«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




sexta-feira, 9 de março de 2012

"Um dos paradoxos dolorosos do nosso tempo reside no facto de serem os estúpidos os que têm a certeza, enquanto os que possuem imaginação e inteligência se debatem em dúvidas e indecisões." Bertrand Russell


Nas minhas deambulações pelo Porto, encontrei uma placa numa casa antiga onde se alojou o Grupo Nova Renascença, que editou a revista Águia (1910-1932), de literatura, arte, ciência, filosofia e crítica social. De imediato me lembrei de Teixeira de Pascoaes, poeta que por circunstâncias especiais eu li muito cedo. Geralmente começa-se a ler os livros que existem em casa e de Pascoaes havia quase tudo. Pela pessoa que sou corre em mim muito de Pascoaes. Teixeira de Pascoaes, foi o vulto máximo e teorizador do saudosismo metafísico e consequentemente do grupo e da revista. 

A Águia teve grande impacto estético e ideológico e congregou sobre um ideal comum, diferentes tendências. Por lá deixaram trabalhos: António Carneiro, Leonardo Coimbra, Hernâni Cidade, Casais Monteiro, Sant’Anna Dionísio, Afonso Lopes Vieira, Jaime Cortesão, entre muitos outros.

Fiquei a contemplar a placa e a fazer as minhas congeminações, lamentando que não existam grupos actuantes de intelectuais, que se debrucem sobre os problemas que vivemos, não apenas aves de maus agoiros! Que não existam ideias, nem ideais! Que ande tudo tão adormecido,  indiferente, desiludido e absolutamente embrutecido ou sei lá o quê, pela crise que estamos a passar! 

2 comentários:

manuel marques disse...

Gostei.

Beijo e bom fim de semana.

Brown Eyes disse...

Admiro-me do mesmo. Não consigo perceber de que é feito este povo. Que esperam?
Beijinhos