«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




terça-feira, 5 de julho de 2011

PODE-SE MORRER DE AMOR?

Ao ler uma crónica onde se dizia peremptoriamente que ninguém morre de amor, fiquei a pensar…morrer de amor é assim d0 período Romântico… lembro Werther de Goethe, livro paradigmático desses tempos, mas todos os dias há crimes passionais nos jornais… mas isso é matar, não é morrer de amor, é uma dor e vingança de chifre!..
Quando algo é finito ou após uma zanga, chora-se, fica-se em casa, não se quer ver nem falar com ninguém…mas isto não mata! Damos cabeçadas…e mudamos de opinião uma quantidade de vezes, para continuarmos a dar cabeçadas…

To die by your side is such a heavenly way to die…só conversa?


Se esse autocarro de dois andares
Batesse em nós
Morrer ao teu lado
Era uma forma paradisíaca
E se um caminhão
Matasse nós os dois
Morrer ao teu lado
Era um prazer - um privilégio meu
Oh, há uma luz e ela nunca se apaga...

Agora há tantas crises…crise dos 3 anos…crise dos 7 anos…se ao fim de poucos meses já não mandaram o amor à fava!.. E este  amor será amor?
O lema é relativizar, deixar o «foram felizes para sempre», para «suportarem-se um ao outro sem grandes discussões»…
Crescendo, para não dizer envelhecendo, que é menos confortável, se aprende a relativizar…dá-se mais importância a umas coisas do que a outras…lamenta-se até o desgaste sofrido em discussões vãs…
Pode-se demorar a chegar a este ponto…pode-se nunca chegar…mas será mais positivo rir de quando pensávamos que o mundo ia acabar sem… ou que queríamos que o mundo acabasse com…


Ontem tive uma conversa com uma pessoa deliciosa…a Lena…a quem eu chamo fofinha…A Lena é uma adolescente de c. de 80 anos…é o rosto da felicidade…tem uma voz macia, um olhar brilhante e carinhoso, emana dela uma grande serenidade…todos gostam dela! Tem problemas de coração controlados…


-Lena tudo bem?
-Esta noite tive falta de ar…mas não vou falar disso!


É assim: está sempre tudo bem!
Faz hidro todos os dias e eu apenas três vezes por semana! Na piscina quando começa a abrir a boca, sinal de compensação cardíaca nós ficamos logo a observa-la. A Lena é uma pessoa muito querida!
Ontem no balneário outra colega contou uma anedota, sobre alguém que queria ter sexo, mas precisava de uns comprimidos e a Lena disse:

-Como estamos só aqui as três…eu e meu marido ainda fazemos sexo, não muito, mas uma vez por semana…ele quer sempre…eu é que tenho mais preguiça, mas ele é muito delicado e atencioso, sempre foi…quando casamos, andou meses para que acontecesse…eu sou carinhosa, mas não sou muito fogosa!

Conclusão para mim: a Lena viveu e vive realmente o verdadeiro amor, por isso do seu rosto emana aquela felicidade e serenidade…
Da Lena podia contar muitas coisas é uma pessoa tão peculiar!..Conheço-o há alguns anos e logo me apaixonei pela pessoa que é! 

23 comentários:

Bia Jubiart disse...

"Pela pessoa que é", estou também me apaixonando por você...

"...E desse amor se morre" este é um trecho do livro de Cantares de Salomão na bíblia, não lembro todo o versículo, mas é um deleite de poema.

Quando li o título do post, veio a mente aquele famoso poema de Camões sobre o amor...

Manu, eu e meu esposo somos casados há 7 anos, celebramos com amigos os 7 aninhos. Acho também que está crise nunca vai chegar até nós, nos conhecemos muito tarde, aproveitamos tudo intensamente, porque não sabemos até quando teremos um ao outro, então não podemos perder o precioso tempo com crises "existenciais"...

Um dia iluminado p vc!

Beijos e ternurasssssss

Lilá(s) disse...

Não conheço mas sinto que gosto dela, é maravilhoso existir uma Lena na nossa vida, tanto que com ela podemos aprender...gostei Manuela por nos teres dado a conhecer a tua Lena.
Bjs

Fatima disse...

Que lindeza de texto Manu!
Bjs.

Ana disse...

Morrer de amor?
Só pelo meu FCP!!!!!

Maria disse...

Pode morrer-se de amor, ó se pode...

Beijo.

manuel marques disse...

Citando Victor Hugo:
"Vós, que sofreis, porque amais, amai ainda mais. Morrer de amor é viver dele."

Beijo meu.

Pedrasnuas disse...

Eu penso que pode-se morrer de amor em qualquer idade...basta se deprimir e essa tristeza minar por dentro e não ter nenhum apoio...Gostei de conhecer a Lena!!!

Beijinho Manú

Artes e escritas disse...

O que eu lembro é que o Romantismo foi dividido em duas fases, a lírica e um exemplo dessa fase é José de Alencar e a pessimista e exemplifico com Álvarez de Azevedo. Além de alguns românticos tardios, dizia a professora que era a fase em que a tuberculose era uma epidemia e roubava os jovens da convivência sadia, daí o excesso. Um abraço, Yayá.

www.amsk.org.br disse...

Existem pessoas a quem vale a pena conhecer. Lena é uma delas e você também o é.

Para o povo rhom, morrer de amor é possível, dolorido, sofrido e inesquecível.
Sou bisneta de homem que pelo amor de uma romi e impedido de viver com ela, morreu de amor, de fome e de sede.
Sim, pode-se morrer de amor.

bj

Cozinha dos Vurdóns

Manuela Freitas disse...

Querida Bia,
De facto é maravilhoso quando as pessoas se entendem e aproveitam tudo intensamente e não perdem tempo com crises existenciais...como tu dizes!
Beijinhos...
Manú

Manuela Freitas disse...

Amiga Lilá(s)

Há sim pessoas surpreendentes, que logo nos inspiram respeito e carinho!
Beijos,
Manú

Manuela Freitas disse...

Fátima,
És sempre uma pessoa muito querida, mas fugis-te à questão!
Beijinhos,
Manú

Manuela Freitas disse...

Ana só tu!...kkkkkkkk
Não morro de amores futebolísticos, estou offside completamente!
De facto pela «inbicta» as festas de futebol têm sido tantas, que não é de excluir que uns copos a mais e o pé no acelerador...possam dar uma feliz morte pelo FCP! kkkkkk
Beijinhos «danadinha»
Manú

Manuela Freitas disse...

Caro Manuel,
Rendo-me a essa citação tão bela! Sempre tens uma citação a propósito...admiro a tua eloquência!
Beijos,
Manú

Manuela Freitas disse...

Pedras «iluminadas»

Concordo contigo, de facto pode-se desenvolver um quadro clínico de apatia e desânimo que leve a isso!...Mas até conheci alguém que se matou por amor!...
Beijinhos...
Manú

Manuela Freitas disse...

Querida Yáya,
Aqui não dá para dissertar sobre o Movimento Romântico, que surgiu contra a visão iluminista e racionalista e visava um exacerbamento de sentimentos...e muito mais!
Em debate sobre romantismo chegou-se à conclusão que ele está sempre subjacente em nós, de uma forma mais moderada ou mais intensa...
Beijinhos,
Manú

Manuela Freitas disse...

Cozinha dos Vurdóns,

Claro que se pode morrer de amor...aceito mal as generalizações...mas nestes tempos tão complexos o amor é muito questionável!
Beijinhos,
Manú

mfc disse...

não se morre de amor....mas pode-se entrar em depressão!
Não será isso morrer um pouco?!

Memória de Elefante disse...

Manú!
Na luz da realidade, alguém se decepciona, se afasta:está mudado.
O que para um dos amantes foi uma ópera dramática,para o outro pode ter sido uma leve peça de bulevard:não houve culpados.A vida apenas lançou mais um de seus dados, e será preciso curar-se, isolar-se,alforriar-se desse sentimento,talvez um dia recomeçar o interminável aprendizado.
Isto acontece quando amamos a nossa fantasia dele; ou ele pensava amar uma imagem que criara de nós.

Que legal a Lena, ser feliz é uma escolha e amar também!

Excelente post!!!
Um beijo

anamar disse...

Como se costuma dizer... há coisas do amor que não matam mas amolentam... por isso pode morrer algo de nós quando algo corre menos bem.

Há estórias de "Lenas"como a tua que em boa hora partilhaste.
Tive a estória da minha mãe e pai... só que ele partiu aos 71 , ela, continua bela e feliz esei que seria uma "Lena" se o seu Costa cá estivesse.

Beijo, Manú.

Malu disse...

Pois eu peguei nas mãos, ainda esses dias, o Cântigo dos Cântigos, e confesso que todas as vezes me emociono por tamanha candura e perfeitas palavras, desenhadas com o mais puro ouro a dizer de um AMOR imenso... e hoje, me emociono por aqui, contigo, Manu, com essa tua postagem tão sábia.
Hoje o amor está destituído da VIDA de tantas pessoas que você muito bem fez de enaltecê-lo por aqui.

Meu AMOR, o PÊ, tem me sido um senhor companheiro e um grande AMADO que pensei não mais existir.

E a Lena é mesmo especial.
Há poucas pessoas assim, andando pelo mundo.
Beijinhos, sempre.

Glorinha L de Lion disse...

Que pessoa fofinha, Manu...queria estar como ela...hehe ela com seus 80 tá melhor que eu....rsrs realmente ela deve amar e ser amada demais! que post encantador....beijos,

Regina disse...

Que linda, Manú!! Também me apaixonei pela Lena e por sua história de amor!

Qto a morrer de amor... talvez possamos morrer pela "falta" de amor e, não, "de" amor...

Beijos!! Saudades...