«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

CINEMATECA NO PORTO...(MALDITO VANDALISMO)

Maria João Seixas, Directora da Cinemateca Portuguesa, visitou a Casa das Artes, onde a Ministra da Cultura prometeu a instalação de um pólo da cinemateca. Depois da visita, a comunicação de Maria João deixou-me revoltada, a casa precisa de uma intervenção devido à degradação em que está. MALDITO VANDALISMO!?...






Fui grande frequentadora da Casa das Artes, quando pertencia à SEC. Vi lá espectáculos inesquecíveis, lembro-me de um bailado, cujo palco foi feito dentro do lago e que o efeito era mágico, com os bailarinos reflectidos na água, numa noite de Verão. De outra vez um grupo de bailado chinês e ainda uma bailarina exótica oriental, para além de concertos de música de câmara. Também foi um local onde levava os meus filhos, para brincarem no jardim que era pouco conhecido e dava uma grande paz de alma. Depois quando abriu a Casa das Artes, (arquitecto Souto Moura-Prémio Secil da Arquitectura 1992) vi lá muito cinema, teatro, exposições e concertos. Este anexo tinha boas infra-estruturas, além de uma sala de cinema, tinha outra onde o TEP, se alojou depois de um incêndio nas suas instalações e, que também servia para conferências, debates, além de outros espaços onde eram feitas exposições.
A SEC acabou há poucos anos por abandonar estas instalações, que passaram para a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional – Norte, que de imediato fecharam os jardins. A casa foi vandalizada, através de um portão das traseiras. Não havia vigilância! As autoridades desligam-se das suas responsabilidades e de facto os vândalos, que não têm qualquer noção cívica, rapidamente fazem o seu trabalho de destruição.

O edifício principal da Casa das Artes, onde viviam os Allen, está numa zona «chique» da cidade, onde no Século XIX/XX, viviam as mais abastadas e influentes famílias.
Estas quintas estavam nos limites da cidade e os seus proprietários eram coleccionadores botânicos, nas mesmas há diversas colecções importantes. Por exemplo a casa dos Andresen é hoje o Jardim Botânico da Faculdade de Ciências.

7 comentários:

Elaine Barnes disse...

As pessoas não entendem que destroem o próprio patrimônio. Uma judiação. Amo o teatro também e fico indignada com a degradação da nossa história, lazer,educação e cultura. Lamentável. Obrigada pelo comentário lá nas asas. Amei! Hoje já estou melhor 50%. O entusiasmo ainda não veio como gostaria,mas, ele volta sim. ôh se volta! rs...Montão de bjs e abraços

Sandra Botelho disse...

Não entendem que fazendo isso destroem sua propria historia e memoria.
Bjos querida, Tenha dias doces.

manuel marques disse...

"Os estúpidos guerreiam barbaramente o talento: são os vândalos do mundo ."

Beijos.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A minha ausência deveu-se apenas ao facto de lhe ter perdido o rasto,em virtude de um Delete mal feito.
Mas agora tal não volta a acontecer, porque vou já colocá-la na encosta direita do meu Rochedo.

Regina disse...

Oi Manú!!

É triste, para quem ama cultura, ver estes espaços sendo destruídos...

Educação ainda é a chave para tudo! Ainda que em seu país, a situação deve ser menos pior que aqui!

Um beijo!!

Me disse...

Manu, passando aqui e como sempre aprendendo contigo...
bjos!!!

Ana Paula Sena disse...

Que pena! Fico destroçada ao ver lugares tão belos e cheios de história, assim, abandonados :(((

Espero sinceramente que se tomem medidas, das urgentes e eficazes.

Um abraço, Manuela