«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




terça-feira, 19 de janeiro de 2010

FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ANDRADE

Dezasseis anos depois de ter sido criada, a Fundação Eugénio de Andrade está em vias de extinção. Confrontado com uma situação financeira insustentável, o Conselho Directivo da fundação enviou ao Governo, em meados de Dezembro, um pedido de extinção. A questão estará a ser analisada pela Presidência do Conselho de Ministros. De acordo com o jornal Público, a Fundação começou a receber, em 1997, um subsídio do Ministério da Cultura (era ministro Manuel Maria Carrilho) através do Instituto Português do Livro e da Biblioteca, que terá oscilado entre os 12 mil e 19 mil euros anuais. No entanto, em 2005, quando a ministra Isabel Pires de Lima tomou posse, percebeu que não havia qualquer protocolo assinado e que o subsídio seria, então, ilegal. O cancelamento deste apoio veio contribuir para estrangular ainda mais a situação financeira da fundação que já se encontrava debilitada pela falência sucessiva dos distribuidores e do co-editor das obras do escritor falecido em 2005. A verdade é que a instituição tinha apenas direito a uma pequena percentagem dos direitos de autor e, uma vez que não tem qualquer outra fonte de rendimento para além do apoio da Câmara do Porto, a instituição encontra-se na falência.

TRISTE NOTÍCIA, ASSISTI LÁ A MUITOS RECITAIS DE POESIA. ASSIM SE PERDE UM LUGAR DE REFERÊNCIA E DE HOMENAGEM A UM GRANDE POETA, QUE VIVEU NAQUELA CASA OS SEUS ÚLTIMOS ANOS.


Urgentemente
É urgente o Amor,
É urgente um barco no mar.
É urgente destruir certas palavras
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.
É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.
Cai o silêncio nos ombros,
e a luz impura até doer.
É urgente o amor,
É urgente permanecer.
Eugénio de Andrade


MAIS POESIA DE EUGÉNIO DE ANDRADE EM: http://users.isr.ist.utl.pt/~cfb/VdS/v296.txt

3 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eugénio de Andrade não merecia isto. Não merecia ser vítima de um universo pouco transparente onde se movem muitas fundações. Não tenho dúvidas de que o Porto ficará mais pobre

Maria disse...

Assim trata este país a cultura e os seus poetas...

Um beijo

Regina disse...

Querida Manú,

É sempre muito triste ver com que descaso a cultura é tratada em um país...

Infelizmente, isto existe...

Beijo!