«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Se a poesia não surgir tão naturalmente como as folhas de uma árvore, é melhor que não surja mesmo.
(Frase dita no filme Bright Star)

John Keats (1795–1821). The Poetical Works of John Keats. 1884.

5 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Só passo, numa rapidinha, para dizer que tem um desafio lá no CR. Espero que aceite.

Maria disse...

Porque só assim é verdadeira.
Não se pode 'forçar' a escrita em forma de poema. Não sai, ou sai mal...

:))

Beijo, Manuela.

Ana disse...

Um filme excelente! Como diz o crítico, um filme que é um poema!

Gostei de conhecer o teu espaço!
Um beijo.

Regina disse...

Manú, querida, os poemas só fazem sentido, quando escritas com o coração e com o amor verdadeiro...

Linda frase!

Que sua semana seja bela e iluminada!!

Beijo!

Maria Letra disse...

Olá Manuela,
Depois dum período de 'repouso obrigatório', regresso àquilo de que tanto gosto: escrever.

Sem dúvida, Manuela. Se a inspiração acontece, o poema brota naturalmente. Contudo, deixo aqui uma reflexão pessoal: tal como certas folhas que brotam condenadas ao abandono dum olhar atento, assim acontece com a poesia, o que é pena. E mais ainda, entre as muitas folhas que nascem belas, há sempre algumas que nascem defeituosas, tal como na poesia.
Um grande abraço.