«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




domingo, 26 de setembro de 2010

DEMOCRACIA QUE TE PARIU!...

W.

REALIZADOR : Oliver Stone


Com: Josh Brolin, Thandie Newton, Elizabeth Banks, Richard Dreyfuss

Um dos mais controversos e incómodos realizadores, Oliver Stone, o cineasta de "Platoon - Os Bravos do Pelotão", "JFK", "Nascido a 4 de Julho" ou "World Trade Center", apontou a câmara a George W. Bush. Crónica sobre a vida e mandatos do 43º Presidente norte-americano, é uma inquirição ao percurso de um homem que passou do estatuto de alcoólico, mulherengo e irresponsável a líder da mais poderosa potência mundial. O retrato de lutas e triunfos, dos demónios interiores e da fé, das críticas à decisão de invadir o Iraque.
Stone retrata Bush como um Presidente "doméstico" e "pequeno", um texano pouco à vontade fora do seu rancho, mas a verdade é que o filme é também ele próprio incapaz de fugir a essa dimensão "doméstica" e "pequena". Não fui ver este filme, quando ele passou nas salas de cinema, porque nessa altura estava cheia de Bush.

Não recomendo este filme, não revela nada de novo, mas depois de o ver fiquei a pensar na democracia  (demo=povo e kracia=governo), regime onde se expandem os jogos de interesses, assim o povo é alienado e vota num imbecil, num incapaz e num irresponsável. Quantos não estão a governar? Podia citar vários: Berlusconi, Sarkozy... e outros...
Considero a frase de Winston Churchill, bastante interessante: A democracia é a pior forma de governo, excepto todas as outras que têm sido tentadas de tempos em tempos.


Depois de ver o filme, vi o programa «EIXO DO MAL» e fiquei siderada com a mostra de vídeos da
CAMPANHA DE Jeferson Camillo 1102 – Candidato Deputado Federal por S. Paulo! Perante estas coisas tenho que confessar que me sinto «aparvalhada» e a reflectir: tudo é possível, tudo pode acontecer!...Obviamente que pensei logo: vamos ter isto por cá? Se isso acontecesse com a permissão das entidades competentes e a aceitação de outros concorrentes, eu nunca mais ia votar. Há limites, há que dar seriedade aos actos, há que respeitar o dito «povo»!.. 

4 comentários:

Blog da Anabela Jardim disse...

A falta de respeito ao "povo" é uma doença que parece não ter cura!
Em tempos de eleição, como hoje, o vírus se multiplica ...

Tati Pastorello disse...

Manú, estou passada. Será que isso é real? Olha, do jeito que anda a campanha política por aqui, não duvidaria que uma baixaria dessas fosse real... Entrei na página do candidato e não encontrei estes vídeos, mas há um artigo intitulado: "como reconhecer um macho alfa", o que já me parece baixaria suficiente para um candidato a cargo público federal. Este ano as eleições estão mais circenses do que nunca e por diversas vezes tive vontade de gritar, de sair correndo, de mudar de país... Não sei para onde estamos indo, mas o caminho não é bom!
Beijos.

manuel marques disse...

Democracia é a arte de, da gaiola dos macacos, gerir o circo ...

Beijinho .

Lulú disse...

Olá Manuela, gostei de sua visita e vim aqui retribuir.
Gostei de seu blog e já sou sua seguidora.
Grande abraço.
Maria Luiza (Lulú)