«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




terça-feira, 24 de agosto de 2010

PALÁCIO DA BREJOEIRA

Hermínia Pais, recebeu de presente este belo palácio. Um servo a mando do pai entregou-lhe numa almofada de veludo vermelho, um pequeno cordeiro e uma chave.
Hermínia Pais, hoje com 92 anos, perdeu a mãe em criança, teve uma dura vida com a madrasta, até ao fim dos dias da mesma. O seu pai com variados negócios em Lisboa, decidiu comprar uma propriedade na província. Vendo várias casas, acabaram por chegar aos arredores de Monção e viram o palácio. O motorista parou e o pai disse: isto sim! Decorria o ano de 1937.
O Palácio foi construído em 1806, por um abastado fidalgo e encontrava-se à venda. Nada foi decidido e regressaram a Lisboa, mas o palácio não mais saiu do pensamento e, depois de posteriores visitas, a compra foi feita e o presente foi dado.


As festas que lá aconteciam eram restritas e o palácio visto do exterior supera a mais fértil imaginação. Sempre que passava por lá, como está no meio de nada, ficava quase em estado de choque, parecia que uma máquina do tempo, me levava para outros tempos.
Presentemente o Palácio abriu as suas portas a visitas.
No seu interior agora podem ser vistos lustres de cristal e bronze gigantescos, luxuosas tapeçarias, mobílias lacadas a ouro, de madrepérola e pau-preto, pratas e loiças do Oriente, tectos de caixotões, ornamentados com frescos. Junto à entrada um teatro palatino e após um lanço de escadas com longa passadeira vermelha, um jardim de Inverno, com vitrais e uma escultura do rei D. Manuel II. Outro lanço de escadas e chega-se a uma imensa biblioteca, que dá para amplos salões, sala do trono, dedicada ao rei, salas de fumo, de jantar e de armas.
No salão dos retratos régios com decoração francesa, está o retrato de Hermínia Pais com 18 anos, D. José I, D. Maria I, D. João VI e D. Manuel II. No salão de jantar uma longa mesa para 28 pessoas. A visita dá acesso ao quarto onde dormiu D. Manuel II, uma cama de dossel, com colchão de crinas de cavalo repousa sobre tapeçaria persa. A sala de armas, dá para um jardim repleto de camélias, com um lago de nenúfares, que dá acesso ao bosque.
Por lá dizem que em 1956, Salazar e Franco tiveram uma reunião secreta.
Hermínia Pais não casou, mas criou um filho, o famoso vinho Alvarinho do Palácio da Brejoeira.

15 comentários:

Valéria Sorohan disse...

O Palácio é magnífico, e são lindas as imagens. A história que cerca ele, adorei ler.

BeijooO*

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Gostei MUITO desse post. Adoro conhecer sítios históricos e saber da história que os mesmos abrigam.

Portugal tem uma história muito rica e conhecer mais um pouco dela me deixou contente. Muito obrigado!
bom dia

Maria disse...

Em dias quentes o vinho que ela criou sabe mesmo bem, assim muito fresquinho...

Beijo.

Barbie Girl disse...

Menina que palácio maravilhoso, que lugar incrível! Tenho loucura para ir a Portugal e esse dia está chegando, se Deus quiser!!
E aqui posso conhecer mais um pouco dessa história rica desse pais lindo!
Beijos

Nilce disse...

Oi, Manu

Lindo post.
É gratificante conhecer a história de um país. Fico imaginando as pessoas que ali viveram e como viveram.
Gostei muito de conhecer a história desse palácio.
Obrigada por compartilhar.

Bjs no coração!

Nilce

Maria Teresa disse...

Você nos fez subir e descer os degraus vermelhos, contemplar os lustres de cristal e imaginar quantos mistérios houve por trás daqueles muros. Adorável!
Beijos

Agulheta disse...

Palácio Magnifico que muito dignifica o país.Portugal tem uma grande história e muita dele poucos saberão principalmente as novas gerações.Nada melhor que o famoso vinho da quinta da brejoeira.
Beijinho

Sandra Botelho disse...

Puxa que lindo amiga.
A ostentação naqueles tempos não era muito diferente de hoje. mas a titulo de história é maravilhoso.
Bjos achocolatados

manuel marques disse...

Excelente .E o Alvarinho fresquinho é uma maravilha.

Beijo manú.

G I L B E R T O disse...

Manu

Tua generosidade em dividir com os outros teu conhecimentos e tua cultura é uma coisa singular aqui na blogosfera e mesmo no mundo real.

Grato por mais este delicioso texto e post magnifico!

imagens preciosas que decoram um texto valoroso!

pensandoemfamilia disse...

Olá
Belas imagens. Bom tê-la nos repassando seus conhecimentos culturais.Ainda não conheço Portugal, mas está nos meus planos.
bjs

Socorro Melo disse...

Oi, Manu!

É real? KKKK

Fiquei encantada com a descrição. É realmente magnífico.
Sonho em conhecer Portugal, Itália, Espanha, pra ver de perto um pouco da história que só conheço através dos livros.

Um grande abraço
Socorro Melo

Beth/Lilás disse...

Manú querida!
Que coisa mais linda este palácio e quanta história tem o seu rico país!
Imagino o quanto deves ficar louquinha para ver tudo lá dentro e fotografar, afinal és uma grande historiadora, não é mesmo!
beijos cariocas

Graça Pereira disse...

Querida Manuela
Acredita que no meu próximo passeio "fora de portas" irei visitar este Palácio deslumbrante que não conheço.
O nosso país tem coisas tão lindas e maravilhosas e vamos lá fora ás vezes admirar o que é menos belo...
Parabens por este postal tão convidativo...
Beijo
Graça

annie hall disse...

Um passeio a fazer ! Não conhecia , por isso obrigado.