«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




sábado, 26 de fevereiro de 2011

GOSTO MUITO DE IR CONVERSAR COM OS PATOS...



LOCAL: PARQUE DA CIDADE
MÚSICA: THAÏS (MÉDITATION) de MASSENET

12 comentários:

Fatima disse...

Que fofo Manú!
Bjs.

Elisabete disse...

Gostei muito e a música foi bem escolhida.
Parabéns. Beijinho.

Sandra Botelho disse...

Que lindo querida...
Gostoso, demais, uma paz sem explicação...
Bjos achocolatados

Lilá(s) disse...

Se não estivesse longe ía contigo....adoro essas conversas e a serenidade que eles me transmitem.
Beijinhos

manuel marques disse...

Quá,quá,quá...Traduzindo.lindo,lindo,lindo.

Beijinho.

Pedrasnuas disse...

Muito bom Manú...terei de voltar cá para apreciar melhor o que tens aqui...o vídeo está muito lento...mas o pouco que vi, gostei muito!!!

Beijinhos

Memória de Elefante disse...

Que belo lugar escolheste!

Um beijo

Bombom disse...

Gostei muito deste passeio contigo no Parque da Cidade. Quando aí for, gostava de o percorrer a sério! Bjs. Bombom

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

que vídeo gostoso... a gente sente relaxar, lugar lindo!
a música é belíssima.
boa semana

Laura disse...

Ena,escrevi, caprichei, enviei, dizia service non available, mau maria, ou ficou guardado?

Pedrasnuas disse...

Desta vez deixo uma chuva de aplausos!!! Bem merecidos!!! Parabéns Manú.

Beijinhos

ADiniz disse...

Estive outra vez pelo parque... ah...
Um silencio profundo faz aqui tudo tão cheio e ao mesmo tempo vazio, ausência.
Então comecei a fazer uma contagem, sabia que pra sentir isso faltava algo, fui caminhando em direção da água, ali avistei um pato a se olhar utilizando a água como espelho, cuidadosamente me aproximei ao seu lado, pois não queria incomodá-lo. Aguardei em silencio, ouvi um som saindo bem baixinho de seu bico, algo como um assopro messo e contínuo até ele lentamente volta o olhar pra mim e com um brilho naufrago me diz estar a lembrar de seu amor que se foi... Perguntei-lhe pra onde poderia a vida ter tirado de tão bela criatura sua felicidade...com um olhar que me cortara a pele ele responde... “seres estranhos passaram por aqui, em um gesto seduziram-na com migalhas, logo pegaram seu frágil corpo e sem poder fugir, pois suas asas presa pelas mãos destas criaturas retiraram-na d’água e levaram, dias depois veio um amigo que trabalha para outros humanos e que tinha visto minha Vedanã deitada sobre a mesa da cozinha de seus patrões ele seu surpreenderá com tal aparecia de minha amada, sua pele branca e gelada, ela que era vaidosa de suas penas suaves, macias e coloridas que penteavas fio a fio sempre ao fim de tarde. Bem foi tudo o que soube de minha amada e já não poderei ter mais outra pois somos assim destinados a escolher uma pra toda nossa vida e assim foi nós que estávamos a preparar nosso futuro pois esperávamos ter filhos.” ... Bem eu fiquei ali ao seu lado em completo silencio e vi no reflexo da água a transformação de minha face, eu já me vi feito pato.

Pois eu tbm, hahahaha
Bjinhos Manuzita