«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quarta-feira, 13 de julho de 2011

NAS NUVENS...


Perscruto as nuvens

Cinzentas e densas
O que sinto e não vejo
Tudo vendo pelo sentir
Que freme como um latejo…

Cheiro e cor…
Forma, densidade, volume…
Sinto sem tocar
O núcleo do sonho branco
Nas nuvens
Onde quero chegar…



Estou lá…no metacentro…
Envolvo-me...
Meu desejo central
De líquidos a explodir
Prazer de deslizar
No devaneio
Do sopro do vento
Na essência do devir…
 MF

Fotografias MF

15 comentários:

✿ chica disse...

LIndos e intensos versos.,Bela poesia e fotos!beijos,chica

Bia Jubiart disse...

Fiquei agora nas nuvens...

Que delícia de poético!

Lembrando: Amanhã vamos CELEBRAR!

Um dia luz!

Beijosssssssssss

Pedrasnuas disse...

O teu lado poético Manú...deixa vir...deixa flutuar...deixa....Estás a precisar e eu estou a gostar !!!:)

Beijusss

Beth/Lilás disse...

Bom dia, Manu!
Como gostar de olhar as nuvens também!
Imagino que por aí esteja cheio delas, neste verão europeu.
E cada vez percebo que temos poetisas preciosas nesta rede, parabéns pelos belos versos!
beijos cariocas

Bordados e Retalhos disse...

Lindo demais. Viajei e interpretei a poesia e cda vez que releio a reinterpreto. Parabéns!!! Bjs

Maria disse...

Gostei do teu poema. Mas as núvens não me inspiram palavras assim... fico a imaginar estórias do que haverá para além...
(como se nunca tivesse visto :) )

Beijo.

mfc disse...

E fica-se anas nuvens ao ler-te e ao ver as tuas fotos de nuvens!

Um dia destes publico também umas nuvens pelo Pé...!

www.amsk.org.br disse...

Belíssimo. Bravo.

Homeopatas dos Pés Descalços

Socorro Melo disse...

Oi, Manu!

As nuvens são perenes fontes de inspiração. Gosto de olhar as nuvens, e me encanta a beleza, a brancura, e imagino tanta coisa que também sinto, mas não vejo...
Belo poema, Manu. Adorei.

Beijinhos
Socorro Melo

Em@ disse...

Voltei!
gostei de te ler nas nubvens e nas entrelinhas... e de ver tão bem casadas com o texto as tuas fotografias.
beijo, Manú.

Brown Eyes disse...

Excelente Manu. Ainda não sabia que tinhas posto este blog a funcionar. O que leva os blogs a demorarem muito a abrir são as fotos que pomos ao lado. Quanto mais simples mais rápido. Está lindíssimo, adorei a remodelação que deste por aqui. Beijinhos

Artes e escritas disse...

Tem dias em que o medo é explícito. Um abraço, Yayá.

Sônia Silvino disse...

Nós é que ficamos nas nuvens com esse poema e essas imagens lindas, amiga!
Beijocas!

Glorinha L de Lion disse...

Então, minha amiga querida, agora resolveu dar vazão à tua veia que escondes de nós...lindo Manu! Muito lindo...continue a nos brindar com teus poemas! beijos amada amiga!

Malu Machado disse...

Mesmo nas nuvens podemos ser cinzas. Mas o bom é que elas, as nuvens, se movem e se colorem. Obrigada pelo seu poema. Me tocou de maneira especial.