«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quarta-feira, 21 de abril de 2010

ABRIL - SOFHIA/ANTÓNIO ALEIXO-PADRE FANHAIS

Música: Francisco Fanhais
Poesia: Sofia de Melo Breyner
.
Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão
.
Porque os outros têm medo mas tu não
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
.
Porque os outros se calam mas tu não.
Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
.
Porque os outros são hábeis mas tu não.
Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.
Música: Francisco Fanhais
Poesia: António Aleixo (poeta popular)
.
Embora os meus olhos sejamos
mais pequenos do mundo
o que importa é que eles vejam
o que os homens são no fundo
.
Que importa perder a vida
na luta contra a traição
se a razão mesmo vencida
não deixa de ser razão
.
Vós que lá do vosso império
prometeis um mundo novo
calai-vos que pode o povo
querer um mundo novo a sério
.
Eu não tenho vistas largas
nem grande sabedoria
mas dão-me as horas amargas

4 comentários:

Cris França disse...

o que os homens são no fundo é o que realmente importa, tudo o mais é apenas maquiagem, e ela nem me interessa, mas muito mais do que o que há no fundo dos outros a gente tem mesmo que se importar com o que há no fundo da gente.
Um beijo querida, obrigada por encher o mundo de poesia.

Pelos caminhos da vida. disse...

A coisa mais importante que você possui hoje, é o dia de hoje.

O dia de hoje, mesmo que esteja espremido entre o ontem e o amanhã, deve merecer total prioridade.

Só hoje você pode ser feliz...

O amanhã ainda não chegou... e já é muito tarde para ter sido feliz ontem.

A maior parte das nossas dores é fruto dos restos de ontem ou de medos do amanhã.

Viva o dia de hoje com sabedoria...

Decida como irá alimentar os seus minutos, o seu trabalho, o seu descanso...

Faça tudo o que seja possível para que o dia de hoje seja seu, já que ele lhe foi dado tão generosamente.

Respeite-o de tal maneira que, quando for dormir, você possa dizer: hoje eu fui capaz de viver e amar...

Hoje fui feliz!!!

Bom dia!

beijooo.

Maria disse...

Mais duas excelentes cantigas de Abril na voz do Fanhais...

Beijo, Manuela.

Glorinha L de Lion disse...

o primeiro poema parece falar de mim....essa Sofia Melo é maravilhosa...a conheci no Oceanário de Lisboa, onde há trechos de poemas seus...e o segundo poema, uma maravilha, triste, mas sobretudo real.
bjinhos e um xi pra ti...