«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




sexta-feira, 7 de maio de 2010

CRISES!...

Portugal está em crise, uma crise muito complexa! Eu gostava de perceber de economia, mas nunca gostei de números e de facto não percebo nada. Por vezes certos economistas a falar ou a escrever, não o fazem para uma pessoa leiga no assunto, pelo contrário usam uma linguagem muito técnica e até com terminologia inglesa, desta forma obviamente que estão a dirigir-se a uma elite. A minha formação é outra e às vezes até me aborrece, porque não há uma preocupação de tornar o discurso mais compreensível. Não percebendo ou percebendo em parte, o que a maioria já percebeu (mesmo não querendo perceber) é que Portugal está numa grande CRISE FINANCEIRA, tem uma dívida externa enorme e está há muito naquela situação de contrair dívida para pagar dívida, porque são turvos os índices de crescimento e desenvolvimento! O PEC vai fazer doer, mas vai ser eficaz? Muitos temem que venha a acontecer em Portugal o que está a acontecer na Grécia e, que tem posto os gregos em polvorosa!

Pensando nisto, cheguei ao comum dos mortais e muitos de uma forma ou de outra, também estão a viver acima das suas possibilidades, o crédito abriu-se para tudo e para todos. Vai-se a um Centro Comercial e lá estão eles a impingir cartões de crédito, tenho pena destes trabalhadores, porque dizem, que podemos preencher os papéis e, que assim eles já têm uma comissão. Mas tanto cartão de crédito para quê? A mim basta-me um ou dois! Pelo telefone é a mesma coisa e, lá pressionam para a aquisição de um cartão. Enfim a pressão é muita e muitas pessoas tentam-se. Há situações de endividamento muito complicadas! Por outro lado já não há aquela angústia do fim do mês, que eu vivi, fazendo aquela ginástica para que o dinheiro chegasse até receber novo vencimento e, nessa altura tinha-se grande receio dos chamados cheques «carecas». Agora não, vai-se gastando, levanta-se sem provisão e há dinheiro, mas também há os juros do dinheiro adiantado. A poupança para grande parte das pessoas já não existe, a poupança que anteriormente era forçada, pela inviabilidade das facilidades que hoje existem. Comprava-se casa, automóvel, mas tinha-se que juntar para desembolsar uma entrada, agora os bancos facilitam tudo.
A crise é geral! Não sou uma pessoa do «antes», do género antes era melhor, não as coisas evoluem, o que eu considero é que não se pode cair em facilidades exageradas!...
Lembrei-me disto e fui escrevendo, com certeza nem estará muito bem exposto, é apenas um afloramento de uma realidade que está a preocupar muita gente
.

11 comentários:

Dani dutch disse...

OI Manuela, tudo bem?
Em relação a essa facilidade de obter crédito, e a quantidade imensa de pessoas nos oferecendo cartões de crédito, quando mudei-me do Brasil a um ano e meio atrás a situação também estava assim, e tinham bancos que colocavam pessoas na rua para nos abordar.
É um absurdo não?
bjus

direitinho disse...

Para quem diz não perceber de economia o artigo está bom.
Eu também penso assim,mas nós só mandamos em nós. Quem manda neste país não lhe custa pois o dinheiro nem é dele nem é ele que o vai repôr.
E mais não digo para não ser repetitivo.

manuel marques disse...

Excelente reflexão para os dias de hoje.Concordo plenamente com o seu texto ,Muita gente vive acima das possibilidades ,gasta-se o que não se tem e espera-se que saia o euro milhões.A vida agudisa-se e as consequências são as que se sabem...



"Quando escrito em chinês a palavra crise compõe-se de dois caracteres: um representa perigo e o outro representa oportunidade ."

Abraço.

Laura disse...

Minha querida, começando; eles estão lá interessados em que tu entendas ou qualquer outro simples cidadão? ah, eles ja botam termos ingleses para menos se perceber e poderem ludibriar cada vez mais o pessoal...

No caso da gécia já houve mortes e não tarda aquis erá igual, o Povo sente-se traído,s em trabalho sem nada ams eles os que mais têm continuam na maior, querem lá saber...Faz-me uma raiva, deviam apanhá-los uma a um e forçá-los a assinar essas merdices todas e deitá-las por água abaixo e apenas que cada um vivesse decentemente sem ser á custa do sofrimento dos outros..arre...
Amiga, só vejo tudo mal e claro, sinto-me mal por quem vive mal... aquele abraço apertadinho da laura

Eliana Pessoa disse...

OI AMIGA AQUI NO BRASIL Ñ SE DEVE MAIS POIS O PRESIDENTE LULA PAGOU A DIVIDA ESTERNA IMENSA QUE TINHA-MOS, O PAÍS Ñ DEVE, MAS O POVO CONTINUA ENDIVIDADO POIS Ñ TEM JUIZO GASTA-SE A TORTO E A DIREITO COM CARTÕES QUE TAMBÉM É NOS MANDADO ATÉ MESMO PELOS CORREIOS!!!
TODAS AS HORAS TOCA O TELEFONE É ALGUM BANCO TENTANDO NOS ENPURRAR CARTÕES CHEIO DE CREDITOS!
DAÍ O POVO TOCA GASTAR E Ñ TEM COMO PAGAR!!!
BJIM

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Andaram quase 20 anos a vender-nos a banha da cobra do crédito fácil e barato, encheram os portugueses de sonhos que era previsível um dia se transformariam em pesadelos e agora gritam aqui d'el Rei que estamos tesos e é preciso apertar o cinto.
Essa é a linguagem dos economistas, mas eles não podem falar assim, porque todos perceberiam que não passam de aprendizes de feiticeiros.
Bom fds

Rozani disse...

Oi Manuela!
Muito obrigada pela visita no meu blog!
Adorei tudo que vc escreveu.Pode escrever bastante porque eu adoro.
Eu aprendo bastante.Você sempre vai visitar meu blog e com palavras muito amáveis.Eu vi que você postou também sobre Tchaikovsky.Que lindo!
Beijos e muito obrigada!
Rozani

Sandra Botelho disse...

Tudo muito facilitado, mas esse consumismo desordenado anda afundando as pessoas. Bela reflexão amiga. Bjos achocolatados

Ana Paula Sena disse...

Olá, Manuela :)

Pois, a mim, parece-me muito bem que tenha abordado a questão, já que a maioria prefere iludir-se, não dando importância à questão, agindo como se não existisse.

E, sim, é inadmissível que as coisas não sejam explicadas de modo compreensível.

Obrigada e um beijinho.

Marliborges disse...

Oi Manuela,
Tens razão, há que ter cuidado e evitar gastos acima das possibilidades. O preço do dinheiro é muito alto, o crédito é uma ilusão. bjss

Manuela Freitas disse...

A todos que deixaram comentários o meu muito obrigada, até porque as vossas opiniões complementaram as questões que coloquei.
À Dani, pessoa nova neste espaço, agradeço a visita e já sou sua seguidora.
Beijinhos,
Manuela