«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quinta-feira, 7 de junho de 2012

UM ASSUNTO NADA PACÍFICO - OS DIREITOS LGBT


Gostei de um artigo que li sobre esta temática de Valter Hugo Mãe-JL.(nº.1080)

«Adiar os direitos LGBT é adiar a humanidade. É optar pelo lado animal, irracional, que nos compõe e persistir em abdicar da plenitude afetiva que deve significar ser-se pessoa. Ser-se pessoa deve assentar na capacidade de gostar, porque só no afeto se justifica a resistência perante cada dificuldade da vida. A felicidade implica o outro ou a expectativa do outro, e quem se desmobiliza nos afectos desistiu de ser feliz. Em certa medida, quem se desmobilizou dos afectos desistiu de ser gente.»
Trata-se obviamente do latente estigma contra a homossexualidade. Existe uma falsa tolerância, quando nem de tolerância se trata, mas sim de aceitação. Aceitando a diferença como algo que a natureza define, na sua diversidade, sem condenação, nem maldade.  
É uma falácia o argumento «contra natura»! 

A homossexualidade é uma das três principais categorias de orientação sexual, juntamente com a bissexualidade e a heterossexualidade, sendo também encontrada em muitas espécies animais.

«A vida funciona de acordo com o que é. Não resolve querer mudar ou existir legislação para se reprimir o que se é. É preciso aceitar e também entender cada situação. A questão está em se colocar diante de uma realidade de efetiva evolução espiritual».

O aspeto mais delicado e controverso desta questão ainda é adoção. V. Hugo Mãe diz sobre isso:

«O desassombro em relação ao tema, será sempre seguido pela naturalidade dos miúdos. Porque o preconceito pertence aos adultos, as crianças vão sempre amar quem as ama, muito antes de saberem o nome das coisas.»

A não promulgação desta lei é uma hipocrisia, porque sempre houve e há, maneiras de contornar a questão, só que será sempre mais penalizadora, ninguém gosta de viver em ilegalidade. Acrescento que considero que a homossexualidade não é contagiosa e se um dia mais tarde forem descriminados, pela sociedade, será por esses monstros da tolerância»!

6 comentários:

Bia Jubiart disse...

Oi Manuela!

Que bom o espaço p/ o comentário voltou!!!

Um texto muito bem escrito e que nos leva a uma profunda reflexão... Tenho alguns amigos homossexuais, este início de ano perdemos um grande amigo e pesquisador assassinado, motivo? Homofobia! Não respeitar o direito de SER, deveria ser um crime hediondo com punição. As vezes o homem é u animal muito cruel...

Tenha um ótimo dia! Aqui é feriado...

Beijoooooooooo

mfc disse...

A intolerância nos mais diferentes aspectos da sociedade!
Este campo não é excepção, infelizmente!
Beijos,

Ana Echabe disse...

Em minha opinião poderia substituir certas palavras do tipo ‘aceitação por Respeito,
Respeito por cada ser humano, pela forma que melhor compreende o afeto e o amor, objeto construído da emoção subjetiva do individuo. Só com este principio de pensamento nos impossibilita de quantificar e qualificar toda a forma de relação.
Bem a tbm outra que seria melhor eliminar em se tratando de homossexualismo, a tal “Orientação”... vamos combinar... nunca vi pais falando aos seus filhos homossexuais frases do tipo:
_ Filha a Ana é uma garota que vc esta a gostar imenso dela e ela por vc, isto se mostra através dos olhares, carinho e atenção que surgi de ambas. Pq vcs então não buscam uma vida a duas, afinal estão quase sempre juntas, ou vc tem duvida?!

Orientação tem como objetivo dar rumo, norte a um individuo e isso tem se prestado por esta vida normalmente as relações heterossexuais. Penso que esta termologia pra descrever relações homo afetivo-sexuais é tentar forçar uma igualdade irreal.
Bem é inegável que o ato sexual tenha um processo “natural” entre um macho e uma fêmea pela sua formação física que pré-dispõem de cadeia reprodutora, porem estes espermatozóides não tem necessariamente a mesma quantidade de afeto pelo outro que esta sendo penetrado, ou seja, quando falamos de relações estamos tratando de sentimentos na qual vais alem da função orgânica natural dos humanos.

Sobre adoção... bem poderia dizer assim... conheço muitos lares, abrigos de proteção para criança e adolescentes vitimas de violência domestica e abuso sexual, independente de classe social e de cor. Seriam elas as melhores pessoas para rsponderem sobre o que elas compreende como um lar de afeto e amor.

Desculpa-me a demanda da escrita porem este assunto sempre é bom de se manifestar.
Bjus Manu.

Manuela Freitas disse...

Bia questionar situações é sempre salutar, concordando ou não!
Beijos

Manuela Freitas disse...

De facto mfc a intolerância ainda é pedra dominante na sociedade em muitos aspectos, embrulhada em muita hipocrisia!
Beijos!

Manuela Freitas disse...

Ana questionou a terminologia usada, mas penso que está de acordo com a questão. Agradeço o complemento dado ao assunto!
Beijos