«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quinta-feira, 13 de maio de 2010

NÃO É CORRUPTO QUEM QUER!...


Em Portugal, há que ser especialmente talentoso para corromper. Não é corrupto quem quer!


Portugal é um país em salmoura. Ora aqui está um lindo decassílabo que só por distracção dos nossos poetas não integra um soneto que cante o nosso país como ele merece. "Vós sois o sal da terra", disse Jesus aos pregadores. Na altura de Cristo não era ainda conhecido o efeito do sal na hipertensão, e portanto foi com o sal que o Messias comparou os pregadores quando quis dizer que eles impediam a corrupção. Se há 2 mil anos os médicos soubessem o que sabem hoje, talvez Jesus tivesse dito que os pregadores eram a arca frigorífica da terra, ou a pasteurização da terra. Mas, por muito que hoje lamentemos que a palavra "pasteurização" não conste do Novo Testamento, a referência ao sal como obstáculo à corrupção é, para os portugueses do ano 2010, muito mais feliz. E isto porque, como já deixei dito atrás com alguma elevação estilística, Portugal é um país em salmoura: aqui não entra a corrupção - e a verdade é que andamos todos hipertensos.
Que Portugal é um país livre de corrupção sabe toda a gente que tenha lido a notícia da absolvição de Domingos Névoa. O tribunal deu como provado que o arguido tinha oferecido 200 mil euros para que um titular de cargo político lhe fizesse um favor, mas absolveu-o por considerar que o político não tinha os poderes necessários para responder ao pedido. Ou seja, foi oferecido um suborno, mas a um destinatário inadequado. E, para o tribunal, quem tenta corromper a pessoa errada não é corrupto - é só parvo. A sentença, infelizmente, não esclarece se o raciocínio é válido para outros crimes: se, por exemplo, quem tenta assassinar a pessoa errada não é assassino, mas apenas incompetente; ou se quem tenta assaltar o banco errado não é ladrão, mas sim distraído. Neste último caso a prática de irregularidades é extraordinariamente difícil, uma vez que mesmo quem assalta o banco certo só é ladrão se não for administrador.
O hipotético suborno de Domingos Névoa estava ferido de irregularidade, e por isso não podia aspirar a receber o nobre título de suborno. O que se passou foi, no fundo, uma ilegalidade ilegal. O que, surpreendentemente, é legal. Significa isto que, em Portugal, há que ser especialmente talentoso para corromper. Não é corrupto quem quer. É preciso saber fazer as coisas bem feitas e seguir a tramitação apropriada. Não é acto que se pratique à balda, caso contrário o tribunal rejeita as pretensões do candidato. "Tenha paciência", dizem os juízes. "Tente outra vez. Isto não é corrupção que se apresente."

(in Visão, Ricardo Araújo Pereira)

13 comentários:

Mariazita disse...

Olá, Manuela
Agradecida pela visita e palavras (tão simpáticas!) acerca dos meus blogs.
Fico feliz quando alguém me diz que gostou. É para isso que postamos, não é verdade? :)))

Já tinha saudades de ler uma crónica do Ricardo. Normalmente leio-as, até porque A Visão é revista habitual cá de casa. Mas esta não tinha lido...
Adoro a maneira como ele escreve, com humor e ironia dizendo as mais cruas verdades.

Acabei de me fazer tua seguidora, para não te perder o rumo :)

Até sempre.

Beijinhos

manuel marques disse...

Estranho país este de corruptos sem corruptores...

Beijo.

Pelos caminhos da vida. disse...

Xiiiiii, aqui no Brasil é o que mais tem é corrupto(é uma vergonha), mas a verdade tem que ser dita.

Bom dia Manu.

beijooo.

Bordados e Retalhos disse...

Amiga, aqui no Brasil não tem corrupto parvo. Todos são espertos demais e sabem exatamente a quem corremper. Adorei saber da história. Acho que nossos países são mais próximos do que a gente pensa. bjs

direitinho disse...

Isto realmente... o direito deixou de o ser dado que os Tribunais já não usam de Juízos para condenar quem roubou, nem de direito para ler a legislação de tão leves distorções.
Tantos anos a estudar direito para decidirem tudo torto.
Mudem a Lei e o juiz que não condenou o criminoso vai ele, o Juiz, para a pildra.
Pode ser que esta escola lhe ensine a ver a verdade e de que lado está a absolvição.

Graça Pereira disse...

Manela
Adorei esta crónica do Ricardo...Na verdade para ser corrupto...tem que se lhe diga...é preciso arte ...alguns passos de malabarismo e ilusionismo ...não, não é corrupto quem quer...Beijo amigo.
Graça

elisabete disse...

bom artigo do Ricardo Araújo.
Já nem corrupção sabem fazer bem feita. Não prestam mesmo.
Dorme bem.

Mariana disse...

Nossa q história esta,
o Brasil está cheio de corruptos e corruptores, é uma erva daninha..
Estou sendo a tua seguidora nº 90, espero q cresça muito.

Ana disse...

As teias que a "justiça " tece!
Um excelente texto com o humor inteligente que todos conhecemos ao Ricardo ! Obrigada por partilhares !
Um beijinho.

Glorinha L de Lion disse...

Parece Manu, que estou a ler uma cronica a falar do Brasil...aqui é igualzinho...sem tirar nem por...estou novamente no lap top do filho o meu pc pifou de novo...ó céus! beijos.

Jacque disse...

Lindo Blog......... Vim visitar.
Vi uma figura linda de um cãozinho e um gatinho, que vc ganhou ... Eu queria colocar no meu Blog, vc não se importa ?????
O nome do Blog: BORBOLETA AZUL.
Se tiver algum problema, me avisa que eu retiro.......

Beijo

Manuela Freitas disse...

Obrigada amigos, pelos comentários que eu posso absolutamente subscrever!
Mariana obrigada por ser minha seguidora, já a visitei, deixei umas palavras e tornei-me sua seguidora.
Jacque pode levar o que pretende, fui visitar o seu blogue, mas não tem nenhuma postagem!
Beijinhos,
Manuela

Austeriana disse...

Este rapaz é fantástico: tão jovem e tão sábio!
Brilhante e na mouche! :)))