» em 2001, quando depois da morte do Presidente Assad, proclamou que «o ditador está morto».


GUILLERMO FARININAS (CUBA) – Prémio Sakharov para a Liberdade de Expressão. Já fez 23 greves de fome, a última de 135 dias, só terminou quando foi iniciada a libertação de 52 presos políticos.
LEYLA ZANA (TURQUIA)– Política de descendência curda, esteve presa durante dez anos por se atrever a falar a sua língua nativa no Parlamente de Ancara e defender um Curdistão independente. Prémio Sakharov em 1995

In VISÃO (28.10.2010)