«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

O Amor é Mais Forte


Os amantes de hoje preferem a droga mais leve, o tabaco mais light ou o café descafeinado. Já ninguém quer ficar pedrado de amor ou sofrer de uma overdose de paixão. As emoções fortes são fracas e as próprias fraquezas revelam-se mais fortes. Os amantes, esses, são igualmente namorados da monotonia e amigos íntimos da disciplina. O que está fora de controlo causa-lhes confusão, e afecta-lhes uma certa zona do cérebro, mas quase nunca lhes toca o coração. O amor devia ser sonhado e devia fazê-los voar; em vez disso é planeado, e quanto muito, fá-los pensar. 
Sobre o amor não se tem controlo. É um sentimento que nos domina, que nos sufoca e que nos mata. Depois dá-nos um pouco vida. No amor queremos viver, mas pouco nos importa morrer e estamos sempre dispostos a ir mais além. Deixamo-nos cair em tentação, e não nos livramos do mal, embora procuremos o bem. No amor também se tem fé, mas não se conhecem orações: amamos porque cremos, porque desejamos e porque sabemos que o amor existe. Amamos sem saber se somos amados, e por isso podemos acabar desolados, isolados e deprimidos. Que se lixe! O amor não é justo, não é perfeito; no amor não se declaram sentenças nem se proferem comunicados. O amor prefere ser imprevisível, cheio de riscos e de fogo cruzado. No amor os braços não se cruzam, as palavras não se gastam e os gestos servem para o demonstrar. Amar também é lutar, e enfrentar monstros fabulosos com cabeça de leão, corpo de cabra e cauda de dragão. É uma ilusão, um sonho, um absurdo e uma fantasia. O amor não se entende, não se interpreta, não se discerne nem se traduz. Quem ama acredita, mas não sabe bem porquê, não sabe bem o quê, nem percebe bem como. 

Rogério Fernandes, in 'Alterne Activo'

4 comentários:

Mary Brown disse...

Manuela nada é como antigamente, tudo tem que ser calculado para se evitar sofrer. Antigamente entregavam-se um ao outro com a certeza que o amor era o suficiente para albergar duas almas e fazê-los feliz. Hoje antes de se entregarem precisam saber se o que sentem um pelo outro será tão forte que as redes sociais não destruirão e o desemprego ou as dificuldades monetárias não queimarão. A vida mudou mas ainda há quem ama acima de tudo e só se sinta feliz sendo amado e amando. Beijinhos

as-nunes disse...

Tal qual, Manuela.

Uma boa semana, cheia de amor, de preferência...

Ana Martins disse...

Muito bom, Manuela!

Grata por esta partilha.

Beijinho,
Ana Martins

Maria Teresa disse...

Gostei muito, Manuela. Texto corajoso como o Amor. Aquele verdadeiro de que você trata no texto.
Beijos