«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




quarta-feira, 28 de abril de 2010

NOTÍCIAS EM SEGUNDA MÃO

Não vou fazer avaliações à qualidade deste programa, há quem goste, há quem não goste. Eu gosto do humor corrosivo, tendo por tema a política, quando é bem feito.
Considero interessante, os saltos que deu este programa, estreou-se na SIC e começou a ser transmitido às 21.15, passado um tempo a sua transmissão passou para a meia-noite e ultimamente passa à 1.20 da madrugada!..
Incomoda? Não tem audiências? É um programa falhado?
A conclusão que eu chego, é que há liberdade e não há liberdade, não existindo censura há censura e o que incomoda vai avançando pela noite dentro e desse modo limita a audiência. Há também outra forma de fazer censura, silenciando certas pessoas. Num grupo de pessoas que são mais silenciadas na televisão, temos por exemplo os cantores, os nossos grandes cantores, que têm uma carreira de décadas, com composições próprias e que fazem a sua carreira de acordo com as suas ideias e não com propósitos comerciais, esses se vão à televisão é só no 25 de Abril, que é um dia que eu recordo com muita saudade, mas também é um dia do «faz de conta».
Paulo de Carvalho, Fernando Tordo, Carlos Mendes, Sérgio Godinho, Fausto, Manuel Freire, José Mário Branco, Jorge Palma...quando é que aparecem?
Isto seria assunto para muita conversa, mas prefiro ficar por aqui.

3 comentários:

manuel marques disse...

De acordo minha amiga,infelizmente não acarinhamos quem é nosso e canta a nossa lingua.

Beijo.

Richie disse...

Oi Manuela!

Vim agradecer tua visita e teu carinho la na Cozinha Coletiva!
Desculpa o atraso, é q to em periodo de provas na faculdade.
Bom, muito obrigado e apareça!

bjo

Ana Paula Sena disse...

É verdade, Manuela. Estes critérios não se entendem. Por ex., eu sei bem que é assim no que toca a cinema. Os bons filmes passam tardíssimo, seja em que canal for. Só por excepção, o contrário acontece. Neste ponto, estou certa de que não há grande vontade de proporcionar bom cinema ao grande público. E eu, triste, pois gosto imenso de ver um bom filme, ou mesmo uma boa série (passa-se praticamente o mesmo, a este nível).

Quanto a este programa que refere, nunca vi, mas vou estar atenta para conhecer melhor, tendo em conta a sua referência.

Um beijinho grande :)