«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quarta-feira, 28 de março de 2012

«STALKING» ou a incapacidade de saber perder!


Estive a rever o filme «A Mulher do Lado», filme realizado por François Truffaul, em que o argumento se centra num «amour fou» e associei aos comportamentos de stalking, estudo recente da Universidade do Minho.
Os comportamentos de stalking, vão de tentar entrar em contacto, através de cartas, e-mails e telefonemas indesejados a aparecer em locais habitualmente frequentados pela vítima, até perseguição, ameaçar a vítima ou terceiros, agressões e morte.
Há sentimentos que ao acabarem ficam mal resolvidos, uma parte não consegue aceitar a evidência de uma rutura, que pode acontecer por várias razões!
No filme há uma provocação, uma retração, querer e não querer, avançando e recuando! A pessoa deixada provoca quem a deixou, pretendendo resolver a sua obsessão, de uma forma vingativa, para motivar no outro o sofrimento, pela humilhação sofrida e, esse jogo não se compadece com nada, não recua perante nada e vai até às últimas consequências, num «nem contigo, nem sem ti».
Stalking é uma paranoia, que se caracteriza por um delírio, mas pode não acarretar o deterioramento das funções psíquicas externas à atividade delirante, podendo o seu funcionamento social, não revelar o delírio porque está a viver. Os sintomas típicos dos delírios incluem a perseguição, o ciúme, o amor (erotomania) e a megalomania, crença numa posição e poder superior.

INFELIZMENTE UM TEMA DIÁRIO NOS JORNAIS, OS CRIMES PASSIONAIS!

5 comentários:

Brown Eyes disse...

Manu encontrar alguém que não sabe perder é péssimo, infernizam a nossa vida. Infelizmente sei o que isso é, pior é quando tudo lhes serve para comparar. Um simples não já é para eles uma perca. Nunca vi as coisas assim mas convivo com esse tipo de gente 7 horas por dia.Isto não acontece só no casamento, no trabalho também. Beijinhos

Socorro Melo disse...

Oi, Manu!

Perder é difícil, e saber perder, é uma virtude. Saber perder, passa pelo amadurecimento. E quando não se é maduro, os comportamentos podem ser os piores possíveis, pois o egoísmo se eleva assustadoramente, bloqueando a razão, culminado numa loucura sutil e perigosa, que resulta nos casos reais que estamos fartos de vê na TV, nos noticiários, e bem perto de nós. É doideira mesmo.

Grande abraço
Socorro Melo

Maria Teresa disse...

Manuela:
Taí a ficção mais uma vez retratando fielmente a realidade... Por mais que avanços e progressos evidenciem-se e comprometam-se com a evolução do homem, este regride e se desumaniza com atitudes assim. Infelizmente.
Beijos

mfc disse...

Conhecia a situação mas não o termo!

Pedrasnuas disse...

Não conheço o filme...presumo que deva ser interessante...e nota-se efetivamente uma grande incapacidade em perder...é preciso aprender a saber perder...faz parte a vida!!! Estamos aqui para o verso e reverso da medalha...mas as mentes doentias...

Beijinho grande querida Manuela

(deixa que te diga; estás bem bonita com esse sorriso(na foto )