«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




sábado, 12 de maio de 2012

PARABÉNS MANUEL ALEGRE!

Hoje dia do aniversário do poeta Manuel Alegre, um poema do seu recente novo livro de poemas.

BALADA DOS AFLITOS


Irmãos humanos tão desamparados
A luz que nos guiava já não guia
Somos pessoas – dizeis – e não mercados
Este por certo não é tempo de poesia
Gostaria de vos dar outros recados
Com pão e vinho e menos mais valia.

Irmãos meus que passais um mau bocado
E não tendes sequer a fantasia
De sonhar outro tempo a outro lado
Como António digo adeus a Alexandria
Desconcerto do mundo tão mudado
Tão diferente daquilo que se queria.

Talvez Deus esteja a ser crucificado
Neste reino onde tudo se avalia
Irmãos meus sem valor acrescentado
Rogai por nós Senhora da Agonia
Irmãos meus a quem tudo é recusado
Talvez o poema traga um novo dia

Rogai por nós Senhora dos Aflitos
Em cada dia em terra naufragados
Mão invisível nos tem aqui proscritos
Em nós mesmos perdidos e cercados
Venham por nós os versos nunca escritos
Irmãos humanos que não sois mercados.

5 comentários:

as-nunes disse...

Mais uma notícia de última hora, oportuna!

Não me passava pela cabeça que hoje era dia do aniversário de Manuel Alegre. Personalidade que eu muito admiro e sempre acompanhei, até politicamente. Quantas reuniões e manifestações em que participámos em conjunto!

Claro que tenho de minha posse este livro de poemas, já o li, ainda o tenho à mão, que dele
"sai a tinta da palavra/com que tudo se escreve e tudo/acaba."

Beijo

quem és, que fazes aqui? disse...

"Talvez o poema traga um novo dia " é o que, no fundo de nós esperamos.


Começo hoje um continuar de estar e, por isso, não tem linhas demarcantes este meu novo blogue.
Talvez olhe, muitos dias, para a velha acácia do ontem e para as suas flores e sinta a saudade do céu azul, rendilhado de tons vermelhos, e do sussurro distante do mar, do meu...
Estou aqui, assim... em http://quem-es-que-fazes-aqui.blogspot.pt/ , mais uma vez.

Beijo

Laura

manuel marques disse...

Parabéns ao Manuel Alegre.

Jinhos para ti Manu.

Ana Martins disse...

Manuela, boa noite!
Parabéns a Manuel Alegre. Não conhecia este poema que retrata na integra os dias que vivemos.

Beijinho,
Ana Martins

Duarte disse...

Um poema à altura do talento do seu criador.
Beijos