«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




sexta-feira, 28 de maio de 2010

ESCOLA PARA PAIS ????????

Li um artigo da psicóloga Isabel Leal, sobre alienação parental. A alienação parental pode assumir diversas formas, desde a superprotecção até ao seu contrário, fenómeno conhecido, mas que desde que o divórcio se generalizou, se tornou mais explosivo.
Sempre houve situações de manipulação das crianças por um dos progenitores. Considera a psicóloga que tem até a ver com vinganças mesquinhas. É fácil criar processos destrutivos da imagem de um dos progenitores, ou abrir uma guerra em que o processo é mútuo, é fácil criar situações de afastamento físico, psicológico e emocional, é fácil aproveitar diferenças de estilo de prestação de cuidados para invocar incompetência e desleixo.
Não há tribunais, nem leis, para a ausência de bom senso. O progenitor alienante está crente das suas razões, seguro dos seus direitos e convicto das suas opções. Para ele isolar a criança do outro progenitor e, mostrar como ele é indesejável e maléfico, é defender os interesses da criança.


Infelizmente tenho uma amiga, que passa por uma situação dessas, porque devido ao divórcio de um filho, além da ex-mulher não o deixar ver a filha, também ela não pode ver a neta. Há meses que o contencioso corre e o pai não consegue ver a filha. A mãe que vivia no Porto, foi logo para Trás-os-Montes, para casa dos pais, uma distância de 200 km ou mais. Mesmo assim o pai tem ido lá, mas nunca vê a filha. A criança está tão manipulada, que ao telefone diz que não o quer ver, que se separou da mãe, se separou dela também! A avó, cujos olhos se iluminavam quando falava da neta, se lhe fala ao telefone, tem como resposta, que não a quer ver! Indigna-me esta situação, porque a minha amiga sofre bastante, já nada diz, mas por uma coisa ou outra chora, entristeceu como a noite!


As crianças são de facto vítimas destas situações, do mau exercício de ser pai, de ser mãe, por ausência ou por excesso, não seria oportuno existirem aulas para pais, quando uma criança indicia ou motiva problemas na escola. Já ouvi falar em aplicar multas aos pais, mas essa hipótese de meter a mão sempre no bolso das pessoas, não me parece nada adequada. O problema por exemplo do buylling aqui referido, exigia uma auscultação aos pais e um aconselhamento, para a sociabilidade das crianças com os outros.
Não considero que os professores sejam os agentes do ensino comportamental, podem dar uma ajuda, mas isso compete aos pais, os professores já têm a missão do ensino, com tudo que isso implica numa turma de graus de compreensão desiguais. Os pais não se podem demitir de serem pais, porque não é só gerar, alimentar um filho e dar-lhe tudo que ele quer! Limar um ser para a vida, merece muita atenção e ternura.
O que escrevo, são pensamentos meus, não sou especialista. Há anos gostava de ler Piaget, Maria Montessori e outros, fui a mãe que consegui ser.

15 comentários:

direitinho disse...

Cada caso é um caso.
1ª Criar um clima de amor e respeito pela família- A família não sou eu nem os meus interesses.
A família são o conjunto de pessoas pais e filhos e cada um com a sua parte de responsabilidade.
2º Viver em família dividindo as preocupações e ensinando a ultrapassa-las. Tudo o que diz respeito à família deve ser repartido por todos.
Ainda que seja uma doença, todos deverão saber lidar com a situação.
Comprar coisas de marca ou aprender a compara aquilo que se pode para que o dinheiro não falte para as coisas essenciais.

O problema do divórcio é que as pessoas nunca viveram em família e nunca a construíram nada de positivo.

Os filhos não são propriedade de ninguém e quando se sentem usados revoltam-se, e então as consequências são muito graves.

Misturação - Ana Karla disse...

Manu bom dia!
Boa idéia uma escola para pais.
Falta o bom senso e inteligência.
Essas pessoas que agem dessa forma são completamente ignorantes e acabam por viver uma vida infeliz e fazendo outros infelizes também.
Lamento a situação da sua amiga, porém torço pra que tudo se resolva o mais breve possível.

Adorei o post.
Xeros

Beth/Lilás disse...

Bom dia, Manuela!
Pois sim, acho bastante interessante que houvesse uma escola, um curso talvez, para que estes pais desajustados e sem respeito ao filho e ao restante da família, aprendessem que o respeito, carinho e união pode ser viável mesmo que haja uma separação de corpos.
Tenho pena de filhos que sofrem por isto em suas famílias.
bjs cariocas

Chica disse...

Eu também acho que essa deveria ter...Teria por aqui,bem pertinhpo, vários alunos pra ela.Pena!beijos,tudo de bom,chica(triste realidade vive essa tua amiga, imagino a dor)

Michelle Crístal disse...

Apaixonei pelo seu blog,
As crianças serão os adultos de amanhã... Espero e estou te seguindo!

manuel marques disse...

Certos pais querem castigar nos filhos a má educação que lhes deram.Excelente texto,parabéns.

Beijo.

Sandra Botelho disse...

Sempre digo que algumas pessoas não nasceram pra ser mães e nem pais.
Acho que seria ótimo uma escola para pais.
Concordo contigo em tudo querida.
Bjos achocolatados

Carlos Albuquerque disse...

Conheço de perto situações semelhantes. Dói-me ver com as crianças são manipuladas por pais desavindos sem qualquer ponta de escrúpulo ou bom-senso!
Jogam os filhos como se fossem cartas atiradas para uma qualquer mesa de interesses vis,as mais das vezes meras vinganças mesquinhas, como referiu.
Penso, também, que algumas vezes tais atitudes são expressão de complexos de inferioridade...
Escola para pais? Talvez, embora julgue que a Sociedade actual devia,toda ela, passar de novo pela Escola de Valores.
O que mais me angustia é ter já percebido que os filhos de pais divorciados começam, também eles, a manipular os progenitores, numa espécie de "venda" a quem mais der!
Os maus exemplos são como a erva daninha, crescem velozmente e sem controlo!
Um abraço

Bordados e Retalhos disse...

Mau essa história de alienação parental é muito séria. Quantos traumas, quantos problemas poderiam ser evitados se as pessoas tivessem bom senso, tivesses a cabeça mais saudável, soubessesm lidar com perdas mais facilmente e nõ tivessem o outro como posse. Como as pessoas estão doentes de várias formas acabam sofrendo os mais inocentes, as crianças. Ótimo tocar no assunto. bjs

Eliana Pessoa disse...

ADOREI O TEXTO!
PAIS USAM FILHOS PARA ATINGIR O OUTRO QUANDO SE DIVORCIAM E Ñ SABEM O QUANTO PREJUDICAM SEUS FILHOS COM ISSO!!!
BJIM

Fatima disse...

São tantos casos assim.
Ótimo texto Manuela.
Bjs.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Reconheço que deve ser muito difícil ser pai ( mãe) de adolescentes nos dias de hoje e que muitas pessoas não estão preparadas para o ser, mas não o admitem.
Gostei muito do texto e penso que vou reflectir um pouco mais sobre ele.
Bom fds

Denise disse...

Maria Montessori, seus métodos regem o ensino que deu minha primeira formação.

O buylling precisa ser combatido por todos os sistemas dos quais a criança faz parte, sendo mais comum os pais em conjunto com a escola, por ser onde mais se manifesta - ou se evidencia. Porém, tua abordagem foi específica e profunda: a guerra entre um ex-casal quando usa a arma mais destrutiva - o(s) filho(s). Agora que podem ser punidos pela lei, talvez modifique essa prática hedionda. Os prejuízos resultantes dessas retaliações parentais são imensuráveis.

Parabéns pelo tema!!
Bjo

Nes disse...

Hola Manuela.

Eu penso que si debe haber escolas parea pais.

Todo isto esta a degenerar.

Cando eu era un rapaz o mestre pegabanos, agora peganlles a eles, !as voltas que da o mundo!.

Pero nin tanto nin tan pouco.

Os pais "pasan" moito da educación dos fillos e delegan toda a educación nos mestres.

A educación sempre debe comenzar na casa.

Un Biko.

Nes

elisabete disse...

Lamento o que sofrem essa avó e esse pai
Conheço um caso de um pai que tem 4 filhosjá adultos e um deles está com difiduldades grandes e a Mãe é que ajuda o mais que pode, porque o senhor ignora a situação.É mais cómodo.Ou é vingança em relação à ex-mulher.