«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quarta-feira, 17 de novembro de 2010

«MINHA IDEIA É O MEU PINCEL» - Edgar Degas - Danseuses Bleues

Difícil entrar neste quadro! A minha imaginação está bloqueada!



Não me vejo a dançar em pontas, se fosse a alguns anos! Agora seria de facto muito ridículo, não havia pontas que aguentassem 60 kilos, mais coisa menos coisa! Margot Fonteyn dançou até aos 60 anos, mas sujeitou-se a uma vida rigorosa!


Vou contornar o problema da divagação e escrever alguma coisa sobre o mundo do ballet, que considero fascinante! Um mundo onde fluiu o sublime, a beleza, a expressividade e a plasticidade dos corpos! Um pas-de-deux tem um encanto indescritível pela harmonia entre dois corpos! Vibrante e espectacular são os solos masculinos, os corpos viris onde sobressaiem os músculos em passadas largas e em voos de grande estilo e técnica. Lembro Rudolf Nureyev e gostava de ter visto o Vaslav Nijinski, gosto da época em que viveu, o tempo dos Ballets Russes de Serguei Diaghilev!


O Quebra-Nozes, A Bela Adormecida, O Lago dos Cisnes…quando Tchaikovsky compôs a música destes bailados era considerada música menor!.. Incrível!.. Mas há muito mais, Gyselle, Coppélia, Les Sylfides…mas também O Pássaro de Fogo, A Sagração da Primavera, A Vida Breve…e outros, claro, muitos outros!..


Nesta breve abordagem, faço questão de não esquecer, Isadora Ducan a famosa bailarina que tirou as sapatilhas e que buscou a inspiração nos movimentos das ondas e dos ventos para compor as suas coreografias, uma precursora do bailado moderno.


 
E o aristocrata Edgar Degas? Foi um ecléctico pintor influenciado por Ingres, que depois conheceu Manet e se interessou pelas gravuras japonesas…de convencional tornou-se um revolucionário, mudando a postura de ver a arte, integrado no grupo dos impressionistas que deram o primeiro passo para a Arte Moderna. Degas foi um caso à parte, aliás o movimento nunca foi uma escola, embora houvesse um postulado, que facilmente pode ser encontrado na net.



Os temas foram diversificados, mas muitas bailarinas pintou Degas!?...


Degas escandalizou mesmo a sociedade parisiense com uma pequena escultura de uma bailarina, que esculpiu depois de muito a ter pintado.


O pintor conheceu a bailarina muito jovem. A sua família era miserável, uma das irmãs era prostituta. Essa jovem estudou ballet até aos dezasseis anos e teve que se prostituir para conseguir viver.


Ao exibir esta escultura, deixou chocada toda a «boa sociedade» da época. Degas esculpiu a jovem com o propósito de deixar bem marcados na cera (material utilizado) os seus sentimentos face àquela miséria, na qual viviam milhares de parisienses. Esta atitude de Degas foi vista como uma provocação à sociedade, acabando por ser rejeitado e até mesmo humilhado. Mas ninguém se pôde esquecer que ele mudara a visão conservadora do mundo, e não se esqueceu de publicitar os problemas deste. Anos mais tarde, a famosa escultura tornou-se um ícone.




Blogagem Coletiva proposta pela amiga Glorinha de Leon do Blog Café com Bolo, intitulada "Minha idéia é meu pincel".

24 comentários:

Em@ disse...

Manú, eu gosto de dançar...
sei mesmo dançar...isto é, sei dar uns passos de dança. andei uns tempos no ballet, mas sou muito mais da música moderna (étnica/tribal é a minha preferida). actualmente faço dançoterapia com uma alemã, ex-bailarina clássica e dançoterapeuta. 1 vez por semana durante 1h 30 ou 2h, podemos exprimirmo-nos, livremente, ao som da música e das nossas emoções. claro que ela corrige posturas, ritmos e depois propõe uma coreografia colectiva com os melhores passos de cada um dos intervenientes na aula e outros propostos por ela.é interessante ver a comunhão de 5 pessoa diferentes, tanto ao nível cultural como etário.
_______
beijo

Astrid Annabelle disse...

Show de post Manú...lindo!
Me fez voar no tempo e lembrar os inúmeros ballets que assisti vida à fora.
Quantos momentos de encanto e sonho!!!
Da Isadora Duncan!!! Nossa que viagem...
Eu adorei sua participação...chegou no meu coração.
Um beijo grande e agradecido por isso.
Astrid Annabelle

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Foi linda a abordagem ao tema.
Lembrar da humilde bailarina, que foi um marco inicial para a re-análise da burguesia e seus valores.

Degas foi um revolucionário ao retratar a miséria humana na arte mais refinada e burguesa que havia.

excelente, Manu!
bom dia

Luís Coelho disse...

Gostei de ler e entrar um pouquinho neste mundo da arte onde nem sempre me consigo situar com um olhar atento e um espírito capaz de beber essas pinceladas de cor.

Poucos foram os artistas reconhecidos em vida. Muitos foram mesmo perseguidos.

Cris França disse...

Deixo aqui um comentário do amigo Marcelo Dalla, o qual sigo refletindo no meu coração "As Estrelas Nascem do Caos", Degas deve ter vivido sem poder compreender isso, uma pena, que muitos artistas só sejam valorizados após a morte, obrigada por dividir sua cultura com a gente. bjs querida

António Rosa disse...

Manuela, gostei muito da sua 'divagação', é a parte mais tocante do seu bonito texto. Sou do tempo de ter visto Margot Fonteyn em palco, na Gulbenkian.

Chica disse...

Mesmo dizendo não te inspirarm tua participação foi legal e elucidativa,trazendo lindos detalhes.

beijos,tudo de bom,chica

Isadora disse...

Manu, e viva a nossa dança, a essa arte que nos apresentou muitos bailarinos maravilhosos e que agradaram nossos olhos com seus gestos tão delicados!
Sou fã de carteirinha da Isadora Ducan, afinal o meu nome foi em homenagem a ela. Uma revolucionária da dança, que escandalizou a sociedade, ao propor uma nova forma de bailar, mas que deixou seu legado!
Um grande beijo

Glorinha L de Lion disse...

Manu, minha querida, me destes uma aula de história. Eu acho essa escultura da bailarina uma das mais belas obras de arte do mundo e não sabia sua estória.
Muito bom teu post, bem elucidativo. Beijos querida amiga,

Socorro Melo disse...

Olá, Manu!

Gostei da introdução, me diverti com as suas divagações, kkk

Mas,brincadeiras à parte, adorei a sua postagem, e me deliciei com as informações, tão preciosas, sobre ballet, e sobre a vida do Degas.

Maravilha!

Beijos
Socorro Melo

orvalho do ceu disse...

Oi, Manuela querida
Vc realçou detalhes da vida do Artista plástico... foi bom conhecer um pouco mais da sua vida...
Obrigada por pincelar a influência que teve o balett na vida dele.
Tenha paz e saúde!!!
Bjs de paz.

pensandoemfamilia disse...

Oi Manu

Grata por fazer da coletiva um conteúdos tão interessantes sobre o pintor.
bjs

Lianara **Lia** disse...

Oi Manu!

E disse que não estava inspirada heim?...rs

Foi show a sua participação com uma ótima aula. Adorei!

Beijos
Lia
Blog Reticências...

Siala disse...

Uma abordagem fantástica! Viajei pelo Ballet e Ballets da minha vida, obrigada!
Namasté

manuel marques disse...

Bailei enquanto lia este maravilhoso texto.

Beijo.

Suziley disse...

Oi, Manú:
Bela postagem e participação. Sensibilidade e conhecimento. Sabe, que quando vi também a tela escolhida, eu me lembrei da talentosa bailarina norte-americana, Isadora Ducan. Quando puder e quiser, leia o texto que escrevi para ela sob o título "Ducan, a inovadora", postado em meu blog aos 22/02/2010. Acredito que vai gostar. Assim como eu também gostei muito da sua participação. Parabéns!! Beijos, boa noite :)

Nilce disse...

Que gostoso de ler este post Manu. Gostei muito da lembrança da bailarina que revolucionou a dança.
Sensacional, gostei muito.

Bjs no coração!

Nilce

Nilce disse...

Que gostoso de ler este post Manu. Gostei muito da lembrança da bailarina que revolucionou a dança.
Sensacional, gostei muito.

Bjs no coração!

Nilce

Bombom disse...

Manú, não digas a ninguém que não estavas inspirada, porque depois de "te" ler, ninguém acredita! Eu gostei muito de saber mais sobre Dégas. Não conhecia a escultura da Bailarina, nem a sua história. Quando te visito, saio sempre mais enriquecida. Obrigada! Bjs.

Beth/Lilás disse...

Amiga Manú!
Cheguei tarde, mas postei e agora estou a visitar os amigos queridos.
Sua postagem está brilhante, deu-nos uma panorâmica histórica e adorei conhecer melhor sobre este grande pintor e artista!
um forte abraço carioca

Susana Vitorino disse...

Manú, adoro provocadores! Agitadores de consciência. Obrigada por ter homenageado Degas desta froma tão bela*

Um abraço e LUZ*

Luma Rosa disse...

Imagino o choque quando a escultura foi mostrada! Sei que esta não é original, foi esculpida em bronze depois de sua morte. A de cera original, por onde anda?
Manú, quando olhei esta tela de Degas a primeira vez, fiz uma analogia das saias das bailarinas com as águas de um mar turbulento, como se elas estivessem envoltas em marolas. Pura imaginação, mesmo! (rs*) Beijus,

Malu Machado disse...

Oi Manu,

A dança sempre fez parte da minha vida. Adoro dançar, qualquer tipo de dança. Mesmo. E ver você escrever sobre Isadora Duncan. Para mim, a mais encantadora das dançarinas. Libertária, destemida, pura emoção.

Linda sua leitura sobre a obra.

Um beijo grande,

Pedrasnuas disse...

UM POST MARAVILHOSO...UMA LIÇÃO DE ARTE!!!
ISADORA DUCAN ...TENHO ALI UMA REVISTA QUE FAZ UM BREVE RELATO ACERCA DA SUA VIDA E A TRÁGICA MORTE.
OS IMPRESSIONISTAS ...REMETE-ME PARA A ALTURA EM QUE ESTUDEI NA UNIVERSIDADE.

BEIJINHOS MIL