«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




sábado, 31 de dezembro de 2011

PARA TODOS MUITA «MERDE» PARA 2012!


Apostando na diferença, porque estou cansada de palavrinhas mansas e formais e antevendo um ano que não será fácil e esta já é uma forma «light» de o dizer, perante o anunciado em letras garrafais nos media, como «ano extraordinariamente difícil, desejo a todos muita «merde»!
Merda (do latim merda) é uma expressão pejorativa, de baixo calão para exprimir desprezo e indignação. No teatro antigo (e este uso estende-se aos dias de hoje), merda era utilizada na linguagem entre artistas de teatro para desejar boa-sorte. A expressão nasceu da língua francesa, merde, provavelmente no século XIX ou século XX, pelo facto de o público ter acesso ao teatro através de carruagens a cavalos que, amontoavam fezes nas suas entradas; com ironia, a expressão correlacionava o facto de haver "muita merda" na entrada do teatro ao desejo de "muita sorte" em cena.

Fiquei surpreendida, porque desconhecia que em Barcelona, nesta época os cagners são muito procurados. São pequenas figuras de barro. Fazem parte destes caganers, figuras bem conhecidas como, Obama, Merkel, Sarkozy e Bruni, William e Catherine, Rainha Isabel II, Príncipe Carlos e Camila, o Papa e todas as figuras conhecidas, políticos, cantores, futebolistas, actores, etc…

UNS EXEMPLOS:






ATÉ ME CUSTA EXPRESSAR-ME DESTE MODO, MAS…MUITA MERDE PARA 2012!