«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quinta-feira, 23 de setembro de 2010

EU MINTO, TU MENTES, NÓS MENTIMOS...

Numa conversa entre conhecidos, falou-se da mentira e da forma banal como hoje predomina em todas as esferas e muito nas altas esferas. Político que não seja mentiroso, não tem carreira. Divagou-se sobre a mentira e até que ponto ela está colada à nossa pele desde crianças.
Obviamente que todos nós sabemos, que sem intenção maldosa, as crianças contam grandes histórias fantasiosos, cheias de imaginação. Mentem quando fazem asneiras, para serem crianças «boas». Claro que as crianças não mentem como os adultos, mas as crianças devem ser desmotivadas a mentir e nada melhor que uma conversa serena, com disponibilidade e compreensão.
É muito natural uma criança, quando interrogada sobre o que está a fazer, dizer: nada! Mas também entre irmãos, quando uma asneira é feita, o que não fez a asneira, assumir que a fez! É uma nobre e generosa mentira. Ou então eu que tenho dois filhos, perguntar: quem fez? Resposta dos dois: eu não! Muitas coisas aconteceram em minha casa misteriosamente!
E quem ensina as crianças a mentir? As pessoas que as rodeiam e a forma como lidam com elas, a exigência, a grande expectativa, a agressividade, a censura…Por vezes exige-se muito a uma criança!
Crescemos e a mentira anda sempre à nossa volta e como eu detesto a mentira! Nessa conversa houve quem considerasse, que a mentira também tem aspectos positivos, obviamente se não causar prejuízos e não for por cobardia, medo ou ódio…Eu rebati, defendendo a verdade ou em último caso a omissão…Então alguém me atirou com esta:
- Em Amesterdão, naquele anexo onde os Frank se foram esconder, se tu fosses vizinha desse casal, tinhas coragem para os denunciar?
Obviamente que eu disse: Claro que não, com certeza que dizia que os desconhecia!
Fiquei a pensar no livro: Diário de Anne Frank. Foi um dos livros muito marcantes que li na adolescência





Annelisse Maria Frank, mais conhecida como Anne Frank, (Frankfurt am Main, 1929 — Bergen-Belsen, 1945) foi uma adolescente alemã de origem judaica, que foi morta aos 15 anos num campo de concentração. O seu diário foi publicado pela primeira vez em 1947 e é um dos livros mais traduzidos em todo o mundo.

MAIS SOBRE ANNE FRANK AQUI

20 comentários:

Brown Eyes disse...

Sou contra a mentira, acho que os mentirosos são pessoas cobardes que além de não se assumirem não assumem o que fazem. Levei muita tareia do meu pai por não ser mentirosa, bastava dizer não fui ou não sei mas, se fui eu e se sabia!! Quanto à Anne Frank já é outra coisa, o que não se faz para salvar alguém? Nada de confusões, aí estão vidas humanas em jogo.
Beijinhos

Tati Pastorello disse...

OI Manú, grande reflexão, como sempre. E que pergunta, hein? Assim, à queima roupa... Olha, também vejo estas mentiras importantes, raras na vida. E que começam quando brigamos com o delator. Na minha casa o delator (a irmã que acusava a outra, na verdade) era mais punida do que a própria arteira. Isso por que meus pais tem horror ao tal do alcaguete. Também não gosto. Há ainda o estímulo à criatividade e imaginação. Muitas vezes não é uma mentira deliberada que uma criança conta, é apenas uma historinha imaginada, e isso é saudável. Acho que mais do que pensar na mentira em si, devemos pensar nas intenções por trás delas, aí é que está o grande desastre... Adorei seu texto. E finalizou brilhantemente.
Um beijo.

Luís Coelho disse...

Não gosto da mentira nem de pessoas mentirosas, vis e cobardes....
Este mundo anda louco e os nossos políticos são pessoas com vidas sujas e vergonhosas. Sob a capa da mentira todos os dias proclamam mais coisas e mais vitórias mas a verdade haverá de ser mais luminosa e deixá-los de... "calças na mão"

Misturação - Ana Karla disse...

Todos abominam a mentira, da boca para fora.
Mas sabemos que não existe um bom motivo para mentir, pois o nome já diz: mentira.
As crianças são exatamente o que os adultos são ou passam para elas.
Como citou, as vezes por medo da repressão elas mentem por si.
Lamentável.

No outro caso, é uma situação isolada, digamos assim.

Bom dia Manu!

Xeros

Deia disse...

Oi Manu! Fui acompanhando o teto, fazendo que "sim" com a cabeça e, a chegar no ponto alto da história, peguei-me como você: surpresa! Nada é ferro e fogo na vida, quanto mais vivemos mais nos damos conta que o absoluto não existe. Devemos ter discernimento nas situações e a humildade para entendermos que erraremos muitas vezes. Um beijo, Deia.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

mentir é uma maneira hipócrita e simplória de lidar com a realidade.
é mais fácil mentir do que encarar os fatos, falar o que pensamos, agimos, o que fizemos.

desculpe comentar dessa forma, mas é uma visão muito pobre de espírito a pessoa que te perguntou se vc delataria uma família devido ao fato de não mentir.
Neste caso a verdade significa a morte de uma família inteira, inclusive crianças. Qual seria a dor maior? A de mentir ou entregar uma família? Não gosto desse tipo de argumento extremista e exagerado.

É um dos livros que também mais me marcou na vida.

bom dia e feliz entrada de outono

Fatima disse...

Eu não minto nunca!
Ops, acho que falei uma mentira!Rsrsrs
Ótimo texto Manu!
Bjs.

Beth/Lilás disse...

Manú,
Também abomino a mentira e aqui em casa todos são assim, por isso esta indignação quanto ao que vem acontecendo debaixo de nossos narizes na política. Ficamos estarrecidos em ver como se mente fácil e com tanta naturalidade que até acreditam na mentira que inventam.
Quanto ao Diário de A.Frank, já tive vontade de ler, mas sei do sofrimento que ela passou naquele tempo horrível e não tenho coragem, sei que ficarei muito triste e impressionada, mas já li por alto e já muito ouvi comentarem sobre o livro.
E se fôssemos vizinhos dela, na época, com certeza, faríamos o mesmo, calaríamos para poupar sua vida. Isso não é mentir e sim omitir.
beijos cariocas

Pedrasnuas disse...

TODOS JÁ DEMOS UMA MENTIRINHA COMO DESCULPA...DAQUELAS QUE NÃO PREJUDICAM NINGUÉM...ATÉ ESSAS JÁ NEM UTILIZO...AMADURECI O SUFICIENTE PARA ASSUMIR O QUE NÃO ME APETECE FAZER...
MAS REALMENTE AS CRIANÇAS MENTEM...UMAS MAIS QUE OUTRAS...E A CULPA É NATURALMENTE DOS ADULTOS QUANDO AS ENGANAM E MENTEM-LHES...ASSIM DÃO O EXEMPLO,O MAU NATURALMENTE,DEPOIS EXISTEM OS MENTIROSOS COMPULSIVOS...AQUELES EM QUE SE DEIXA DE CONFIAR E ATÉ DE ACOMPANHAR...SÃO PESSOAS DOENTES QUE ACREDITAM NAS SUAS MENTIRAS COMO SE FOSSEM VERDADES.

NO CASO DA ANNE FRANK JUSTIFICAVA-SE PLENAMENTE, DETESTO O "BUFO", AQUELE QUE ENTREGA SEJA QUEM FOR PARA SER O BONZINHO DA FITA SEM OLHAR A MEIOS...

BEIJINHOS

Astrid Annabelle disse...

Eu detesto a mentira Manú.
Fui criada dessa forma, sem mentiras e repassei isso para meus filhos dando o exemplo. Hoje para os netos igualmente.
Acredito que nem se deva discutir sobre isso.
Sente-se de longe o cheiro da mentira e infelizmente você tem razão...a mentira rola solta atualmente nos mais diversos setores da vida . E é de forma descarada!!!
Sobre o Diário de Anne Frank:
Senti o mesmo que a Beth...achei triste demais e não consegui criar coragem para ler,mas conheço alguns trechos...
Belo texto.
Um beijo
Astrid Annabelle

Nilce disse...

Oi Manu

Tenho pavor de mentiras. Assim fui ensinada e assim ensinei aos meus.
Quanto a Anne Frank, seria um caso à parte. Eu também não contaria jamais. Concordo em se chamar de omissão, um caso de socorro a quem necessita. Estaria fazendo um bem.
Agora, as mentiras de erros prejudiciais, o fingimento pra se dar bem a custa de humildes e talvez tolos, ah, isso me enoja.
Sem comentários.

Bjs no coração!

Nilce

Bordados e Retalhos disse...

Manu, mude pra cá e venha viver a primavera. Serás muito bem vinda. Não estou mentindo!!!Rsrsrs. Bjs

manuel marques disse...

A verdade existe. Apenas se inventa a mentira ...

Beijinhos Manú.

Duarte disse...

Quantos livros vendi do Diário de Ana FranK!... Milhares. Principalmente em Plaza & Janés, mas segui vendendo-os em Carroggio.

Todo o mundo mente, mas existem muitos tipos de mentiras e modos de mentir. A deformação duma realidade é uma mentira mas pode não afectar negativamente, pois a intenção é somente de atenuar o problema. Os realmente preocupastes são os mentirosos compulsivos, que nunca dizem a verdade e semeiam o mal.
Os que mais mentem, os políticos, e mudam de "camisa" frequentemente.

Um grande abraço

Glorinha L de Lion disse...

Manu minha amiga, tu és como eu, detesta mentiras, mas neste caso, realmente é uma exceção à regra. mas sempre fico pensando, será que eu seria tão corajosa assim? Arriscaria minha família e não denunciaria? Sempre gosto de me torturar com essas perguntas que geralmente as pessoas não se fazem. todos mentem para si mesmos, dizendo que não farima, sem pensar nas outras possibilidades. Já pensastes nisso minha amiga? Que estaria talvez colocando em risco a ti e a tua família se negasse conhecê-los. Eu não sei, juro que não sei...só mesmo vivenciando uma situação assim para saber como agiríamos.
Afff....deu até dor de cabeça. Beijos, belo post sobre os questionamentos internos, adoro posts que nos façam refletir.

Maria Teresa disse...

Manuela:
A mentira é mais uma das máscaras que usamos para esconder nossas fragilidades. Às vezes é aliada, apesar da hipocrisia que traz junto consigo. Paradoxal mesmo!

Quanto à Anne Frank, também para mim ela foi e sempre será uma das personagens reais que muito me ensinou sobre a vida e sobre as mentiras. Sobre as boas mentiras.
Beijos

Ana Paula Sena disse...

Olá, Manuela

A pior mentira é aquela que é compulsiva. Mas isto é só uma parte da questão. Porque, para complicar um pouco, eu diria que também há a verdade da mentira.

O exemplo que dá, acerca da Anne Frank, é muito bom para considerarmos o nosso constante confronto com os chamados dilemas éticos.

Deixo um beijinho grande.

Memória de Elefante disse...

Manu!

Quando a mentira for por uma bela causa ,então vale mentir!Pois acaba sendo uma verdade...

"O poeta é um fingidor/ Finge tão completamente/ Que chega a fingir que é dor/ A dor que deveras sente." Os versos, do português Fernando Pessoa, se adequam perfeitamente a Manoel de Barros, advogado de formação, "fazendeiro por necessidade e poeta por ócio.
Aos 93 anos,o grande poeta Manoel diz a verdade quando se define como um mentiroso.

Um beijo

Crica Viegas disse...

A mentira faz parte de nós, assim como a verdade...somos seres ambíguos pro natureza, o que nem sempre é agradável ou confortável pra nós, porque todos usamos máscaras e vestimos personagens, isso faz parte da vida, mas saber o exato momento da verdade ou da mentira e fazer a escolha é difícil...amei o seu texto: forte, corajoso e disse o que tinha que ser dito.
Bjsss

Pedrasnuas disse...

OBRIGADA PELAS PALAVRAS DE INCENTIVO.

BEIJINHOS PARA TI MANÚ