«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quarta-feira, 4 de agosto de 2010

BERTOLT BRECHT

O ANALFABETO POLÍTICO
.
O pior analfabeto
é o analfabeto político.
Ele não ouve, não fala,
nem participa dos acontecimentos políticos.
Ele não sabe que o custo da vida,
o preço do feijão, do peixe, da farinha,
do aluguer, do sapato e do remédio
dependem das decisões políticas.
O analfabeto político
é tão burro que se orgulha
e estufa o peito dizendo
que odeia a política.
Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política
nasce a prostituta,
o menor abandonado
e o pior de todos os bandidos:
O político vigarista,
pilantra, corrupto e lacaio
das empresas nacionais e multinacionais.
.


AS BOAS ACÇÕES
.
Esmagar sempre o próximo
não acaba por cansar?
Invejar provoca um esforço
que incha as veias da fronte.
A mão que se estende naturalmente
dá e recebe com a mesma facilidade.
Mas a mão que agarra com avidez
rapidamente endurece.
Ah! que delicioso é dar!
Ser generoso que bela tentação!
Uma boa palavra brota suavemente
como um suspiro de felicidade!
.

.

Estranhem o que não for estranho.
Tomem por inexplicável o habitual.
Sintam-se perplexos ante o quotidiano.
Tratem de achar um remédio para o abuso
Mas não se esqueçam de que o abuso é sempre a regra.


NADA É IMPOSÍVEL DE MUDAR

Desconfiai do mais trivial,na aparência singelo.
E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
Suplicamos expressamente:
não aceiteis o que é de hábito
como coisa natural.
Pois em tempo de desordem sangrenta,
de confusão organizada,
de arbitrariedade consciente,
de humanidade desumanizada,
nada deve parecer natural.
Nada deve parecer impossível de mudar.

SOBRE BERTOLT BRECHET AQUI

17 comentários:

Valéria Sorohan disse...

Manuela, o blog está bonito de cara nova.

Acostumar-se com o habitual é muito fácil, difíceis são as mudanças, mas depois se acostuma com as mudanças e vira habitual de novo.

BeijooO

HSLO disse...

Maravilhosa postagem para os dias atuais...


show.


abraços

Hugo

Crica Viegas disse...

Oi Manu
Eu só conhecia o primeiro texto, que por sinal é perfeito...
Muito legal ese seu post!
Mudar às vezes dói, né...mas não podemos nos fechar à mudança, ela nos tira da nossa zona de conforto mas é necessária.
Bjs

Brown Eyes disse...

Políticos e invejosos tiram-me do sério. Beijinhos

Socorro Melo disse...

Oi,

Muito interessante a definição de analfabeto político. E muito apropriado para nós, nesse ano de eleições.

Beijos
Socorro Melo

Em@ disse...

Já soube de cor muitos poemas do Brecht e falas das suas peças... hoje tenho uma memória muito mais selectiva por causa do excesso de informação...
mas ele continua actualíssimo.
beijo no coração, Manu.

manuel marques disse...

É sempre um enorme prazer passar por aqui e ler os tuas postagens.*****

Beijo.

Yoyo disse...

Manu querida,
O analfabetismo político é uma das piores pragas; o homem é um ser político por natureza.
Olha, em relação ao seu comentário em meu post, bem que eu gostaria de viver como os antigos gregos, mas a solução seria um prêmio da mega sena(a super loteria.)
Resolveria todos os meu problemas atuais,hehehe.
Beijão

as-nunes disse...

O Analfabeto político é, acima de tudo, uma Besta dum Egoísta, vangloriando-se da sua criminosa ignorância.
É que, enquanto tantos de nós, continuarmos a afirmar peremptoriamente que a política é para os políticos, não mais os interesses da maioria terão vencimento. Andaremos eternamente, Atentos, Veneradores e Mto obrigados aos senhores Drs e Engos. que se alcandoraram no poder graças à estupidez dos que nada fazem para fazer valer os seus direitos como cidadãos.

Mexam-se, indignem-se activamente, não sejam medrosos!
"O medo de sermos pobres dá-nos o orgulho de sermos escravos", um slogan anarquista? Pois que seja!
Mas devemos reflectir seriamente se vale a pena mantermo-nos apáticos face a tanta prepotência do poder instituído. E, para cúmulo, fomos nós que dissemos, sim senhor, é dessa forma que as nossas vidas deverão ser regidas.

Bj
António

SUELY PERES disse...

Achei legal o alfabeto político, pura realidade, deveria ser bem divulgado nesse ano de eleição em nosso País. beijinhos

Renata disse...

Minha Cara Manu

Receber uma visita sua é sempre um prazer, obrigada pelo carinho!

Palavras de Berdolt Brecht que caem como uma luva para os nossos momentos pré eleitorais no Brasil!

Um grande abraço,

Renata

Beth/Lilás disse...

Querida Manu!
Eu adoro Bertold Brecht, sempre muito atual, inclusive coloquei o vídeo deste primeiro poema que é genial.
Veja aqui:

http://supremamaegaia.blogspot.com/2009/08/nao-finja-que-nao-ve.html


beijinhos cariocas

Fatima disse...

Estou sempre lendo Bertolt Brecht.
Gosto muito!
Bjs.

pensandoemfamilia disse...

Não conhecia o alfabeto político, é uma boa divulgação para este ano eleitoral Muito interessante esta postagem.
bjs

Maria disse...

Brecht é visita regular por lá.
É incrível como continua tão actual!!!

Beijos.

Glorinha L de Lion disse...

Querida Manu, atual como nunca! E nos dias conturbados como os de agora, nada como ler esse post! bjs.

Isadora disse...

Manu obrigada por compartilhar conosco versos e conhecimento. Conheço muito pouco sobre ele, embora já tenha ouvido falar.
São tantas as possibilidades de conhecimento.
Um grande beijo