«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Blogagem colectiva sobre sentimentos. Promotora, Glorinha L. de Lion (Blog Café com Bolo).Tema «FELICIDADE»

(Nós andamos no alto-mar, aproveitemos quando as águas estão tranquilas, para navegar e ter uns momentos felizes)

Esta blogagem: sentimentos/emoções, destaca os mesmos, mas todos os sentimentos e emoções se interligam.
Felicidade ou eudaimonia, como diziam os gregos, é assim uma palavra que me enche a boca! Tanto se fala de felicidade, com muitos equívocos e «lugares comuns». Felicidade não é a saciedade, nem uma alegria permanente.

Já ouvi dizer: «Os idiotas, são sempre muito felizes»! «Quanto menos cultura e informação, mais feliz se é!» «Não é preciso ter muito para ser feliz, quando menos se tem, maior é a felicidade!» «Ter saúde, paz e amor é ser-se feliz!» «Com a graça de Deus sou feliz!». «Como posso ser feliz neste mundo onde há tanta dor e sofrimento!». «Felicidade não existe, só momentos felizes!» E blá,blá,blá…

(A vida é como uma selva, onde temos que procurar os caminhos mais seguros e tranquilos, para chegarmos às clareiras da felicidade)

Sobre a felicidade, há «ziliões» de textos literários, filosóficos, psicológicos…muitos já nos passaram pelos olhos, pode-se dizer que há vectores comuns, mas se pretendemos ir por aí, cai-se inevitavelmente nos lugares comuns. Um dia deram-me o livro, A Conquista da Felicidade, de Bertrand Russel, porque eu andava muito infeliz. Este livro, é quase um livro de auto-ajuda e eu sou bastante avessa aos livros de auto-ajuda, possivelmente porque sei detectar os problemas e como resolvê-los, por vezes não os resolvendo! Livros de auto-ajuda, geralmente implicam abdicação de sermos nós próprios, chegando mesmo a uma despersonalização, o que por outro lado me faria infeliz, eu sou o que sou, com o bem e o mal que trago comigo, tentando melhorar, obviamente.
A felicidade parece-me exactamente uma conquista pessoal de cada um.
Eu considero-me feliz se a minha vida fluiu com saúde, com a satisfação das necessidades e afectos básicos, porque isso alimenta o meu gosto de viver, sentindo grande curiosidade por tudo que faz parte da vida.
Se me interrogar sobre os grandes momentos felizes que já vivi, tive muitos, a minha família tem-me feito feliz, depois o espírito com que vivi a Revolução dos Cravos foi de felicidade (a tristeza veio depois), os meus anos de faculdade, foram momentos felizes, conhecer certas pessoas também, mas indiscutivelmente que penso em imediato no nascimento dos meus filhos, porque aí vivi o «milagre» da vida. Há tanto para ser feliz, entre as infelicidades que se vão vivendo! Ser feliz, nesta rápida passagem por esta vida é o mais importante para todos.

17 comentários:

Manuela Freitas disse...

Peço desculpa aos meus seguidores, mas estando fora do meu habitat, não tive grande tempo para esta blogagem, além disso não posso fazer os comentários habituais, só quando regressar.
Beijinhos,
Manú

Chica disse...

Fizeste o essencial e disseste tudo...

Temos tanto pra ser feliz, basta olhar e estar atentos ao passar pela vida.

Gosto das pequenas coisas ,elas dão grandes alegrias.um beijo,tudo de bom,chica

Fatima disse...

A felicidade é como a gota
De orvalho numa pétala de flor
Brilha tranquila
Depois de leve oscila
E cai como uma lágrima de amor
Tom Jobim


Bjs.

Glorinha L de Lion disse...

Querida, andas aí pelas "minhas terras"? Mas teu post está lindo...dissestes a verdade, a felicidade é feita de pequenas coisas, grandes momentos que por serem únicos, se tornam especiais. Definir a felicidade não é fácil. E soubeste fazê-lo com maestria. Beijo enorme minha amiga, leva contigo um enorme beijo à terra de meu avô.

Nilce disse...

Oi, Manu

Concordo plenamente contigo quando fala em "ser feliz" e em momentos de pura felicidade.
Falou pouco e disse tudo.
Parabéns!

Bjs no coração!

Nilce

António Rosa disse...

Manuela

Gostei imenso do seu post, muito do dia-a-dia, do seu cotidiano.

Gostei muiot.

Abraço

António

Valéria Sorohan disse...

Post perfeito, eu também acho que a felicidade é uma conquista pessoal de cada um.

BeijooO*

Deia disse...

Oi Manu! Concordo com sua linha de pensamento. E, apesar de sucinta, você foi clara em seu ponto de vista!
A felicidade entrecorta nosso dia a dia, revezando por vezes com a infelicidade. Mas, é um jogo de tabuleiro, e cada um tem a sua vez! Um beijo, aproveite onde quer que esteja! Deia.

orvalho do ceu disse...

Oá, pessoa feliz!!!
Quanta FELICIDADE!!!
Alto mar... águas tranquilas... saúde... paz... amor... CONQUISTA PESSOAL... satisfação das necessidades e afetos básicos... VER NASCER OS FILHOS...
Hum!!!
Que delícia de vida!!!
Bjs felizes.

manuel marques disse...

Que sejas muito feliz.

Beijos Minha querida

Isadora disse...

Manuela, a felicidade é subjetiva e cada um de nós tem seus motivos ou o que considera que nos fez feliz.
Alguns momentos com certeza serão parecidos, mas o importante é que a felicidade depende de cada um de nós.
Boa viagem e bom regresso.
Um beijo

Sandra Botelho disse...

Felicidade...
Como definir?
são tantas definições, mas não creio em felicidade, mas sim que vivemos momentos de felicidade.
Concordo contigo amiga .Bjos achocolatados

Lúcia Soares disse...

Manu, bem que senti sua falta, mas também só agora à noite consegui ler mais blogs.
Você disse tudo para que entendamos que a felicidade vem de dentro, que poucas coisas nos fazem infelizes, pois a vida nos oferece seus encantos e precisamos apreciá-los. Para muitos só as grandezas materiais importam, mas nem por isso são mais felizes do que os que têm olhos para ver e enxergam a vida com toda a sua exuberância.
Um beijo do amado e dos filhos pode ser o máximo de felicidade para uns e não significar nada para outros.
Vai-se saber o que anda pelos corações...
Beijo, boa viagem, e bom regresso.

Macá disse...

Manuela
Acho que o meu texto de hoje vai de encontro ao que você falou no final do seu.
O nascimento dos filhos.
Pra mim foi um momento de felicidade completa. Hoje, consigo ser feliz com pequenas coisas, como o fato de acordar todo dia com o marido ao lado, de poder andar, de ter onde morar e ter o que comer, de poder olhar e enxergar que podemos ser felizes sim.
um beijo

Astrid Annabelle disse...

Olá Manú! Bom dia!
Ontem não visitei ninguém e somente fiz um pequeno post no final do dia...andei sem net...
Sabe, a felicidade acontece em instantes mágicos, se estivermos atentos, é claro!
Agora a maior de todas sem dúvida é a felicidade de ser mãe...imbatível e inesquecível!
Um beijo grande amiga
Astrid Annabelle

Socorro Melo disse...

Oi, Manu!

Excelente texto. Também penso que felicidade é tudo aquilo que nos plenifica e nos traz o gosto de viver. E que a junção de pequenas coisas, pequenos prazeres, realizações de projetos, saúde, filhos, principalmente, nos envolve nesse estado. É acima de tudo uma escolha nossa, pois, às vezes, existem pessoas que têm tudo isso e se consideram infelizes. Somos felizes apesar das adversidades da vida.

Seja muito feliz!
Socorro Melo

G I L B E R T O disse...

Manu

O essencial está aí... a tua inteligencia que tão generosamente repartes conosco!

Grato, mon ami, grato!

Estejas bem agora e sempre!