«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




terça-feira, 10 de agosto de 2010

VIAJAR EM TI E EM MIM...«O NOME DAS COISAS»

Sophia, pelos sítios, pela família, pelos amigos, pelos que estudaram a sua obra…Sophia escreveu muita poesia, muito conto infantil, que li aos meus filhos e me encantou, A Fada Oriana, O Rapaz de Bronze, A Menina da Praia, Noite de Natal, o Cavaleiro da Dinamarca
Sophia e a sua casa em Campo Alegre (hoje jardim Botânico), onde me apetece passear no seu imenso jardim e sentar-me junto ao rapaz de bronze a imaginar Sofhia menina a andar por li…







«A ESSÊNCIA DA VIDA, A ESSÊNCIA DAS COISAS»Sophia a grega, admiradora da literatura clássica, viajou frequentemente para a Grécia, uma grande influência na sua obra.
(Fernando Pessoa influenciou a obra de Sofia de Melo Breyner. O que os dois autores têm em comum é: a influência de Platão, o apelo ao infinito, a memória de infância, o sebastianismo e o messianismo, o tom formal que evoca Álvaro de Campos.)

O Mar tem uma presença muito especial na vida de Sophia de Melo Breyner…
As grutas da Ponta da Piedade, são de uma beleza extraordinária, onde apetece percorrê-las a nado, cada uma com o seu encanto e que os pescadores baptizaram de uma forma interessante, também por lá me perdia, até a constatação que o Algarve já não era aquilo que eu gostava…


quando eu morrer
voltarei
para buscar
os instantes
que não vivi junto ao mar

A RTP2 está a repetir documentários interessantes: Sophia de Mello Breiner «O NOME DAS COISAS», segue-se: Agustina Bessa Luís «NASCI ADULTA E MORREREI CRIANÇA», Cruzeiro Seixas «O VÍCIO DA LIBERDADE», António Lobo Antunes «ESCREVER, ESCREVER, VIVER»e Jorge de Sena «O ESCRITOR PRODIGIOSO»

13 comentários:

Glorinha L de Lion disse...

Oi Manu querida, nunca li nada dela, além dos poemas que já colocaste aqui. E tb quando estive no Oceanário de Lisboa, vi os trechos dos poemas dela escritos nas paredes e achei tudo muito lindo...tenho vontade imensa de lê-la e ainda mais agora, pois tb sou louca por mitologia grega e pela Grécia. Lindo post. bjs.

Tati Pastorello disse...

Oi Manú, eu não conhecia Sophia, vou buscá-la agora. Mas veja como casou perfeitinho com o que escrevi hoje... Um dia preciso tornar-me escritora, assim todos os meus dias de angústias e solidão terão valido à pena. E meus textos não serão sozinhos, terão leitores!
Beijos.

manuel marques disse...

Viajar aqui, também é viajar no tempo e nas coisas.Mais um post fantástico.

Beijo.

Chica disse...

Que maravilha Manu! Linda postagem cheia de conteúso.beijos,chica

Bordados e Retalhos disse...

Adorei saber a história de Sophia. Cada vez aprendomais por aqui. Uma verdadeira escola, de amizade e cultura essa blogosfera. Bjs

Beth/Lilás disse...

Manú querida!
Já acertei por lá.
E quanto a Sophia só a conheço de poesias soltas, lindas por sinal e que já coloquei em meu blog algumas vezes, mas nunca li nenhum livro seu.
Gostaria muitissimo.
Deve ser uma delícia ir até onde ela vivia e escrevia tão lindas poesias.
um grande abraço carioca

Isadora disse...

Manuela sempre me agrada essa troca que temos por aqui. Eu, particularmente, nunca li nada dela, mas passo agora a ter curiosidade pelo tantinho que você colocou por aqui.
Um grande beijo

HSLO disse...

Maria Bethânia gravou um cd chamado "Mar de Sophia", lindo demais...nesse cd ela intercala musicas com poema da Sophia...Se você quiser eu passo o link do cd pra você baixar...é brilhante;


abraços

Hugo

Sandra Botelho disse...

Não conhecia amiga...
me apetece tanto vir aqui...
Sempre me alimento de cultura;.
Bjos achocolatados

Memória de Elefante disse...

Simplesmente A-D-O-R-E-I!
Sou fascinada pela poesia de Sophia!

Um beijo

Socorro Melo disse...

Oi, Manuela!

Não conheço a Sophia, nunca li nenhuma de suas obras. Achei interessante tudo que se falou sobre ela, no post.É uma boa recomendação.

Beijos
Socorro Melo

G I L B E R T O disse...

Manu

Aprendi mais alguma coisa contigo, mon ami!

Abençoada sejas tu que tem a generosidade de dividir tua inteligência e tua cultura para conosco.

Lindo, sempre lindo, aqui... aqui...

Miguel Pestana disse...

A Sophia de Melo Breyner é a minha segunda poétisa favorita, logo após a Florbela Espanca.

A verdade é que não li a poesia completa da Sophia ainda e a da Florbela, já!

E acho que será neste mês que extreará um filme sobre a vida da Florbela.