«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quinta-feira, 11 de novembro de 2010

GEORGIA O'KEEFE - THE WATERFALL - MINHA IDEIA É MEU PINCEL

  THE WATERFALL (1939, óleo sobre tela)


Sempre gostei da musicalidade da água

De ficar de olhos fechados a ouvir

Podem ser adágios, gotas de mágoa

Podem ser «vibratos» inquietos a cair!



Gosto de sentir no meu corpo o seu afago

Pode ser a chuva, a cascata, o rio… o mar

Meu Gerês, onde a água ecoa sem parar

Paraíso de águas puras de meu agrado!



Na água vejo inquietação, movimento

É como a vida, um tropel constante

Sempre a correr, não pára um momento!



Olhando a água, a vida está a passar

Ultrapassa tudo, de forma incessante

Mesmo que suspensa eu fique a divagar!..



Além de ser uma ilustre pintora, foi também uma notável personalidade, uma mulher que estabeleceu para si própria, uma vida independente e lendária, afastada da civilização, no Novo México. A fama das suas pinturas, transmitem força expressiva de cor, sensualidade codificada e uma ligação íntima com a natureza.



As suas flores (uma das suas temáticas que prefiro), surgiram num clima dos anos 20, em que as pessoas viviam fascinadas pelas teorias de Freud e viam nas suas flores e nos pormenores da anatomia das plantas, implicações verdadeiramente eróticas. O’Keefe veio a desmentir.


«Tinha coisas na minha cabeça que não se assemelhavam às que alguém me tivesse ensinado – formas e ideias tão próximas de mim – tão naturais à minha maneira de ser e de pensar que não me ocorreu reprimi-las».


O fotógrafo Alfred Stieeglitz, que exaustivamente a fotografou e com quem depois casou, foi fundamental na sua vida e na sua arte. Projectou-a, introduziu-a no mundo artístico, através da sua arte fotográfica, O’Keefe chegou à simplificação e à ampliação.


«Intuição é um método da forma de sentir de cada um intelectualmente, o âmago interno de um objecto, de modo a localizar o que é único e inexprimível nele. Se existe um meio de agarrar a realidade em termos absolutos em vez de em termos relativos, de entrar nele em vez de tomar posição sobre ele, de o compreender sem nenhuma interpretação ou simbolismo, então esta maneira é em si própria a metafísica.» Henri Bergson.


Esta foi a atitude de O’Keefe, colocar-se ela própria dentro da realidade em vez de ocupar um lugar importante dentro dela.


«Creio que uma folha de erva não é menos de que a jornada de trabalho das estrelas.»

Walt Whitman.


O’Keeffe e Stieglitz eram atraídos pelas ideias de Whitman.


O’KEEFFE – BENKE, Britta – TASCHEN
BIOGRAFIA: AQUI


Blogagem Coletiva proposta pela amiga Glorinha de Leon do Blog Café com Bolo, intitulada "Minha ideia é meu pincel".

29 comentários:

Astrid Annabelle disse...

Eu adorei sua participação Manú! Bom dia!!!
Senti olhando para a obra tema de hoje a sensualidade à qual se refere no post. Senti as formas curvas do corpo feminino...
Você se refere ao Gerês, um lugar de magia, que eu conheço por muitas fotos tiradas por uma amiga portuguesa.
Amo este pedaço de chão portugues sem nunca na realidade ter ali posto os meus pés!
Linda participação!
Parabéns...nem esperava outra coisa!!!
Um beijo grande
Astrid Annabelle

Cris França disse...

lindo Manu, senti o mesmo. bjs

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Eu fui buscar na net o que é Gerês.
E agora que vi, me encantei! Meu Deus, minha lista de lugares que quero visitar em Portugal só aumenta rs.
Até esqueci um pouco da obra e da proposta de hj ao ficar vendo as fotos do Gerẽs.

Vc assistiu o filme sobre ela? não sei se é fiel à real vida dela (bem, esses filmes nunca são...)mas é um filme muito bom. é uma grande mulher, muito à frente de seu tempo, de personalidade marcante. Era uma artista da vida, admirável!

adorei seu post, um dos que mais gostei!
bom dia

Valéria Sorohan disse...

Como é gostoso vir aqui. Sempre tem um coisa boa de se ler. Eu não conhecia a artista. A poesia, também é dela? Achei linda.

BeijooO'

Glorinha L de Lion disse...

Manu, minha amada, que lindo e sensível teu poema! Amei! O importante desta blogagem é isto: sentir, deixar vir à tona o que a tela nos transmite. E fizestes isso com maestria... também eu senti, vi, ouvi...os ecos da "minha Ilha", que andam a murmurejar dentro de mim. Beijo enorme minha amiga,

Chica disse...

Esclarecedora e linda tua participação.

Gostei de ver e ler!beijos,chica

António Rosa disse...

Olá Manuela,

Excelente post, dando a conhecer a Georgia O'Keefe.

Curiosamente, também prefiro as flores e os quadros do deserto.

Gerês: magia pura.

Abraço

António

pensandoemfamilia disse...

Olá
Linda metáfora da água com a vida e a sensualidade do feminino.
bjs

Marli Borges disse...

Manú, tua participação está simplesmente fantástica! Eu também tenho a mesma impressão ao ver essa tela. Parabéns pela postagem.
Bjsssssss

Isadora disse...

Manu, adorei a sua percepção sobre a tela e a sua descrição sobre a inquietação das águas, assim eu també senti. A água e a paz que ela correndo nos transmite.
Um beijo

Siala disse...

Manú, a sua descrição da água e de todas as emoções que ela suscita é divinal! Também eu me perco no seu som e viajo até ao infinito de mim mesma! Como já disse no Cova-do-urso, não conhecia Georgia O'Keefe. Sem dúvida uma grande mulher, além de artista!
Namasté!

Maria Letra disse...

Manuela,
Perdi a noção do tempo que me escapava num dia em que quase não consegui meia hora para almoçar. 'Senti', em cada palavra, a sua grande sensibilidade. Nunca tinha lido nada sobre Georgia O’Keefe. Encheu-me a alma. Adorei.
Embora reconhecendo o valor indiscutível de Freud, não estou muito de acordo com algumas das suas teorias, nomeadamente no que diz respeito à anatomia das plantas terem implicações eróticas ..., mas enfim, refiro este pormenor só pelo facto de, também Georgia O’Keefe, ter opinião contrária à deste médico neurologista.
É sempre com grande prazer que leio textos seus.
Um abraço.

orvalho do ceu disse...

Olá, Manu queirda
Os pensamentos que colocou no texto ficou tão pertinentes. Lindos!!! Gostei muito de refletir um pouco mais com eles.
Vc também descreveu de uma maneira tão cheia de poesia o que sentimos nós. Muito bom!!!
Alegre-se!!!
Com O'keef encantamos... "seduzimos"... embelezamos o mundo...
Muita paz no dia de hoje!!!
Bjs

Beth/Lilás disse...

Ah, querida Manú, que linda participação a tua!
Cada vez me surpreendo mais com a sua cultura e agora até casando palavras e transformando em poesia.
Quanto ao Gerês a que se refere, pensava que era uma bebida que eu tomava com amigas portuguesas quando era menina, pois sua mãe, portuguesa, tinha sempre uma garrafinha deste líquido delicioso.
Adorei conhecer mais sobre a autora aqui contigo!
beijos grandes, muitos.

Bombom disse...

Antes de ler qualquer comentário, quero agradecer-te, Manu, pelo que tenho aprendido contigo. Parabéns pelo teu Poema! Belo, leve e fresco como sabe bem, para começar a manhã.
Não conhecia esta pintora e adorei saber um pouco da sua vida e obra. Obrigada, Manu! Bjs. Bombom

Lúcia Soares disse...

Manu, deliciosa sua veia poética.
Não conhecia a pintora, mas já tinha ido ao Google saber dela.
Não participo mais da blogagem, por não conseguir desenvolver uma boa pesquisa, estou muito dispersa.
Mas adorei seu texto e pelo que já li hoje, foi o que mais gostei.
Concordo que as flores dela (embora ela negue) tenham um erotismo envolvido.
Bj

Socorro Melo disse...

Olá, Manu!

Lindo poema, Manu!A interpretação dessa tela nos faz sentir tantas emoções e refletir sobre elas.Seus versos poéticos, com pinceladas de sensualidade, e misturados com a beleza natural, das águas,nos fez sonhar, viajar...

Socorro Melo

Sandra Botelho disse...

Poxa querida amo observar as aguas de um riacho, da cachoeira ou até mesmo do mar...
Seus posts tem tudo, cultuta, ternura...tudo junto e perfeito.
Bjos achocolatados

Lianara **Lia** disse...

Olá Manu!

Lindo post! Gostei das informações.
Bela participação. Parabéns!

Beijos
Lia
Blog Reticências...

manuel marques disse...

Elegância é a arte de não se fazer notar, aliada ao cuidado subtil de se deixar distinguir. Este teu post é um pouco isso,está sublime.

Beijo.

Me disse...

Manu, não conhecia, adorei!
bjos!!!

Brown Eyes disse...

Tenho uma colega que adora pintar os quadros de O'Keefe, tenho um em casa pintado por ela. Excelente escolha. Beijinhos

Malu Machado disse...

Meu Gerês, onde a água ecoa sem parar.

Manú, sua poesia é belíssima. Uma das melhores que li por esta blogagem.

Sabe, sobre este movimento da água que sempre passa, fiquei imaginando um pequeno poema japones. "Não é o rio que passa, mas a ponte."

Bjs,

Suziley disse...

Que bela poesia, Manuela. Partilha de sentimento e de conhecimento. Parabéns!! Bela participação. Um grande beijo no seu coração, boa noite :)

Em@ disse...

Parabéns, Manú.
Gostei bastante.O Gerês é um dos meus sítios!
beijo no coração

Lu Souza Brito disse...

Manu,

Também adoro o barulho da aguá, do seu correr constante, da sua intensidade. Talvez por ter crescido perto do mar e de belas cachoeiras. Isso me fascina.
Parabéns pela postagem e informações adicionais sobre a artista.
Um grande beijo

Helena Castelli disse...

Venho trazer um pouco de poesia
e desejar que seu fim de semana seja de mil cores,
que tenhas muitas alegrias!


Com Novembro a chiar nestas cigarras
as acácias sangrando suas flores
e um sol afirmativo num céu alto

Espero a tua carta e a minha vida

Uma pausa do tempo em minhas mãos
preenchida
pela contagem das horas
nas cigarras e pétalas caídas.

Mário António
(poeta angolano)

Bjs

Lilá(s) disse...

Achei linda a poesia! também adoro o som e o contacto com a água, dão-me paz...
Bjs

heli disse...

Manu.
Que delícia navegar pelo seu blog.
Não conhecia Georgia O’Keefe e seu post deu informações preciosas sobre ela.
Adorei tudo que vi por aqui, Voltarei mais vezes.
Grande beijo
heli