«Através da violência pode matar um assassino, mas não o assassinato.

Através da violência pode matar um mentiroso, mas não a mentira.

Através da violência pode matar uma pessoa odiosa, mas não o ódio.

A ESCURIDÃO NÃO PODE EXTINGUIR A ESCURIDÃO. SÓ A LUZ O PODE FAZER.»

MARTIN LUTHER KING




sábado, 24 de outubro de 2009

CECÍLIA BARTOLI

O meu sentido religioso, pode ser expressado nesta composição. Apesar de ser agnóstica, ficando no talvez… perante toda a grandiosidade da Natureza, das pessoas com todas as suas particularidades e daquelas cuja criatividade atingiu pontos tão altos, em todos os aspectos, das ciências às artes, eu muitas vezes me interrogo o que haverá por trás diz tudo!.. Deus é uma resposta para muitos e só me refiro ao mundo ocidental, por outro lado não há ainda uma resposta científica plausível. Nem o Criacionismo, nem o Darwinismo, respondem à questão. O Criacionismo leva-nos para o campo do transcendente, da crença e o Darwinismo, depois do achado de muitos «australopitecos e homos», não obteve resultados conclusivos, há ainda um elo por encontrar… (Por acaso debati recentemente esta questão, através da net, num site de historiadores e o assunto acabou por cair no silêncio).
Gosto de muita música sacra e considero que em variadas épocas, principalmente a Barroca, os compositores inspirados na sua fé, criaram composições fantásticas (nem sei adjectivar...) e que a religião mobilizou de uma forma imortal as artes.





A forma como a cantora, trabalha a voz nesta ária é excepcional!...



Para quem não gosta deste género de música, isto pode ser uma «seca», também em miúda quando me levavam a concertos, eu perguntava inquieta «falta muito para acabar?» Esta música implica uma aprendizagem de audição. Obviamente que eu gosto deste tipo de música, mas estou aberta a qualquer género, depende do meu estado de espírito e este foi o meu «momento religioso»
PARA QUEM GOSTA, FOI EDITADO «SACRIFIUM» - BARTOLI RELEMBRA O CANTO DOS «CASTRATI», segundo a crítica, «Sacrifium» tem tudo (da seriedade académica à ousadia visual) para ser (mais) um «best-seller» da italiana. [«Best-seller»...não gosto muito desta palavra, por causa dos «best-seller», que não são de qualidade, mas vendem muito bem, o que não é o caso.]

1 comentário:

Elaine Barnes disse...

ôh amiga! Não consigo ouvir música e abrir os vídeos no meu pc. Li tudo que escreveu e também curto músicas de acordo com meu estado de espírito. Sei que elas trancendem. No passado fazíamos um workshop de máscaras e tinhamos sequencias que levavam as pessoas a buscarem a luz e a sombra através delas. Impressionante! bjs