«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




terça-feira, 7 de setembro de 2010

DEAMBULANDO POR CÁ E POR LÁ…

Primeiro terras de Espanha, destino Salamanca, Zamora, depois Parque Natural do Douro Internacional, do lado espanhol Parque Natural de los Arribes del Duero, para fazer o cruzeiro no Rio com dormida em Miranda do Douro e depois Barca d’Alba, cruzeiro até à Régua.
*
Gosto de ir a Espanha, os espanhóis têm outra forma de viver a vida, são muito mais alegres e desinibidos que os portugueses e, têm um património artístico vastíssimo, com características muito vivas das várias civilizações que por lá passaram. Conheço muito em Espanha, mas sendo um país bastante grande muito há a conhecer.

1 - SALAMANCA – PATRIMÓNIO MUNDIAL DA HUMANIDADE

Miguel de Unamuno, que nasceu em Bilbao, encantou-se por Salamanca. Nos seus textos carregados de metáforas, o poeta falava das torres da cidade, como enormes espigas douradas e dos enormes edifícios, como corais brilhando ao sol.

¿Qué es tu vida, alma mía?,
¿cuál tu pago?,
¡Lluvia en el lago!
¿Qué es tu vida, alma mía, tu costumbre?
¡Viento en la cumbre!
¿Cómo tu vida, mi alma, se renueva?,
¡Sombra en la cueva!, ¡Lluvia en el lago!, ¡
Viento en la cumbre!, ¡Sombra en la cueva!
Lágrimas es la lluvia desde el cielo,
y es el viento sollozo sin partida, pesar,
la sombra sin ningún consuelo,
y lluvia y viento y sombra hacen la vida.

De facto ao entrar em Salamanca somos esmagados pela grandiosidade dos monumentos seculares. O seu coração está na Plaza Mayor, construída em 1729, com 12 entradas, que é ponto de passagem e de encontro. O grande relógio lá existente, é como um farol de referência para os salmantinos e para uma grande população de estudantes espanhóis e estrangeiros. Nesta Plaza existe os mais variados cafés, restaurantes, pastelarias e um emaranhado de esplanadas.







Senti-me muito bem na Plaza Mayor, bebendo uma limonada granizada, porque de facto estava muito calor, aí estamos num palco da vida, muito mais à noite com a conhecida «movida».
Saindo da Plaza Mayor, surgem as ruas cheias de história de enormes edifícios feitos de uma pedra rosada chamada villamayor (origem da pedra), muitos deles com rendilhados, que parecem ter sido obra de ourivesaria. Monumentos de destaque são: Catedral, Convento de San Esteban, Casa de las Conchas, Convento de Las Duenas, Clerecia e os inúmeros edifícios universitários, carregados de história. Salamanca foi precursora do direito internacional, pela mão de Francisco de Vitoria, teólogo que defendeu os direitos humanos dos índios, que os navegadores espanhóis iam encontrando do outro lado do Atlântico. Salamanca vive muito da sua população estudantil, que agitando a cidade durante o dia, também é protagonista da sua movida nocturna que vai até de madrugada, vivendo também o esoterismo, que vem das suas origens celtas.
Passeei pelo Casco Velho, a zona histórica de facto é o que interessa, por lá deambulei e este ano já muito cansada de ver catedrais e igrejas, só visitei Catedral. A sua construção teve início no primeiro terço do século XII, prosseguindo até o século XIV, e possui estilo românico e gótico. È de facto uma catedral belíssima, um dos aspectos muito referenciados foi a colocação de um astronauta durante o restauro da Porta de Ramos da Catedral Nova de Salamanca realizado em 1992. E o desafio é descobri-lo.








O mesmo acontece na fachada imponente da velha Universidade, onde foi colocada uma rã, que os caloiros tinham que descobrir







Pelo caminho, nas ruelas não faltam as barracas com tapas e bebidas, onde está presente a Sidra.


Tudo estava muito animado à volta da Catedral, devido a um casamento de «gente importante» devido ao aparato. Casamento que acabou com foguetes, lançamento de balões e folclore.




Casa das Conchas

12 comentários:

Chica disse...

Que passeio espetacular.Lindíssimas fotos, com riqueza de detalhes bem apanhados e escolhidos!um beijo,tudo de bom!chica

Tati Pastorello disse...

Manú, que viagem interessante. Deve mesmo ter sido mágica. Fiquei encantada com a história do astronauta e da rã. O astronauta consegui visualizar na foto, a rã, não achei.
E que lindo casamento, vestes tão diferentes. A cidade tem mesmo um encanto especial, é isso o que dizem as fotos.
Estava com saudades!
Beijos.

Lúcia Soares disse...

Manu, postagem boa é assim, com fotos do autor.
As minhas tiro do Googel...rsrrs
Muito lindo Salamanca.
Beijo!

Maria disse...

Perdi-me a ver os pormenores das fotografias. Nem sei há quanto tempo por aqui ando...
Belo passeio!

Beijo, Manuela.

Luís Coelho disse...

Passamos em Salamanca em Maio passado e agora vendo as fotos parece-me já tudo tão distante.
São passeios muito agradáveis e que nos enchem de vida e cultura.

Brown Eyes disse...

Manuela conheço muito bem Salamanca, vivo, durante a semana, perto. Já sabes que partilho contigo o amor por Espanha, é outro mundo, as pessoas agem muito mais umas com as outras, divertem-se e vivem, o que não acontece aqui. O nível de vida deles também é superior ao nosso, talvez isso tenha influência. Têm magníficos monumentos que mantêm em bom estado. Beijinho grande

HSLO disse...

Belíssima essa catedral..nossa.
Ainda vou conhecer um dia...
abraços

Em@ disse...

Manú:
que belas fotografias!
já fiz este passeio.há alguns anos dei aulas em Trás-os-Montes e todos os fins-de-semana e férias curtas eram aproveitados para isso: viajar por lá perto. desci o Douro e subi várias vezes, fiz a linha do Tua nos antigos comboios, o circuito das amendoeiras em flor, o caminho de santiago...eu sei lá que mais. conheci bem T-os-M, Minho,Alto Alentejo e a zona raiana espanhola.
pena não ter blog naquela altura.

beijo, Manuela e parabéns pelo post.

Beth/Lilás disse...

Delícia viajar contigo por esta Europa maravilhosa e antiga!
Quando eu for visitar este país, já irei sabendo um pouco da história e fica mais fácil o entendimento das coisas.
Tú és uma felizarda amiga!
bjs cariocas

manuel marques disse...

Belo os fotos assim como a postagem.

Beijo minha querida.

Glorinha L de Lion disse...

Manu, que belezura! A Plaza Mayor, desse ângulo em que tirastes a foto, me pareceu a Piazza San Marco de Veneza...que linda!Que lugar maravilhoso! Me deu vontade de conhecer agora mesmo. Como deve ser bom morara perto de tantas maravilhas da humanidade e em duas ou três horas já estar em outro país.
Bjs amiga querida.

Duarte disse...

Excelente reportagem duma cidade que adoro.
Aqui cheguei pela primeira vez em 1964, no avião do comandante da base de São Jacinto. Era o meu avião, e eu o mecânico responsável, onde ele voava eu acompanhava-o, independentemente de quem fosse o piloto.
Embebi-me de Salamanca, de tudo aquilo que tão bem fotografaste, e contemplei ao mínimo detalhe a Plaza Mayor, para mim a mais bela do imundo, com a de Madrid ciumenta, mas gosto mais da arquitectura da de Salamanca, talvez por ser mais pequena.
A partir dessa viagem a minha via passou a estar vinculada a este País.

O meu muito obrigado por aproximar-me a ELA

Um grande abraço