«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

OS EXTREMOS TOCAM-SE NO ABORRECIMENTO...

Incomoda-me tanto uma pessoa altamente positiva, como uma que seja negativa ao máximo.

As positivas, falando de si e da sua vida, nunca se queixam de nada. O marido é o ideal, os filhos não tiveram problemas de nenhuma espécie, são obedientes, moderados, bons estudantes e por aí fora. A casa está no sítio ideal, com um recheio do melhor. Amigos maravilhosos. Férias estupendas! Tudo nos píncaros!


Pelo contrário há um outro tipo de pessoas, que se queixam de tudo e mais alguma coisa, começam logo de pequeninas a ter problemas e depois por aí fora. É só queixas e lamentos. São dois géneros de pessoas que me cansam, umas porque têm um ego enorme que sufoca, as outras pela desgraça mais lamurienta.


Com estas pessoas de que falar? As «emproadas» só querem audição, as chorosas também acabam só por querer isso, porque nenhuma palavra de consolo é aceitável, acabo por passar por ser uma ignorante relativamente ao verdadeiro sofrimento.


São pessoas que não têm o sentido do ridículo e quando as encontro sei que vou ficar grudada por elas, até que se cansem de falar, porque qualquer tentativa de fuga até não é fácil, há sempre mais qualquer coisa a contar. Eu não consigo desgrudar, também não consigo ser mal-educada, no fundo até compreendo que as pessoas precisam de falar, mas de facto é uma seca tremenda e para quê? Obviamente que um «emproada» é pior, é daquelas que apetece atravessar a rua ou ficar a olhar uma montra, para ver se escapo, as «coitadinhas» é mais difícil, tocam-me sentimentalmente!


As emproadas são demasiado superficiais e quase sempre muito materialistas, as chorosas, por muito que eu queira não as consigo animar, são desanimadas crónicas!..


Ninguém merece isto!?..

12 comentários:

Malu disse...

Manú, linda amiga, há que se ter equilíbrio em tudo nesta vida, pois caso contrário se perde focos e orígens e vira-se ANIMAL.
Beijinhos e sempre obrigadinha pelos mails.

Glorinha L de Lion disse...

Oi Manu, eu considero que esses dois tipos de pessoas têm o ego enorme. Umas,por motivos óbvios, outras por quererem sempre chamar a atenção para si, através de desgraças e tristezas...ambas são narcísicas, e ambas chatérrimas!
Eu não tenho paciência com esse tipo de gente não...fujo delas como o diabo da cruz! hehehe beijos amiga querida,

avesemasas disse...

Há de facto esses dois tipos de pessoas, mas ambos não são felizes. Até porque as emproadas, normalmente é só fachada.

Beijinho,
Ana Martins

Nilce disse...

Concordo com a Glorinha, Manu.
Ambas são egoístas ao máximo e querem tudo para si apenas.
Também procuro ficar distante para não me afetar, principalmente das chorosas.

Minha filha acabou de sair para ir ao Correio enviar seu pacote.
Depois manto-te o nº da postagem e podes acompanhar pela net.

Bjs no coração!

Nilce

Regina disse...

rsrs... Manuzinha, querida!!!

Adorei este texto!!

Tens toda a razão, concordo plenamente contigo, os extremos nos aborrecem!!

Adorei o modo como narraste estes dois tipos de personalidade!!

Há que ser ter, realmente, muita paciência!! rs...

Um beijo!!!

Socorro Melo disse...

Manu,

Que ótima abordagem.
Concordo com tudo que você expressou. Por aqui, temos um ditado popular, que diz: será que essa pessoa não se manca? quando nos referimos a pessoas que desfiam suas vaidades ou desgraças, num monólogo interminável.

Grande abraço
e bom final de semana
Socorro Melo

Pedrasnuas disse...

O TEU TEXTO FEZ-ME RIR...E É VERDADE, OS EXTREMOS REVELAM DESEQUILÍBRIO, HÁ UM MEIO TERMO PARA TUDO... TAMBÉM ME SINTO INCOMODADA COM MEGALOMANIA...E COM CONSTANTE DRAMATIZAÇÃO DE TODOS OS FACTOS DA VIDA...AS ETERNAS VÍTIMAS DE TUDO E TODOS...AS FATALISTAS...

NÃO É A PEDRA NUA ALI...NÃO...RSRS

BEIJINHOS E BOM FIM DE SEMANA

Tati Pastorello disse...

hahaha Manú, todos conhecemos pessoas dos dois grupos. É mesmo difícil lidar com elas. Eu não tenho a mínima paciência com os lamurientos, até mesmo quando a lamurienta estou eu! Imagine com os crônicos... rsrs Quanto aos egocêntricos, acho engraçado. De modo geral são tão inflados quanto um balão, menos conteúdo que volume... Também fujo, sempre que consigo! Pior é telefone, que a gente nunca sabe como desligar... rsrs Beijos.

Lilá(s) disse...

POIS...o ideal é o equilibrio senão a pachorra esgota.
Bom fim de semana.
Beijinhos

Bombom disse...

Também não gosto nada desses dois tipos de personalidade. E tanto num como no outro caso, o egocentrismo é tanto que as pessoas nem se enxergam! Com o passar do tempo, essas pessoas acabam a falar sozinhas...Bjs. Bombom

Fatima disse...

Pior é quando a pessoa é e não consegue perceber que é ou finge de boba.
Bjs

Luma Rosa disse...

Manú, eu sou "normal" (rs*)
Toda essa conduta só a psique reconhece como sendo normal, porque assim ela responde aos olhos de quem a vê. Mas para mim, olho com certa tristeza por perceber os estágios da carência humana - do substituir dores e amores, por algo mais palpável, que seja no corpo ou na matéria em volta. Entendo até que não me afete. Bom fim de semana! Beijus,