«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




segunda-feira, 26 de julho de 2010

BLOGAGEM COLECTIVA: NATUREZA

BLOGAGEM COLECTIVA: INTIMIDADE COM A NATUREZA
Proposta da Crica Viegas do blog
Um Pouco de Tudo


A Natureza, sempre foi o meu maior fascínio e posso dizer como disse Clarice Lispector,

"Sou uma filha da natureza:

quero pegar, sentir, tocar, ser.
E tudo isso já faz parte de um todo,
de um mistério.…/,,,

Nunca gostei muito de fazer campismo, mas também o pratiquei. O campismo tem os seus prós e contras. Dormir mal e acordar cedo não é nenhum prazer, estar em filas muito menos e ter aqueles insectos que entram pela tenda, ainda menos! Enfim há outros incómodos, e quem já fez campismo sabe como é. Inicialmente orçamentos limitados obrigavam a essa prática. A primeira vez que fiz campismo, tive logo um valente pesadelo, sonhando que homens de faca me cortavam a tenda. Nessa primeira vez, ainda era só eu e o meu marido e, ao fim de poucos dias arrumamos tudo e fomos para um hotel.
Fomos depois fazendo algum campismo e com os meus filhos pequenos até decidi, que eles precisavam de um escape da cidade e fomos armar a tenda durante três meses num parque não muito longe do Porto, em Angeiras, para onde íamos aos fins-de-semana, com o objectivo de eles brincarem e andarem mais à vontade. A grande vantagem do campismo, para mim, está numa plena comunhão com a natureza e lembro aqueles fantásticos pores-do-sol que me faziam parar em plena contemplação, dos estoiros das pinhas quando o calor era excessivo, das imensas estrelas que há no céu, da calmaria do mar na baixa-mar, do barulho das grandes ondas na maré-alta! Depois perdíamos-nos em todos os afazeres marítimos, estávamos numa pequena aldeia piscatória. Os homens espalhavam-se pelos penedos a apanhar mexilhões ou polvos, as mulheres a tirar o sargaço, estendendo-a na areia a secar, para depois ser vendido para medicamentos e cosméticos. Mulheres que iam vestidas para o mar, só arregaçavam as saias e nunca se queixavam da água fria, depois ficava a conversar com elas, dessa vida dura e do reumatismo de que padeciam, aquela era uma tarefa no bom e mau tempo.


Íamos também até à pequena lota, ver a chegada dos barcos, a retirada nocturna da sardinha das redes, que deixava as mãos em sangue.

Inesquecível foi uma noite de grande borrasca. Uma tempestade de Verão é daquelas situações sublimes, que deixam sensações antagónicas, de medo e fascínio. Os relâmpagos cruzavam o céu, a seguir vinham os estrondos que pareciam cair em cima de nós, o vendaval arrancava ramos, as pinhas caíam por todo o lado, a chuva começou a cair intensamente, tudo se tornou demasiado assustador, o refúgio eram os quartos de banho! Por baixo da nossa tenda já passava uma espécie, não digo de rio, mas de ribeiro. O dia seguinte raiou solarengo e foi passado numa ajuda mútua entre os campistas a minimizar os prejuízos, foi um dia lindo de solidariedade. Aqui, especialmente, senti-me em grande intimidade com a Natureza.

Impossível também esquecer o campismo no Gerês e aquele imensa intimidade com uma fauna e uma flora diversificadas e de extrema beleza. Posso fechar os olhos e ouvir o som da queda da água e ver-me em algum dos muitos lagos, sentindo os peixes a passar pelo meu corpo

Sou de facto uma citadina frustrada com o betão, de qualquer forma em 10 minutos estou no Parque da Cidade e em 20 minutos na praia. Há noites em que me chega uma brisa de maresia, os pássaros ao fim do dia chilreiam na minha varanda e até as gaivotas cruzam o céu, poisam nos telhados e gritam de inquietação.

SOMOS PARTE INTEGRANTE DA NATUREZA, AMÁ-LA E RESPEITÁ-LA É AMAR E RESPEITARMO-NOS A NÓS PRÓPRIOS, TODOS OS GOLPES QUE DESFERIMOS CONTRA ELA, TEM CONSEQUÊNCIAS MUITO GRAVES.

16 comentários:

pensandoemfamilia disse...

A natureza é bela nos encanta, mas por vezes nos assusta e se não a respeitarmos, somos banidos.
Adoro o contato com ela, mas também nunca me adaptei com acampamentos, acho que por comodismo.
Boas as suas experiências

Isadora disse...

Minha amiga, embora prefira um pouco mais de conforto, quando mais jovem acampanhei muito e se temos algo de bom para tirarmos dessa experiência é esse contato intenso e maravilhoso com a natureza, onde acompanhamos seu curso sem podermos interfir.
Um beijo

Maria disse...

Nada melhor do que acampar na areia de uma praia e quando acordamos ir lavar a cara... ao mar...

:)))

Beijo, Manuela.

Bordados e Retalhos disse...

Manu, que lindas imagens. A natureza reconforta, revigora. Já acampei uma vez aqui no interior do Espírito Santo numa cidade chamada Matilde. Esse lugar tem uma linda cachoeira. Confesso que sou muito urbana mas a natureza é a nossa essência. Bjs amiga

Beth/Lilás disse...

Amiga Manú!
Que delícia este post, viajei e acampei contigo nestes lindos sítios.
Eu também acampei quando era jovem e depois quando o filho era pequeno, a fim de fazê-lo brincar livremente na natureza, mas logo guardamos a barraca no sótão e acho que ainda está por lá, nem lembro mais.
Mas, realmente, este contacto com a natureza é maravilhoso e fazê-lo assim, através do campismo, torna-se mais vibrante.
um beijo grande carioca

Tati Pastorello disse...

Manú, que texto incrível! A forma como o concluiu, então... aceite apenas meus aplausos!
Coisa boa ter a chance de ler este texto, com suas memórias e reflexões.
Beijos.

manuel marques disse...

Antes de seres uma citadina frustrada com o betão, és da natureza...
Postagem *****.

Beijo.

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

MANÚ ADORO COMO CONTA SUAS HISTÓRIAS PARECE QUE ESTOU AÍ VIVENDO O MESMO MOMENTO!
ACHEI LINDO O TEXTO!
BEIJO
BOA SEMANA!

G I L B E R T O disse...

Manu

Também tenho e gosto de ter e cultivar uma profunda sintonia com a natureza, me parece o mais sábio a ser feito!

Amei teu texto pontuado de brilhantismo!

Deu vontade de acampar agora mesmo!


Post Coments:

Sempre grato pelos e-mails maravilhosos que me mandas!

és uma adorável amiga!

Gilberto

Cris França disse...

que lindo post Manu, uma viagem com certeza.

e obrigada pelas palavras tuas de hoje, me emocionaram.

beijos no coração

Grupo disse...

A vantagem agora é que nos Parques de Campismo já há Caravanas Residenciais e Bungalows (com kitchenete, WC com duche, camas à séria, com lençóis brancos e tudo)e pode-se desfrutar da Natureza com todo o conforto... tipo resort de férias (e então para fins de semana fora da época alta, é uma maravilha)e, além de tudo o mais, em segurança.

Sandra Botelho disse...

Amiga...Que post heim...
Quase um apelo, um grito de socorro.
Amo acampar...
Amo a natureza, mas nessa selva de pedra é dificil admira-la, ela quase não existe por aqui.
Bjos achocolatados

AFRICA EM POESIA disse...

Gostei de passar aqui e de Cacia deixo um beijinho e...


TELEFONE



Toca o telefone...
Toca sem parar
Deixo-o tocar
Mas depois...
Vou...
E quando lhe pego
Nunca mais toca...
Alguém estava...
Mas não queria estar...
Do outro lado de lá
Ouvi suspirar...
E fiquei a pensar...
Porque será?
Que se passará?
E continuo à espera...
Que ele volte a tocar!...


LILI LARANJO

Ana disse...

Fizeste-me recordar as minhas experiências campistas :-)
Claro que o campismo tem prós e contras ... mas são memórias que não se apagam! Foi bom revivê-las!
Um beijo *

Crica Viegas disse...

Lindas as tuas fotos e as tuas doces memórias...A natureza é algo majestoso e único que nos absorve.

Marliborges disse...

Ai amiga,
que post maravilhoso! Voltei no tempo e lembrei de meus acampamentos. Eu era campista de carteirinha! e tive ótimas experiências desses contatos diretos e maravilhosos com a natureza. Muito bom.
Bjssssssss