«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quarta-feira, 1 de junho de 2011

CRIANÇAS...

Pieter Brueghel, "O Velho" - Jogos Infantis

Como uma criança antes de a ensinarem a ser grande,
Fui verdadeiro e leal ao que vi e ouvi.



Alberto Caeiro, in "Fragmentos"
Heterónimo de Fernando Pessoa

A Criança que Pensa em Fadas

A criança que pensa em fadas e acredita nas fadas
Age como um deus doente, mas como um deus.
Porque embora afirme que existe o que não existe
Sabe como é que as cousas existem, que é existindo,
Sabe que existir existe e não se explica,
Sabe que não há razão nenhuma para nada existir,
Sabe que ser é estar em algum ponto
Só não sabe que o pensamento não é um ponto qualquer.



Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos"

Heterónimo de Fernando Pessoa

1 comentário:

Memória de Elefante disse...

Manú!

Adorei o poema que escolheste, lindo!
Alberto Caeiro possui a mansidão e a sabedoria que os outros invejam. Aproxima-se da postura do Zen Budismo.
Para Caeiro, o importante é ver e ouvir: "A sensação é tudo (...) e o pensamento é uma doença.

Um beijo

PS:O memoria de elefante tem o rosto que se desenha em tua memória...(Sorrindo)
Agradeço sempre tuas visitas e carinho!