«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quinta-feira, 15 de abril de 2010

LIVRE - CARLOS DE OLIVEIRA/MANUEL FREIRE


(CARLOS DE OLIVEIRA)

LIVRE

Não há machado que corte
A raíz ao pensamento
Não há morte para o vento
Não há morte

Se ao morrer o coração
Morresse a luz que lhe é querida
Sem razão seria a vida
Sem razão

Nada apaga a luz que vive
No amor num pensamento

Porque é livre como o vento
Porque é livre



2 comentários:

Maria disse...

Impossível deixar de o cantar...
Obrigada, Manuela.

Um beijo.

Benjamina disse...

Olá Manuela
Adoro o poema e a música!
Só tenho pena de haver, hoje em dia, tantas cabecinhas em que o pensamento não é livre como o vento, mas condicionados pelos ventos da comunicação social e do conforto!
Beijinhos