«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quarta-feira, 6 de março de 2013

"Um homem desejoso de trabalhar, e que não consegue encontrar trabalho, talvez seja o espectáculo mais triste que a desigualdade ostenta ao cimo da terra." - Carlyle


"Eu sou um homem só, um único inferno." Quasimodo , Salvatore



Quantos de nós não ansiámos deixar de trabalhar, com a ideia que íamos ter mais tempo, para isto e para aquilo! O sabor dessa liberdade pode durar um ano, dois, até mais, mas depois procurarmos fazer coisas, ter horários, dar valor à permanência na vida! Procuramos fazer cursos diversificados, voluntariado, pintamos, escrevemos, enfiamo-nos no ginásio, porque dificilmente se poderá arranjar um trabalho para depois, que nos dê, uma utilidade social, paralela a todos os trabalhos que na nossa área privada temos que despender. A reforma por questões várias, motivadas pelas políticas, colocaram-nos incapazes cedo demais, quando inda nos consideramos muito capazes de fazer alguma coisa! O trabalho é algo intrínseco ao homem, seja ele qual for e os aspectos lúdicos crescem de prazer, quando são um intervalo do trabalho!
Sempre foi falsa e de cariz arbitrário, a ideia, que as pessoas não gostam de trabalhar! Hoje vemos como tanta gente se desespera, porque não consegue encetar a sua vida profissional ou então está no desemprego e anda à deriva, o trabalho seja ele qual for é um enriquecimento de todas as formas, só ele nos pode dar realização, liberdade e independência! Esta é uma opinião pessoal, outros pensarão o contrário, mas fui consultar citações sobre o trabalho, que se coadunam com o que penso.

"O trabalho é desejável, primeiro e antes de tudo como um preventivo contra o aborrecimento, pois o aborrecimento que um homem sente ao executar um trabalho necessário embora monótono, não se compara ao que sente quando nada tem que fazer."- Russell , Bertrand

"O trabalho é a melhor das regularidades e a pior das intermitências." - Hugo  Victor

 "Não posso imaginar que uma vida sem trabalho seja capaz de trazer qualquer espécie de conforto. A imaginação criadora e o trabalho para mim andam de mãos dadas; não retiro prazer de nenhuma outra coisa." - Freud , Sigmund

"Não me lembro de alguma vez me ter cansado a trabalhar, mas o ócio deixa-me completamente exausto." - Doyle , Arthur Conan





2 comentários:

Mary Brown disse...

Manuela muitos de nós desejam hoje reformar-se não para deixar de produzir mas, sim, para poder produzir livremente. Hoje tudo se alterou no trabalho e deixou de existir o que muitos valorizávamos: o respeito pelo trabalhador e pelo seu trabalho. Hoje não se valoriza a produção mas sim a estatística que não significa mais produção. Há muita gente que conseguiu reformar-se demasiado nova e que não tinham objectivos futuros. Compreendo que o trabalho não tem o mesmo peso para todos, principalmente para quem se encontra desempregado e a passar necessidades. Necessidades maiores porque hoje há muitos trabalhadores a passar necessidades, o trabalho não tem o mesmo valor para todos. Uns são bem pagos e outros recebem uma esmola. São os mal pagos aqueles que podem concluir que a vida é muito mais que trabalho. Enquanto perdemos horas num trabalho sem as condições mínimas de satisfação o tempo vai passando e nós vamos perdendo a oportunidade de nos satisfazermos. Há muito mais que fazer na vida e não é a cumprir horários que vamos conseguir viver plenamente. Pode-se produzir muito na reforma, com uma mente livre para viver e sem limites de tempo. Beijinhos

Manuela Freitas disse...

Concordo querida amiga, que as condições de trabalho se degradaram muito, eu sei!
Para os reformados precoces os objectivos futuros, são muito variáveis e dependem muito das condições que as pessoas têm e estas foram-se tornando também mais difíceis!
As discrepâncias a nível do trabalho são realmente muitas!
No geral concordo com o teu ponto de vista, mas preocupa-me este desespero da falta de trabalho e de pessoas que vejo de nariz no ar e com ar de tédio e outras que desabafam a incapacidade da sociedade lhes dar saída!
Bom fim de semana e beijinhosss!