«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




domingo, 20 de dezembro de 2009

ESTOU CANSADO - ÀLVARO DE CAMPOS



Estou cansado, é claro,

Porque, a certa altura,

a gente tem que estar cansado.

De que estou cansado, não sei:

De nada me serviria sabê-lo,

Pois o cansaço fica na mesma.

A ferida dói como dói

E não em função da causa que a produziu.

Sim, estou cansado,

E um pouco sorridente

De o cansaço ser só isto

— Uma vontade de sono no corpo,

Um desejo de não pensar na alma,

E por cima de tudo uma transparência lúcida

Do entendimento retrospectivo...

E a luxúria única de não ter já esperanças?

Sou inteligente; eis tudo.

Tenho visto muito e entendido muito

o que tenho visto,

E há um certo prazer até no cansaço que isto nos dá,

Que afinal a cabeça sempre serve para qualquer coisa.


Álvaro de Campos, in "Poemas"

4 comentários:

Glorinha Leão disse...

Embora nem todas as cabeças sirvam pra alguma coisa além de estar acima do pescoço...
Beijos

Regina disse...

Às vezes nos cansamos, porém, devemos continuar... sempre em frente!!

Querida amiga, tenha uma bela semana!!

Beijo!

Manuela Freitas disse...

Obrigada Glorinha e Regina...às vezes dá assim um cansaço, cansaço...ao ver certas coisas desagradáveis, mas evidentemente que isso não quer dizer desistência.
Beijinhos,
Manuela

Maria disse...

É preciso não deixarmos que o cansaço nos vença. É difícil, mas é possível...

Beijo