«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




terça-feira, 17 de agosto de 2010

CARAVAGGIO (1571 – 1610)

Igreja de s. Agostinho em Roma, a Senhora dos Peregrinos



400 anos passaram sobre a morte de Michelangelo Merise, dito CARAVAGGIO. Caravaggio, foi a terra onde nasceu. De família abastada teve como mestre Tiziano. Era aventureiro, agressivo e desabridamente sensual. Adolescente visita Veneza, vai para Roma, vivendo dos favores do Cardeal Francesco Maria del Monte. Era um homem inquieto, a sua força interior, explodia em violência e crime. Foi perseguido pela justiça, matou um nobre, Tommasoni e andou em fuga: esteve em Nápoles, Malta, Messina, Palermo. Com a possibilidade do perdão do Papa Pio V, parte para Roma, mas fica pelo caminho, o seu cadáver apodreceu numa praia de Argentário.
Malária? Assassínio?
Foi um génio que fez escola, um pintor inovador. Na Igreja de s. Agostinho em Roma, a Senhora dos Peregrinos, diviniza os pobres, mas em quase toda a sua obra a carnação luminosa das personagens é de uma sensualidade, que a regulação do Concílio de Trento, não podia aceitar, talvez por isso a morte aconteceu aos 38 anos.

Baco

Bacchino Malato

S. João Baptista

Músicos

SOBRE CARAVAGGIO: AQUI


FILME: Caravaggio: País de Origem: Inglaterra Género: Drama Direcção: Derek Jarman

4 comentários:

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Estive em uma exposição de Caravaggio há alguns meses. Fiquei encantado ao ver de perto algumas obras, é muito bonito.

Gostei de ler mais sobre sua biografia.

Bom dia

Luís Coelho disse...

Obrigado por esta partilha e também por poder saber algo mais sobre este artista.
Como artista tinha a sua queda pela beleza e sensualidade, coisas que a Igreja sempre reprimiu.

Renata disse...

"Diz a lenda que o mestre, afetado pela febre, morreu sozinho nos pântanos de Porto Ercole, a poucos quilômetros de Roma. Tinha debaixo do braço dois óleos, a "Virgem Madalena" e outro de São João Batista, que foram destruídos pelos urubus."

Felizes urubus!!! Rsss...

Voce como sempre dividindo cultura conosco, obrigada!

Nilce disse...

Obrigada, Manu, por dividir conosco mais um pouco de cultura.
Bem escrita e belas fotos nesta biografia.

Bjs no coração!

Nilce