«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quinta-feira, 1 de março de 2012

HOMENAGEM A SÉRGIO DE CARVALHO (MEU SOBRINHO E AFILHADO)





Foi no fim do mês de Março, do ano passado que o imprevisível aconteceu e no entanto houve sinais, que não deixaram de sobressaltar e de criar um clima incomodativo! Todos andavam preocupados, pedindo que se tratasse e uma hospitalização estaria para breve...mas ninguém se apercebeu que um dia de manhã bem cedo a ideia que andava a cismar há uns tempos, fosse concretizada da forma mais violenta...a esperança na vida tinha-se esgotado, a convicção de encontrar a paz foi determinante!...

OS SEUS TRABALHOS PODEM SER VISTOS EM: 

UM DOS SEUS TRABALHOS
 

13 comentários:

Bombom disse...

Querida Manú
Não é fácil penetrar na alma dos nossos entes queridos, mesmo que achemos que os conhecemos bem. Por isso nunca sabemos como ajudar...Será que podemos?...
Um dos meus sobrinhos, há 3 anos com 25 anos também desistiu de viver num mundo que não conseguia entender... O choque é imenso para os que ficam. Para eles, foi a libertação de um pesadelo. Só posso deixar-te aqui o meu grande abraço solidário, assim como para a Família. Bjs. Bombom

Manuela Freitas disse...

Querida amiga,

Realmente tens razão, é sempre difícil saber o que se passa na mente de alguém!
O choque foi realmente muito grande e esse peso sempre está em nós, embora ele desejasse essa libertação!
Obrigada pelas tuas palavras!
Bjs

Pedrasnuas disse...

Foi um criativo ,um bom criativo, um criativo de destaque!!! e depois do pouco que eu vi ...com toda a certeza tinha muito para dar!!!!Uma perda irreparável ...Bela e Justa Homenagem!!! Parabéns pelo sobrinho e afilhado que tiveste...uma Homenagem com sabor amargo!!! Beijinhos querida amiga

Brown Eyes disse...

Minha Querida escrevi esta semana sobre problemas psicológicos e a ausência de ajuda que essas pessoas têm. Referi-me mais aos homicidas que acabam por matar porque ninguém consegue analisar o que se está a passar mas eles dão sinais. Todas as pessoas que andam mal demonstram-no e tu aqui acabaste por referir que havia sinais de ele precisar de ajuda. Esta situação, para quem vive perto, deve deixar-nos completamente em baixo. A percentagem de suicídios subiu e espera-se que suba mais já que os problemas monetários são aqueles que mais os provocam. Este é um problema muito actual e tenho imensa pena que o tenhas vivido. A dor é imensa.
Um beijinho muito especial para ti.

Manuela Freitas disse...

Olá Pedras,
De facto é uma homenagem merecida, mas sofrida! Para fazer esta exposição foi retirado muito material do seu computador, que foi ampliado! Escreveu certas coisas que todos desconheciam e que nos têm emocionado bastante!
Beijinhosss e obrigada pela tua aparição!

Ana Martins disse...

Manuela, boa noite!
É uma perda irreparável. Todos nós sabemos que um dia partiremos e que todos se vão. Não há quem não passe pela dor de perder alguém a quem se quer muito mas, desta forma, choca e dói muito mais.

Beijinho,
Ana Martins

Manuela Freitas disse...

Obrigada Eyes pelas tuas palavras. De facto há sinais, muitos deles só são entendidos «a posteriori» e sempre se pensa que a pessoa não será capaz de o fazer! É um erro e um erro fatal!
Os suicídios não são noticiados na imprensa, mas de facto por conversas que se vão tendo, a aspiral está em crescente! Tempos preocupantes a todos os níveis!
Beijinhos e bom fim de semana!

anamar disse...

Manu, minha querida, como te disse andei afastada de leitras blogueiras. Nem sei o qe tenho perdido, mas há fases assim.
Vi que retomaste os comentários.

Deixo-te aqui aquele mimo sentido pela perda do Sérgio.
Gostei dos trabalhos.
Alguém grande vos deixou...
Bjs
Ana

Socorro Melo disse...

Oi, Manu!

Uma linda homenagem!

O nosso mundo interior é mesmo insondável... É difícil entender em que malhas se debatem as criaturas...
Para os familiares, um grande e solidário abraço!

Paz e bem!
Socorro Melo

Luma Rosa disse...

A vida pode se tornar uma prisão para uma alma que anseia por ser livre.
Aos que ficaram, restou a saudade!
Fui na página indicada e vi outros trabalhos, todos eles de muito bom gosto, percepção, criatividade e inteligência. Como escreveu Pedras Nuas: Uma perda irreparável.
Beijus,

Manuela Freitas disse...

Amigas Ana Martins, Anamar, Socorro, Luma, obrigada pela vossa passagem por aqui e o carinho que deixaram, foi muito gratificante para mim!
Bjs

Lilá(s) disse...

Tenho muita dificuldade em comentar este post, doí-me demais, sinto-o...
Um beijinho grande

Maria João disse...

Cara Manuela Freitas,

foi com grande tristeza que descobri que o Sérgio havia partido tão cedo, ao tomar conhecimento da exposição honorífica no Palácio das Artes.

Tive o grato prazer de ter conhecido o seu sobrinho, ainda que superficialmente, quando ele regressou à Escola Artística Soares dos Reis em 2008. Foi um aparecimento demasiado fugaz nas nossas vidas, pois em breve partiria para Lisboa, mas o suficiente para ter sobrevivido nos nossos afectos e recordações durante este tempo todo. Hoje, bem vistas as coisas e não obstante as saudades que na altura nos deixou, há que reconhecer que ele era demasiado grande para estar confinado ali e por isso partilhamos a sua alegria, a alegria da sua partida, porque o Sérgio Carvalho era um Argonauta, e foi-o até ao fim da sua vida... Percebo que não era somente a Soares dos Reis que era demasiado pequena para ele, o mundo também o era e por isso ele transbordou-o.

O que melhor guardo do Sérgio era a sua capacidade para nos fazer sentir uma certa calmaria e uma singular tranquilidade com a sua presença. Era por certo um homem de grande paz, que facilmente sabia compreender os outros, tudo aquilo que o envolvia, e que determinou, e muito bem, todo o seu sucesso precoce: o Sérgio era um ser humano intuitivamente lúcido. Gostei profundamente de o ter conhecido...

Querida Manuela, quero crer que ele soube encontrar o seu rumo, que a sua Argonáutica continuou e espero sinceramente que hoje ele habite por detrás das nuvens, para além do céu, coexistindo com a energia viva e eterna de que me fala o sol!

Um bem haja para um ser formidável que nos visitou: Sérgio Carvalho.

Maria João Campos