«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




domingo, 15 de novembro de 2009

OS ANAGRAMAS DE VARSÓVIA - RICHARD ZIMLER




RICHARD ZIMLER, tem sido um escritor, de quem tenho lido alguns livros, o primeiro foi, O Último Cabalista de Lisboa. O seu género é o romance histórico, fundamentado em muita pesquisa.
O romance mais recente do nova-iorquino residente no Porto há alguns anos, diz um crítico que se lê da noite para o dia (aliás como os outros seus romances) e intitula-se, Os Anagramas de Varsóvia, que tem uma trama sombria e muito bem conseguida à volta das mortes de crianças num bairro da capital polaca, transformada em gueto judeu pelos nazis. O autor escolheu a Varsóvia de 1940, porque foi nesse ano que quatrocentos mil judeus, forçados a abandonar as suas casas, foram «encafuados» num pequeno bairro, em minúsculos apartamentos. Um cenário sombrio, mas fértil em elementos dignos de um bom policial: mistério, traição, raiva, desespero e, sobretudo, afectos. Uma leitura boa para relaxar, de leituras que requerem mais concentração.

4 comentários:

Ana Paula Sena disse...

Olá, Manuela

Também a mim me parece uma óptima leitura. O escritor é muito bom. Ainda não o li, mas quem sabe nas férias do Natal... :)
Obrigada pela excelente sugestão.

Um abraço

Graça Pereira disse...

Ofereceram-me esse livro mas ainda o não li...Comentarei depois.. Tenho um montão deles em fila de espera mas, não sei se só acontece comigo,parece-me que o tempo encurta cada vez mais
ou entãi, sou ei que o sobrecarrego demais...
Um beijo carinhoso e uma boa semana
Graça

G I L B E R T O disse...

Manuela

anotei por aqui e vou ver se encontro por cá no Brasil!

Abraços e sempre atento as suas indicações para lá de interessantes, mon ange!

amplexos e ósculos, mon ami!

Manuela Freitas disse...

Este escritor judeu, tem baseado toda sua escrita na temática dos judeus.
Confesso que o romance histórico, está dentro das minhas leituras, mas é preciso que o mesmo tenha na base os factos reais e depois obviamente que tem que existir alguma ficção, mas que também esta não seja anacrónica.
ROMANCE PSEUDO-HISTÓRICO ESPECULATIVO: NÃO!?...
É um género de literatura que serve para testar conhecimentos.
Beijinhos e obrigada pela vossa simpatia.
Manuela