«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

E SE O CRIME ORGANIZADO DOMINASSE O BRASIL?

Este foi o título de um artigo que li sobre a violência no Brasil, cujo lugar mais problemático é o Rio de Janeiro. Também vi filmes, que revelam essa violência, como: Pixote-A lei do mais fraco, Cidade de Deus e Tropa de Elite.
O arsenal existente nas favelas, daria para render o Rio de Janeiro ao poder do crime organizado, se houvesse estratégia para isso.
O crime organizado tomou conta das favelas do Rio de Janiero, onde os traficantes possuem armamento sofisticado que lhes dá um poder superior ao da polícia. Mas as autoridades brasileiras estão dispostas a responder à ameaça, para acabar com tudo o que ponha em causa a segurança do país que vai ser palco do Mundial de Futebol em 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016.



É UMA SITUAÇÃO BASTANTE PREOCUPANTE PARA OS BRASILEIROS, A INSEGURANÇA EM QUE VIVEM!?....

5 comentários:

Glorinha disse...

Ai Manu, ainda dizes que estou revoltada! Não é para menos!
Vês só o que fizeram desse país?
Além das quadrilhas que estão nas ruas, há as que mandam no país...nem sei qual das duas é pior...
De um lado, matam por um tênis, de outro, vão matando aos poucos, com suas ladroagens através dos anos e anos no poder...estamos muito mal, minha amiga!
Beijos.

Carlos Albuquerque disse...

Olá Manuela.
Brasil, Portugal, Rússia, Itália, Espanha, Estados Unidos...
E corramos, pela Ásia e por África, num girabola perpétuo, dando a volta ao planeta.
Não é a sociedade global dos nossos dias a do crime organizado?
Um abraço

ney disse...

Pois é, Manuela, quem sou eu para falar de um problema tão sério, que não conheço com profundidade, nem é da minha área. Nem sei se alguém conseguiria, pois são também tantas questões históricos, de longa data, que ficaria difícil enquadrá-las num só contexto.
Mas como cidadão, acho que o Rio não é diferente de outras cidades grandes, mas a mídia dona do pedaço aqui, em busca de sensacionalismo e audiência, acabou colocando o Rio no centro das atenções.
O Rio é uma cidade espremida, entre o mar e a montanha, de ocupação desordenada, todas as classes convivem no mesmo pedaço, numa grande diversidade, qualquer acontecimento vai para o noticiário.
A exclusão não é tão acentuada como em outras cidades, onde grupos vivem marginalizados em periferias.
Então, essa convivência social poderá também nos ensinar a resolver esses problemas de forma mais realista e humana. Assim esperamos.
E as autoridades quando decidem de verdade, conseguem controlar a situação.
Só citando o réveilon, dois milhões se juntam em festa numa praia (Copacabana), sem grandes problemas.
Bem, é só uma opinião. Abraço/ney.

Regina disse...

Manú, querida!

Entendeste o filme "Tropa de Elite"? Por aqui, foi um sucesso, mas eu, particularmente, odiei...

Não entendi o linguajar usado no filme e o achei horrível, apesar do povo dizer que é o que acontece na realidade...

O Brasil só fica conhecido por filmes deste tipo, que mostram a "realidade"... As coisas boas, nunca são destaque...

Beijos!!!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

No ultimo grande evento realizado no Brasil, onde estive presente ( A Cimeira da Terra de 92), o Rio de Janeiro oferecia todas as condições de segurança.
Em Copacabana havia mais polícias armados do que pessoas e havia tanques à porta de alguns hotéis, um dos quais apontado para a favela da Rocinha.
No hotel onde estava, em Copacavana, havia militares em todos os andares.