«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

PERSEGUIÇÃO! SERÁ QUE EU PERSIGO OS LIVROS OU SÃO ELES QUE ME PERSEGUEM?

Este foi o último que li, foi-me oferecido, nunca tinha lido nada deste escritor, apesar de ser muito conhecido, com a obtenção de dois Pulitzer e outros prémios.

É uma crónica da vida americana, uma meditação chocantemente crua da vida sexual e interior.


Frase a frase, personagem a personagem, tem uma destreza que poucos, ou mesmo alguns, dos seus contemporâneos conseguem igualar. Todas as páginas têm a marca da mestria.



Agora estou a ler, «Pão com Fiambre». Também ainda nada tinha lido sobre este escritor, mas nos meus passeios pela FNAC, encontrei-o e pela contra capa suscitou interesse.
O livro nada tem de floreados, mas também já não tenho paciência para muitos floreados. É um livro duro e cru, onde Bukowski, apesar de usar outro nome conta a sua vida. Estou plenamente agarrada. Já li via internet uma série de poemas que escreveu e de lírico não tem nada!...

Charles Bukowski (1920-1994) nasceu na Alemanha em 1920. Aos três anos foi viver para os EUA, tendo residido 15 anos em Los Angeles. Estudou literatura e jornalismo. Começou a escrever muito cedo e publicou os seus primeiros contos em 1944. Apenas terá começado a escrever poesia quando já tinha 35 anos. Trabalhou em bares, nos correios, estações de serviço, levando uma vida boémia à base de álcool, mulheres, apostas em corridas de cavalos e lutas de boxe. Foi várias vezes hospitalizado, devido a problemas relacionados com o consumo excessivo de álcool. De personalidade inconformada e iconoclasta, Bukowski nunca se deixou associar a qualquer movimento literário. Completamente independente, foi construindo uma obra com cerca de 40 títulos publicados. O seu primeiro livro de poesia data de 1959. Na sua campa, deixou o aviso: «Don't Try!».
Não consigo ler dois livros de prosa ao mesmo tempo, mas geralmente há sempre um de poesia ao lado e assim também ando a ler poesia russa, que conhecia muito mal.  
E ESTES SÃO OS LIVROS QUE SE SEGUEM

 PAUL AUSTER é de facto um escritor que aprecio e estou sempre atenta à saída de novo livro.









Sempre presente nas minhas leituras está o romance histórico, onde também há alguma ficção. Tenho lido vários livros desta escritora, uma especialista da História Francesa.

7 comentários:

Nilce disse...

Nossa Manu
Fica a ler o tempo todo? rsrs
Acho que ando muito desleixada. Preciso fazer uma maratona de leitura. hehe

Bjs no coração!

Nilce

manuel marques disse...

Óptimas dicas.

Beijinhos meus.

Austeriana disse...

Manuela,

Que tortura! Tanta obra sedutora e tão pouco tempo para dedicar à leitura! :)

Já li os Pecados, de Updike, que adoro, e também Li Sunset Park (de Auster, nem vou falar...).
Não li este Bukowski e não conheço Benzoni.

Obrigada pelas sugestões e boas leituras! :)

Abraço.

P.S. Só por obrigação consigo ler mais do que uma obra... Todavia, tenho que o fazer...

Laura disse...

Olaré. Não leio quase nada, estar aqui leva-me o tempo, e a vida da casa a rua chamam por mim, ler só se for um livro que me toque senão, abro, folheio, arrumo...

Um beijinho

laura

Me disse...

anotado as dicas manu querida...
eu estou lendo poesia chinesa em "um barco remanda o mar" e relendo drummond em "a rosa do povo".
bjos, ótima quinta!

Sandra Botelho disse...

É que os livros reconhecem quem gosta deles.
Bjos querida dias lindos pra ti

Glorinha L de Lion disse...

Eba, vindo de quem vem essas dicas são para ser anotadas! E eu com certeza as anotarei...nunca li nenhum desses autores, embora já tenha ouvido falar muito bem deles. Mas por enquanto, tenho que me segurar, pois estou com uns vinte ainda por ler...beijos, obrigada pelas dicas amiga querida,