«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




segunda-feira, 30 de novembro de 2009

PAULA REGO



Os críticos consideram que a pintura de Paula Rego reflecte a escola britânica, consequência natural do país onde estudou, mas que há em Paula Rego uma essência simbólica portuguesa, tudo aquilo que foi absorvendo em criança, uma curiosidade que perdura na sua forma de expressão. Hoje Paula Rego tem 70 anos, goza de grande prestígio e foi considerada em Inglaterra, como um dos melhores pintores vivos do mundo. É uma pessoa simples, movendo-se de forma inibida, perante tantos elogios, homenagens e prémios, mas não está cativa a nada, pinta o que lhe apetece, usa a pintura para fazer a sua catharzis. A sua pintura motiva muita reflexão/interpretação. Nos seus quadros nada está ali por acaso, não procura o belo, as personagens são pessoas vulgares, grotescas e rudes. Pessoas de carne e osso, onde destaca com força criativa, os aspectos mais insondáveis da complexidade humana. Os seus quadros transmitem perturbação, emoção, mistério…Numa exposição, não se deixa um quadro de ânimo fácil, para avançar para outro, quantas vezes se retorna, para observar melhor a «história» que é contada e até onde ela quer chegar. O seu olhar o mundo é muito pessoal, uma visão profunda de dissecação e crítica.
A temática das suas pinturas, são uma tomada de posição face ao mundo, são os olhos de uma criança, que dizem o que é mau sem contemplações, como só uma criança pode dizer. Temas como a guerra, o aborto, a igreja, a vida social e familiar e outros, têm sido escalpelados realisticamente.
Pinta as histórias que vai buscar, aos livros, como por exemplo: Triunfo dos Porcos, de George Orwell, a Metamorfose, de Kafka, O Crime do Padre Amaro, de Eça de Queiroz, As Criadas, de Genet, Nursery Rhymes, baseada em histórias de um livro homónimo, de autor desconhecido, The Children's Crusade e outras.

1 comentário:

G I L B E R T O disse...

Manuela

Teu prazer por cultura em geral é sofisticado e eclético!

parabéns!

Grato por dividires conosco esta tua paixão e teu conhecimento, a gente aprende contigo, de uma forma bem lúdica!

amplexos!