«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




segunda-feira, 29 de março de 2010

PRIMAVERA NOS SONETOS DE FLORBELA ESPANCA


A Tua Voz de Primavera
.
Manto de seda azul, o céu Reflete
Quanta alegria na minha alma vai!
Tenho os meus lábios húmidos: Tomai
A flor e o mel que a vida nos promete!
.
Sinfonia de luz meu corpo não repete
O ritmo e uma cor dum mesmo desejo ... olhai!
Igual ao sol que sempre às ondas cai,
Sem que uma visão dos poentes se complete!
.
Meus pequeninos seios cor-de-rosa,
Se os roça ou prende a tua mão nervosa,
Tem a firmeza elástica dos gamos ...
.
Para os teus beijos, sensual, flori!
E amendoeira em flor, só ofereço os ramos,
Só me EXALTO e sou linda para ti!

Amar!

Eu quero amar perdidamente, amar!
Amar só por amar: aqui ... Além ...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente ...
Amar! Amar! E não amar ninguém!
.
Recordar? Esquecer? Indiferente! ...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem alguém disser que pode amar
Durante a vida inteira é porque mente!
.
Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!
.
E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder ... pra me encontrar ...


"Primavera"

É Primavera agora, meu Amor!
O campo despe uma veste de estamenha;
Não há nenhuma árvore que não tenha
O coração aberto, todo em flor!
.
Ah! Deixa-te vogar, calmo ao sabor,
Da vida ... Não há bem que nos não venha
Dum mal que o nosso orgulho em vão desdenha!
Não há bem que não possa ser melhor!
.
Também despi meu triste burel pardo,
E agora cheiro a rosmaninho e a nardo
E ando agora tonta, à tua espera ...
.
Pus rosas cor-de-rosa em meus cabelos ...
Parecem um rosal! Vem desprendê-los!
Meu Amor, Meu Amor, é Primavera! ...



(fotos-Parque da Cidade - MF)

9 comentários:

manuel marques disse...

Amo Florbela Espanca,Grato pela partilha.

Beijo.

Maria Izabel Viégas disse...

A visão de Florbela nos iludiria... por trás de tal beleza, tanta dor.Uma vida que me comoveu.
Sua poesia me extasia.
Lindo post!
Obrigada.

E sou-lhe grata pela visita ao meu Memórias, através do "Amarelo", conheci este espaço.
Seu post da blogagem Coletiva da Glorinha prende-nos à leitura, atenta aos detalhes. Linda história.
Um encanto!
Bem Haja!
Beijos querida!

Maria Izabel Viégas disse...

A visão de Florbela nos iludiria... por trás de tal beleza, tanta dor.Uma vida que me comoveu.
Sua poesia me extasia.
Lindo post!
Obrigada.

E sou-lhe grata pela visita ao meu Memórias, através do "Amarelo", conheci este espaço.
Seu post da blogagem Coletiva da Glorinha prende-nos à leitura, atenta aos detalhes. Linda história.
Um encanto!
Bem Haja!
Beijos querida!

Só Eu (Ricardo) disse...

Gostei de te "conhecer" por via do teu blogue.
Obrigado por trazeres a "quase nossa" Florbela Espanca. (quase nossa por nasci, fui criado e vivi até aos 39 anos em Matosinhos, onde morreu Florbela)
Beijinhos
Ricardo Reis

Maria P. disse...

A Primavera e as palavras de Florbela Espanca ficam bem, sim...

Beijinho*

Graça Pereira disse...

Lindas as fotos para quem sabe ver a paisagem com alma... Florbela ficaria encantada de ver seus versos espalahados na Primavera.
beijo e boa semana.
Graça

Fatima disse...

Que alegria receber sua visita e mais ainda ter vc acompanhando meu blog.
Bjs.

Maria disse...

Ontem não consegui ver as fotos.
Hoje deleito-me com as cores. E com a poesia de Florbela...

Obrigada, Manuela.
Beijinho

Glorinha L de Lion disse...

Manu, minha amada amiga do outro lado do Atlântico! Se soubesses como estou feliz por ter feito tanta gente se conhecer entre si, visitarem uns aos outros, deliciarem-se com tantos belos, deliciosos blogs! Estou feliz, muito feliz...e tu, como sempre nos presenteia com essas maravilhas...esses poemas da Florbela...flor e bela...para saudar esta tua primavera, ainda fria, mas prenhe de bons augúrios e de renascer!
Beijos, querida!