«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

DO LIXO: IDEIA AVULSA PARA DESOBEDECER COM CIVILIDADE ( via André Gago)

Fomos treinados para reciclar o nosso lixo urbano para salvar o planeta. Pagamos taxas municipais para a recolha do lixo. A separação do lixo é mão-de-obra gratuita que oferecemos às empresas que exploram o nosso lixo. Há gente que perdeu tudo e que procura, no nosso lixo, recursos para sobreviver. As empresas do sector sofrem com as perdas dessa procura e pedem coimas para os infractores. Conclusão: não salvamos o planeta, trabalhamos de borla para catadores de lixo engravatados, criamos um novo tipo de crime de “roubo” (do nosso lixo...) para os catadores sem gravata, e ainda pagamos para isso. Logo, deixar de separar o lixo em casa é repor a cadeia de valores: voltamos a produzir lixo indiferenciado (até podemos separar lixo para dar a quem precisa — ideia miserável, mas infinitamente mais justa do que a propugnada pelos catadores de lixo engravatados), e as empresas que exploram o nosso lixo que façam a triagem. Talvez criemos postos de trabalho, e continuamos a pagar as taxas municipais para recolha do lixo geral, que deixam assim de beneficiar um negócio privado. Os municípios passam a enviar um relatório & contas anual aos munícipes dos valores do negócio. E o tal “salvar o planeta”, hoje tão fora de moda (substituído rapidamente pelo “salve-se quem puder” e pelo “ricos, mulheres e crianças primeiro”, por esta ordem), fica na mesma. Até nos apresentarem uma ideia melhor, a ver se a gente topa.

2 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Não posso concordar com esta teoria.
Parece-me que devemos continuar a separar o lixo.
As empresas que procedem á recolha são pagas por nós então como já tem metade do trabalho feito devem reduzir nas taxas que pagamos

Mary Brown disse...

Eu nunca separei o lixo porque não vou muito em modas que se resumem em interesses de alguém. Se pensarmos e estivermos informados vamos concluir que se alguém se der ao trabalho pode tirar uma licença para poluir, falo de grandes empresas, o que significa que a poluição só os preocupa se não entrar dinheiro. Portanto, porque para mim tempo é dinheiro e a minha casa nunca foi nem será nenhum armazém de sacos do lixo, teria que ter 3 para fazer a separação, em vez de um, nunca me dei a esse trabalho. Além disso já pago para que alguém o faça por mim e muito. Aprendi a só fazer aquilo a que sou obrigada porque vejo por aí tanta gente que nem obrigada cumpre e a penalização que levam é zero. Já me chega ter que estar à porta a fumar enquanto eles arrecadam 50 % do preço de cada maço de tabaco. Beijinhos Linda e bom fim de semana