«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quinta-feira, 31 de maio de 2012

NA CASA MIGUEL TORGA



ADOLFO CORREIA DA ROCHA/MIGUEL TORGA (1907-1995)
Miguel Torga foi o pseudónimo literário, adoptado por Adolfo Correia da Rocha, demarcando o homem do escritor, mas Torga é uma reafirmação à sua terra natal, S. Martinho de Anta, concelho de Sabrosa, Vila Real. Torga é uma planta transmontana, urze campestre, com raízes muito agarradas e duras, metidas entre as rochas.
Antes de se formar em medicina, Adolfo Correia da Rocha, esteve cinco anos (1920/25) no Brasil a trabalhar na fazenda de um tio em Santa Cruz (Minas Gerais), onde frequentou o liceu de Leopoldina. Depois regressou continuando os seus estudos e formou-se na Universidade de Coimbra, em medicina, onde se fixou exercendo a especialidade de otorrinolaringologia, paralelamente a uma brilhante carreira literária.

QUASE UM POEMA DE AMOR

Há muito tempo já que não escrevo um poema
De amor.
E é o que sei fazer com mais delicadeza!
A nossa natureza
Lusitana
Tem esse humana
Graça
Feiticeira
De tornar de cristal
A mais sentimental
E baça
Bebedeira.

Mas ou seja que vou envelhecendo
E ninguém me deseje apaixonado,
Ou que a antiga paixão
Me mantenha calado
O coração
Num íntimo pudor,
-Há muito tempo que não escrevo um poema
De amor.

(In Diário V)

VOZ ACTIVA
Canta, poeta, canta!
Violenta o silêncio conformado.
Cega com outra luz a luz do dia.
Desassossega
O mundo sossegado.
Ensina a cada alma a sua rebeldia.

(Diário XIII)






4 comentários:

as-nunes disse...

Eu gosto imenso de Miguel Torga. Seja em prosa seja em Poesia.
Identifico-me com facilidade com o seu jeito rude, ares de Marão na palavra, urze no caminho.

Não esquecer que Torga tem uma ligação muito íntima com Leiria, foi cá preso à ordem da Pide, exerceu Medicina durante um ano.

Gostei particularmente de participar ativamente nas comemorações do Centenário do seu nascimento.

Um abraço

Luma Rosa disse...

Algumas particularidades da vida de Miguel Torga que eu jamais poderia imaginar! E o poema escolhido é delicioso!!
Bom fim de semana!! Beijus,

mfc disse...

Uma belíssima homenagem (as fotos são lindíssimas...) a um Poeta de eleição que estará sempre nas nossas recordações!

Lilá(s) disse...

Gosto de Miguel Torga, e achei excelente a tua escolha do poema.
Bjs