«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quinta-feira, 15 de março de 2012

Há palavras que nos beijam





Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca,
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.
Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto,
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.
De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas, inesperadas
Como a poesia ou o amor.
(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído,
No papel abandonado)
Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

Alexandre O'Neil

 fotos: google

6 comentários:

✿ chica disse...

Linda escolha.Poema lindo e de palavras poderosas!!beijos,chica

Lúcia Soares disse...

Oi, Manuela. Muito tempo sem vir ler você, agora estou me redimindo. Chego e leio essa linda poesia.
Há palavras fortes, sim, e têm uma força que, às vezes, é melhor nem dizê-las, pois não têm volta e podem agradar ou ferir.
Bom estar aqui com você.
(fechei o "De amor e de..." e agora estou com o "Sem Medida":
www.luciahsoares.com)
Abraço!

Brown Eyes disse...

Há palavras que nos beijam,como há pessoas que parece que acariciam a vida. Beijinhos

acácia rubra disse...

Este poema tem um forte significado para mim. Foi o texto da minha 1ª aula assistida no meu estágio.

Senti as palavras tão fortemente naquele dia. Sobretudo quando os alunos da turma do 8º ano, no final da aula, vieram ter comigo à secretária e me perguntaram, meios receosos e orgulhosos - "Correu bem? Portámo-nos bem, Professora?"

Foram estas as palavras que me beijaram, as de O'Neil e as dos alunos...

Beijo

ValeriaC disse...

Sublime poema minha querida...que força pode ter as palavras..
Ótimo final de semana, amiga, beijos
Valéria

anamar disse...

Palavras que beijam...
Palavras que matam...
Um pau de dois bicos.
Beijo domingueiro, Manou