«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




sábado, 8 de maio de 2010

SÉTIMA ARTE

O cinema tem sido uma boa escola de vida para mim. Há pessoas que não vão ver X ou Y filme, porque dizem, «para desgraça, chega a que há» e preferem o soft, muitas vezes oco.
Eu desde sempre vi de tudo, se bem referenciado, essa é uma questão primordial, depois de uma certa experiência, para além dos críticos da minha preferência e que não me tinham enganado, eu própria já conhecia o trabalho dos realizadores e as suas qualidades específicas. Algumas pessoas diziam-me, tens a mania dos críticos, obviamente que há críticos e críticos! Há críticos, que se especializaram e há outros que fazem parte do «marketing» que vende um filme. Sabia de antemão que certos filmes iam me deixar de rastos, zonza, vendo o mundo turvo, sem vontade de falar ou ouvir alguém, durante um certo tempo, mas esta era uma sensação boa, a sensação que as coisas me tocavam e me faziam sentir e pensar. Filmes por exemplo, de Ingmar Bergman, do qual vi tudo e, quem conhece, sabe o género, ali não há «rodriguinhos», é a realidade mais crua, sobre relações humanas, a exploração filosófica e psicológica da vida íntima. Também a temática sociológica me interessa, não só a actual, como a do passado.
Parece assim como que um masoquismo, mas gosto de ser confrontada com a realidade. Desta forma o mundo nunca foi para mim cor-de-rosa, tem muitas tonalidades e consciencializei-me que se determinadas coisas acontecem aos outros, também acontecem a mim e, não é por vontade ou não de Deus, bruxarias, maus espíritos…Acontece porque eu ando por aqui e tudo me pode acontecer! Não é por rezar mais ou menos ou por utilizar outras formas, para afastar o «chamado mau olhado», é só porque acontecem, tão simples quanto isto!
Este género de filmes decaiu, dificilmente podem ser catalogados de comerciais e aí é que está o «busílis», a bilheteira é que é o mais importante! Passo uma série de tempo sem ir ao cinema, porque olho o cartaz e não me motiva e, apesar de gostar de ver um filme na sala de cinema (ainda há cinemas sem pipoca e coca-cola) vejo muito cinema em casa, revendo muitos filmes já vistos, filmes que pelo seu interesse suscitam vários visionamentos.


ESTA É MAIS UMA RAZÃO PARA ME CHAMAREM DE ESQUISITA!..

(Não tão esquisita assim, porque não me recuso a ver qualquer coisa, depende da companhia.)



11 comentários:

Chica disse...

Legal e eu gosto de ver filme apenas no cinema .Em casa durmo,rsrs pode? beijos,chica

Uma Brasileira disse...

Então, acho que sou mais esquisita que vc.


Me recuso a assitir qualquer filme, mesmo que a companhia seja boa.


Em minha cidade Franca/São Paulo/Brasil, temos 4 ou 5 cinemas no shopping.


Mas infelizmente só passa porcaria.


Se quero assistir a um bom filme, tenho que esperar que ele chegue às locadoras para assistí-lo.


Ou então me submeter aos melhores filmes da tv à cabo.


E olha que minha cidade não é nada pequena. Tem 350 000 habitantes.


Abraços do tamanho do oceano que nos separa.

Cris França disse...

Sei que já passou por ai, mas mesmo assim feliz dia das mães! bjs

Cinema é tudo de bom...

manuel marques disse...

Esquisita ! Ná.


"O cinema é um modo divino de contar a vida "

Beijo

Astrid Annabelle disse...

Olá Manuela!
Estive um pouco ausente da net.
Li seu texto com atenção e fiquei admirada como consegue colocar tão bem o seu ponto de vista.
Não tenho paciência para assistir um filme. Os poucos clássicos que assisti foram com o meu marido.Desde que faleceu não vi mais nenhum...agora me convide para ler que vou correndo!rss
Achei graça na sua última frase:
"ESTA É MAIS UMA RAZÃO PARA ME CHAMAREM DE ESQUISITA!.."
Não vejo porque!
Um beijo
Astrid Annabelle

Maria Teresa disse...

Manuela:
Temos gostos parecidos. De vez em quando, até vai, um filminho água com açúcar para abrandar a vida; no entanto, do que gosto mesmo são aqueles cheios de conteúdo e de entrecenas. Woody Allen, por exemplo. Ou de cinema francês, italiano...
Beijos

Me disse...

Não é esquisita não Manu, é autentica!
bjão!!!

Glorinha L de Lion disse...

Tu tb és uma pimenta, amiga! Personalidade forte e cheia de consciência! Pois eu já não gosto muito de "filmes cabeça" que é como chamamos esse tipo de filme que faz a cabeça ter crises de labirintite...rsrs...gosto de filmes que fazem pensar sim, mas que eu os entenda, please...
Ingmar? Tô fora, como dizemos...há muitos filmes bons e que fazem pensar, não gosto é dos que dão um nó no meu pobre cérebro...e gosto de filmes pipoca tb...não os bobos de comédia do tipo que os americanos adoram, esses não, não vejo graça...eu aliás não sou muito de comédias...não consigo achar graça com facilidade...mas, gosto é gosto, não é amiga?
Beijos e um Feliz e adorável dia das mães pra ti com teus filhos!

Rozani disse...

Oi Manuela!
Eu amo ver filmes!Eu acho que é minha maior paixão.Também adoro ver e rever filmes que gosto.Gosto muito também de ver séries...tenho verdadeira paixão.
Bjs,Rozani

Anónimo disse...

Em exibição "Libano". Um murro no estomago, mas recomendo!.
A guerra, e como sempre o seu
horror.
m.j.f.

Manuela Freitas disse...

O cinema é de facto quase uma paixão geral. Como eu, uns são «esquisitos» e outros têm outra abertura e gostam de outros géneros.
Mas «santa paciência», passa por aí tanta «maluquice», que não tem ponta por onde se lhe pegue!
Obrigada pelos comentários e beijinhos para todos.
Manuela