«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




terça-feira, 20 de abril de 2010

TOULOUSE-LAUTREC

Pensando vermelho, pensei no Moulin Rouge, já andei por lá.
Paris foi a minha primeira viagem e a viagem mais desejada, consequência de leituras, pintores, cantores...toda aquela áurea intelectual.
Paris, Moulin Rouge e de imediato TOULOUSE-LAUTREC












Henri Marie Raymond de TOULOUSE-LAUTREC Monfa ( 1864 — 1901) pintor pós-impressionista e litógrafo. Conhecido por pintar a vida boémia de Paris do final do século XIX, ele mesmo um boémio que faleceu precocemente aos 36 anos, de sífilis e alcoolismo, além ter sofrido uma doença desconhecida na sua época. Certamente uma distrofia poli-hipofisária, ou seja, um desenvolvimento insuficiente de certos tecidos ósseos. Sofreu dois acidentes na sua juventude, fracturando o fémur esquerdo e direito. Os ossos mal soldados pararam de crescer e fizeram de Henri um homem com corpo de adulto mas com pernas curtas de menino. Trabalhou cerca de vinte anos mas deixou um legado artístico importantíssimo, tanto no que se refere à qualidade e quantidade de obras, como também no que se refere à popularização e comercialização da arte. Toulouse-Lautrec revolucionou o design gráfico dos cartazes publicitários, ajudando a definir o estilo que seria posteriormente conhecido como Art Nouveau.



































7 comentários:

manuel marques disse...

No rescaldo do vermelho e certamente por arrasto,eis uma óptima postagem.
Parabéns.

Beijo.

Açuti disse...

Ooii Manuela,

olha que coisa...
essa última imagem que postou me trouxe lembranças de muitooo tempo...lembro que qdo eu tinha uns 4 anos, minha mãe tinha um caderno com essa capa e eu ficava apavorada de ver aquele caderno, principlamente se eu estivesse sozinha....puxa...faz tempo isso heim!!!

bjksss

Chica disse...

Que linda e bem interessante,Manuela!beijos,tudo de bom,chica

Dani Etoile disse...

Amo, realmente amo Toulouse-Lautrec! Acho sua história triste, mas suas obras são fantásticas...
Lindo tema!
Beijo,
Dani

Sandra Botelho disse...

Quanta cultura...
Acho maravilhosa sua cultura.
Quisera eu viajar assim,.
Jamais sai de minas, bom agora sai to em são paulo.rsrsrrs. Bjos achocolatados.

Marliborges disse...

Oh my God! Quanta coisa linda, sou fascinada por Toulouse-Lautrec! Acho suas obras extraordinárias! Aguçam nossa percepção e nos remetem ao passado. E os tons que ele usa, não tem igual!
Parabéns pelo post! Beijo grande.
http://marliborges.blogspot.com/

Memória de Elefante disse...

Seu estilo transgredia as proporções anatômicas e as leis da perspectiva em favor da expressividade. Os traços rápidos e as cores intensas sugeriam movimento. A simplificação do contorno e o uso de grandes áreas em uma só cor caracterizam seus cartazes, que estão entre suas obras mais significativas.
Adorei!

Um beijo