«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




domingo, 5 de junho de 2011

E AGORA JOSÉ?...




DOIS POEMAS DE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE


José

E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora José?
e agora, você?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama, protesta?
e agora, José?

Está sem mulher,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o riso não veio,
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora José?

(...)

No meio do caminho tinha uma pedra

No meio do caminho tinha uma pedra

tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.
Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.

            * * *

7 comentários:

Glorinha L de Lion disse...

Sou fã de Drummond, portanto suspeita pra falar, pois adoro tudo o que ele escreveu...beijinhos amiga,

www.amsk.org.br disse...

Sem comentários Manuela. Até hoje indagamos E agora José?
Esta é a nossa vida, que ele soube como poucos retratar.

bjs com admiração

Hugo de Oliveira disse...

Drummond é brilhante!
E agora José???

Lúcia Soares disse...

São dois dos mais famosos e comentados poemas de Drummond, presentes em livros didáticos, objetos de muitas análises.
Drummond é um dos "patrimônios" preciosos do Brasil.
Beijo e boa semana!

Cris França disse...

Manu, do gosto sempre pelo que é bom e belo. bjs

Socorro Melo disse...

Oi, Manu!

Gosto, especialmente, do primeiro poema. Das indagações, infindas, da vida...

Abração
Socorro Melo

Maria Teresa disse...

Círculo vicioso da vida: sempre no meio do caminho, uma pedra, sempre o esforço para tirá-la dali, para entender o significado de ela estar onde está. Sempre Drummond.
Beijos