«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quinta-feira, 20 de maio de 2010

A CRISE!?...

UMA QUESTÃO DE SAÚDE


O "contrariado, mas promulgo por causa da crise" de Cavaco Silva já faz escola. A crise tem as costas largas, dá para justificar tudo e um par de botas.
"Penso uma coisa e faço outra? A culpa é da crise." "Disse ontem uma coisa e hoje digo outra? A culpa é da crise." "Prometi e não cumpro? A culpa é da crise."
Foi com a crise que Passos Coelho justificou, derramando-se em "desculpas aos portugueses", a mãozinha dada "ao país" e ao aumento de impostos que, ainda há pouco mais de um mês, em campanha para a liderança do PSD, liminarmente rejeitava (não cumprir promessas eleitorais também é escola em Portugal).
Ontem foi o perplexo Miguel Relvas, secretário-geral do mesmo PSD: "O Governo não soube gerir o país"; "o Governo foi alertado para o descontrolo do défice e derrapagem da despesa pública, mas preferiu irresponsavelmente ignorar"; "o PSD exige transparência ao Governo"; "o Governo merece ser censurado".
Apesar disso, o PSD não votará a moção de censura do PCP. Por causa da crise. A crise tornou-se uma questão de saúde pública; já não afecta só o Orçamento, afecta também a coluna vertebral.


JORNAL DE NOTÍCIAS -

1 comentário:

direitinho disse...

Na verdade a desculpa foi e será sempre a crise. Com esta desculpa vão carregando nos mais fracos e depenando-os como se faz às galinhas mortas.
Já não os consigo ouvir.
Fazem acordos e depois dizem que os outros é que tem a culpa. Se lhe derem também uns tachos no poder será por causa da crise ou para que se calem e lhes façam outros acordos .
Só me apetece mandá-los a todos...