«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




domingo, 22 de janeiro de 2012

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DE SERRALVES – 2 EXPOSIÇÕES IMPERDÍVEIS


Outra vez não – Eduarda Batarda
A obra de Eduardo Batarda assume-se como um desafio: como interpretar a pintura e as suas imagens, referências e comentários? Outra vez Não, é uma exposição desde as suas primeiras obras da década de 1960 até às mais recentes, realizadas já em 2011.
A sua obra apresenta fases diferentes, mesmo antagónicas, motivam leituras possíveis e impossíveis, num trabalho que se opõe à estupidez e ignorância do consumidor de imagens ou de conceitos. Exige uma persistente prática reflexiva, de tal forma a sua cultura é diversificada, sem limites e preconceitos.
Batarda propõe o incongruente o surpreendente de forma humorista e sarcástica.
A partir dos anos 80,o jogo torna-se mais inacessível, as pinturas têm camada sobre camada que oblitera ou permite revelar outras pinturas, numa sobreposição de ambiguidades entre abstracção e figuração.
Não faltam alusões políticas «às escondidas», brincando com a censura! Um repressivo ambiente cultural em que viveu.















THOMAS STRUTH – FOTOGRAFIAS DE 1978-2010

Construção ao longo de trinta anos de uma obra onde a fotografia assume a condição de um impressionante ensaio visual sobre o mundo em que vivemos, os seus tempos e lugares.
As suas fotografias não têm artifícios, que lhes falsifiquem a condição documental. As obras em exposição são provas de gelatina e sais de prata (fotografias a preto e branco) e provas cromogénicas (fotografias a cores).