«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




domingo, 9 de junho de 2013

O PAÍS DO QUEIXA-ANDAR



 A Porta
Era uma vez uma porta que, em Moçambique, abria para Moçambique. Junto da porta havia um porteiro. Chegou um indiano moçambicano e pediu para passar. O porteiro escutou vozes dizendo:
- Não abras! Essa gente tem mania que passa à frente!
E a porta não foi aberta. Chegou um mulato moçambicano, querendo entrar. De novo, se escutaram protestos:
Não deixa entrar, esses não são a maioria.
Apareceu um moçambicano branco e o porteiro foi assaltado por protestos:
-Não abre! Esses não são originais!
E a porta não se abriu. Apareceu um negro moçambicano solicitando passagem. E logo surgiram protestos:
- Esse aí é do Sul! Estamos cansados dessas preferências...
E o porteiro negou passagem. Apareceu outro moçambicano de raça negra, reclamando passagem:
- Se você deixar passar esse aí, nós vamos-te acusar de tribalismo!
O porteiro voltou a guardar a chave, negando aceder o pedido.
Foi então que surgiu um estrangeiro, mandando em inglês, com a carteira cheia de dinheiro. Comprou a porta, comprou o porteiro e meteu a chave no bolso.
Depois, nunca mais nenhum moçambicano passou por aquela porta que, em tempos, se abria de Moçambique para Moçambique.

 Mia Couto



5 comentários:

✿ chica disse...

Lindo e faz muito pensar. Esses escritos é fabuloso!

beijos,chica

Maria Teresa Hellmeister Fornaciari disse...

Cada vez mais conheço Mia Couto e cada vez mais cresce minha admiração por ele. Domina o idioma lindamente e emociona e fez refletir.
Beijos

Manuela Freitas disse...

Bom dia Chica! Este escritor é fabuloso, pela forma peculiar e muito original como se expressa!
Beijinhosss

Manuela Freitas disse...

Olá Maria Teresa,
Este é um dos escritores, do qual não perco um livro, tem poesia e inovação a sua escrita!
Ando a ler presentemente Guimarães Rosa, também um recriador da língua, de uma forma extraordinária e muito compulsiva!
Beijos

Mary Brown disse...

Manuela Mia Couto é Natural de Moçambique, Beira, está tudo dito. Beijinhos